Ensino de Geografia e crise ambiental: representações das águas nos livros didáticos do 6º ano do Ensino Fundamental (PNLD - 2014)

Autores

  • Mariana Recco Cancellier Unesc

DOI:

https://doi.org/10.14295/ambeduc.v22i1.5735

Palavras-chave:

Palavras-chave, Crise Ambiental. Água. Geografia. Ensino Fundamental.

Resumo

O problema com a poluição das águas é mundial, mas não precisamos nos deslocar muito para perceber que na região de Criciúma, mais precisamente na Região Carbonífera, esse problema é grave. Esta pesquisa tem como objetivo principal analisar como a disciplina de geografia, através do livro didático do 6º ano do ensino fundamental (PNLD 2014), aborda conceitualmente educação ambiental, rios e bacia hidrográfica considerando a realidade do aluno, problematizando o pensamento geográfico disseminado na educação brasileira. Utilizando do aporte teórico de Capra (1996) com o conceito de “Ecologia Rasa” e “Ecologia Profunda”, Gadotti (2000) Ecopedagogia e (Capra, 2000) Ecoalfabetização, entre outros, o estudo aponta um breve levantamento histórico sobre a disciplina de geografia no contexto educacional e as novas perspectivas para a educação ambiental, consequentemente a preservação dos rios. Os livros didáticos foram nosso objeto de pesquisa, sendo que as quatros maiores coleções em número de exemplares distribuídos no PNLD 2014, sendo estas: Projeto Araribá; Expedições Geográficas; Projeto Telaris e Para Viver Juntos. A análise do livro foi realizada considerando a fundamentação teórica e norteados por um fichamento bibliográfico, considerando pontos de observação como as concepções de natureza explicitada nos capítulos, especialmente nos destinados a temática água/bacia hidrográfica; analise de imagens presente no decorrer do livro que envolvem a temática água/bacia hidrográfica e as atividades propostas. A partir do conjunto destes estudos e análises foi possível perceber que o livro didático, sendo neste trabalho considerado documento histórico, em sua maioria cristalizam o pensamento antropocêntrico e consideram a degradação ambiental como ações pontuais e destituídas de uma motivação/caracterização histórica maior.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Recco Cancellier, Unesc

Mestre em Programa de Pós Graduação em Educação pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC). POssui Pós-Graduação em nivel de especialização em Didática do Ensino Superior Senac. Possui graduação em Geografia pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (2006) e Pós Graduação em Metodologia do Ensino de Geografia e História (ICPG). É membro de grupos de pesquisa como Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Formação e Gestão na Educação Básica (FORGESB), História e Memória da Educação e Grupo de Estudo e Pesquisa em História Ambiental e Educação (GEPHAE). É Coordenadora do Núcleo de Educação Superior da Faculdade de Tecnologia Senac Criciúma. É membro da Comissão Própria de Avaliação da Faculdade Senac Criciúma. É Membro do Conselho Superior da Faculdade de Tecnologia Senac Criciúma, é membro ainda do Conselho do Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação e Processos Gerenciais na Faculdade de Tecnologia Senac Criciúma. Tem experiência na área de Estudos Sociais e Gestão Escolar.

Downloads

Publicado

2018-01-02

Como Citar

Cancellier, M. R. (2018). Ensino de Geografia e crise ambiental: representações das águas nos livros didáticos do 6º ano do Ensino Fundamental (PNLD - 2014). Ambiente &Amp; Educação, 22(1), 217–243. https://doi.org/10.14295/ambeduc.v22i1.5735

Edição

Seção

Artigos