Políticas públicas de Educação AmbIental da Secretaria Estadual de educação de Santa Catarina : uma análise crítica

Autores

  • Adriana Lima Moraes Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Carlos Frederico Bernardo Loureiro Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.14295/ambeduc.v22i2.6729

Palavras-chave:

Educação Ambiental, Política Pública, Secretaria de Educação de Santa Catarina.

Resumo

O presente artigo analisa o processo de construção das políticas públicas de educação ambiental da Secretaria de Educação de Santa Catarina, tomando como ponto de partida o ano 1991, quando da elaboração de sua primeira proposta curricular. Para tanto, a pesquisa utilizou como procedimento metodológico a análise documental. O argumento orientador parte do entendimento das políticas públicas de educação ambiental enquanto constitutivas e constituídas pelas políticas de educação que são configuradas sob certa conformação do Estado. O artigo conclui que as políticas de educação ambiental, em termos discursivos, aglutinam, sem mediação crítica, princípios educacionais de diferentes matrizes de pensamento (histórico-crítica, sistêmica, pragmática etc.), e são promovidas sob os preceitos do Estado gerencial e da ideologia da Terceira Via.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Lima Moraes, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestranda em Educação do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE/UFRJ. Integrante do Laboratório de Educação, Ambiente e Sociedade - LIEAS. adrianalimamoraes@hotmail.com

Carlos Frederico Bernardo Loureiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professor do Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGE/UFRJ. Pesquisador CNPq 1D. Líder do Laboratório de Investigações em Educação, Ambiente e Sociