Experiências em educações ambientais nos encontros de dois geógrafos ecologistas

Autores

  • Soler Gonzalez Universidade Federal do Espírito Santo
  • Rodrigo Barchi Universidade IbirapueraUniversidade de Sorocaba https://orcid.org/0000-0001-9198-1382

DOI:

https://doi.org/10.14295/ambeduc.v27i1.13243

Palavras-chave:

Educação Ambiental, Formação de Educadores Ambientais, Movimento Social, Ecologistas, Política

Resumo

Perante um intenso processo de sucateamento das instituições e políticas públicas de proteção ao meio ambiente e de educação ambiental no Brasil, por parte de uma governança “negacionista” e detratora das organizações científicas e das defesas das minorias, inclusive as organizações estatais, esse texto relata a experiência do encontro de dois geógrafos, professores e ecologistas, de duas regiões distintas. Tendo como foco principal as atividades realizadas durante a presença do educador paulista na cidade de Vitória, no Estado do Espírito Santo, durante uma série de eventos ligados a um Programa de Pós-Graduação em Educação, esse texto se divide em duas seções, sendo a primeira o relato do pesquisador anfitrião e organizador das atividades, o segundo relato, o do professor visitante. As perspectivas das educações ambientais que pautam as discussões do artigo além de se situar, filosófica e politicamente, às margens das redes institucionais, inclusive dos programas oficiais de pautas “progressistas”, são combativas às ações “ecofóbicas”, predatórias e beligerantes dos governos das extremas direitas, instaurados recentemente no Brasil

Palavras-chave: Educação Ambiental; Formação de Educadores Ambientais; Movimento Social; Ecologistas; Política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Soler Gonzalez, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutor em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Professor Adjunto do Centro de Educação (Ufes). Professor permanente do Programa de pós-graduação do mestrado profissional em Educação (PPGME/Ufes). Líder do Grupo de Pesquisa Territórios de aprendizagens autopoiéticas ? Cnpq. Coordenador do projeto de ensino, pesquisa e extensão Narradores da maré.

Rodrigo Barchi, Universidade IbirapueraUniversidade de Sorocaba

Doutor em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Estadual de Campinas. Mestre em Educação pela Universidade de Sorocaba, Especialista em Educação Ambiental pela USP/ São Carlos, Especialista em Gestão da Educação Pública pela Unifesp, licenciado em Geografia pela Universidade de Sorocaba e Pedagogia pela Universidade da Cidade de São Paulo. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Ibirapuera, sendo membro do Grupo de Pesquisa Subjetividade, Educação Escolar e Políticas Educacionais. É professor e pesquisador nas áreas de Filosofia da Educação e Ecologia Política, atuando principalmente nos seguintes temas: Ecologia, Educação Ambiental, Políticas Públicas em Educação e Meio Ambiente, Geopolítica, Geografia do Brasil e Geral, Fundamentos e Metodologia do Ensino de Geografia para Ensino Fundamental e Médio, Teoria do Currículo, Formação de Professores, Fundamentos e Teorias da Educação Brasileira. Foi coordenador do Curso de Geografia da Universidade de Sorocaba, coordenador de Subprojeto Pibid - Geografia, coordenador de Pedagogia da Faculdade de Sorocaba (UNIBR) e colaborador do CIIIE (Centro Internacional e Interdisciplinar de Investigação e Ensino Aplicado), promovido pelo convênio entre la Alice Salomon Hochschule Berlin (ASH), a Universidad Autónoma Benito Juárez de Oaxaca (UABJO), a Universidade de Sorocaba (UNISO) e a Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM), financiado pelo DAAD (Deutscher Akademischer Astauschidienst - Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico)

Referências

ALVES, Nilda; OLIVEIRA, Inês Barbosa de Imagens de escolas: espaçostempos de diferenças no cotidiano. Educação & Sociedade, v. 25, n. 86. p. 17-36, 2004.

BARCHI, Rodrigo. As perspectivas ecologistas em Educação e as hortas pedagógicas e orgânicas: a ação do PIBID Geografia da UNISO. Crítica educativa, v. 3, n. 2 p. 799-817, 2017.

BARCHI, Rodrigo. Educação ambiental e (eco)governamentalidade. Ciênc. Educ., Bauru, v. 22, n. 3, p. 635-650, 2016.

BARROS, Manuel de. Menino do Mato. São Paulo: Leya, 2010.

BERGSON, Henri. Duração e simultaneidade: a propósito da teoria de Einstein. Trad. Claudia Berliner. São Paulo: Martins Fontes, (2006).

CASTRO, Josué. de Geografia da fome: o dilema brasileiro: pão ou aço. 7 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, (2007).

CASTRO, Josué. de Homens e caranguejos. 3 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, (2007).

DELEUZE, Gilles. Bergsonismo. Trad. Luiz B. L. Orlandi. São Paulo: Ed. 34, 2012.

FORDE, Gustavo. H. A.; FORTE, Rasley. de P. (2020). Impactos da covid-19 na população negra capixaba: breve análise comparativa à luz da categoria raça/cor. Estudos Africanos e Núcleo de Estudos Afro-brasileiros da Ufes. 2020. Disponível em: <https://bityli.com/covid19povonegrocapixaba>. Acesso em: 19 jun. 2020.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 39. ed. São Paulo, SP: Paz e Terra. (2009)

FREIRE, Paulo; GUIMARÃES, Sérgio. Aprendendo com a própria história. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

GONZALEZ, Soler. Educação ambiental autopoiética com as práticas do bairro Ilha das Caieiras entre os manguezais e as escolas. 159 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Educação, 2013.

GONZALEZ, Soler; RAMOS, Andréia. T. Há uma horta no meio da cidade. Quaestio, v. 21, n. 1. 2019

HARDT, Michael; NEGRI, Antonio. Bem-Estar Comum. Trad. Clóvis Marques. São Paulo Record. (2016)

HARDT, Michael; NEGRI, Antonio (2018). Assembly: A organização multitudinária do comum. Trad. Lucas Carpinelli, Jefferson Viel. São Paulo: Editora Filosófica Politéia, 2018.

GONÇALVES, Alyne. dos S. G.. A militância conservacionista de Augusto Ruschi: Práticas científicas e estratégias políticas na construção da Biologia e da Conservação da Natureza no Brasil (1937-1986). Tese (Doutorado em História Social das Relações Públicas). Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo, 2018.

JESUS, Carolina. M. de. Quarto de despejo: diário de uma favelada. São Paulo: Ática, 2014a.

JESUS, Carolina. M. de. Diário de Bitita. São Paulo: SESI-SP Editora, 2014b.

KOPENAWA, Davi; ALBERT, Bruce. A queda do céu: palavras de um xamã yanomâmi. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

MAULIN, Gilfredo. C. Lugares e tempos em narrativas de uma educação ambiental pós-colonial no Sítio dos Crioulos - Jerônimo Monteiro-ES. Tese (Doutorado em Educação). Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo. Centro de Educação, 2013.

MATHIAS, Maíra; TORRES, Raquel. A possível eugenia bolsonarista. Outras palavras. 13 de maio de 2020. https://outraspalavras.net/outrasaude/a-eugenia-bolsonarista/.

MELLO, Dilma. Pesquisa narrativa e formação de professores. In: GOMES JÚNIOR, Ronaldo Corrêa (org.) Pesquisa narrativa: histórias sobre ensinar e aprender línguas. São Paulo: Pimenta Cultural, 2020.

RAGO, Margareth. A aventura de contar-se: feminismos, escritas de si e subjetividades. Campinas: Editora da Unicamp, 2013.

RAMOS, Andréia T. Educação ambiental entre os Carnavais dos amores com os mascarados do congo de Roda D'Água. Dissertação (Mestrado em Educação). Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo. Centro de Educação, 2013.

RAMOS, Andréia T.. Mulheres no congo do Espírito Santo: práticas de re-existência ecologista com os cotidianos escolares. Tese (Doutorado em Educação). Sorocaba: Universidade de Sorocaba, Sorocaba, 2018.

REIGOTA, Marcos. A floresta e a escola: por uma educação ambiental pós-moderna. São Paulo: Cortez, 1999a

REIGOTA, Marcos. Ecologistas. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 1999b.

REIGOTA, Marcos. Aspectos teóricos e políticos das narrativas: ensaio pautado em um projeto transnacional. In: CORDEIRO, Rosineide; Kind, LUCIANA. Narrativas, gênero e política. Curitiba: CRV, 2016.

REIGOTA, Marcos; POSSAS, Raquel; RIBEIRO, Adalberto. Trajetórias e Narrativas através da Educação Ambiental. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2003.

SCHLICHTING, Homero; BARCELOS, Valdo. Humberto Maturana: amar...verbo educativo. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2012.

SILVEIRA, Roberto. M. da.. Geografia das Cores: Práticas Pedagógicas Libertárias e Ecologistas em Educação nos Cotidianos Escolares. Dissertação (Mestrado em Educação). Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo, 2019.

SPINK, Mary. J. P. (Org.). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano: aproximações teóricas e metodológicas. São Paulo: Cortez, 1999.

WULF, Andrea. A invenção da natureza: a vida e as descobertas de Alexander von Humboldt. Trad. Renato Marques. São Paulo: Planeta, 2016.

Downloads

Publicado

2022-08-03

Como Citar

Gonzalez, S., & Barchi, R. (2022). Experiências em educações ambientais nos encontros de dois geógrafos ecologistas. Ambiente &Amp; Educação, 27(1), 1–26. https://doi.org/10.14295/ambeduc.v27i1.13243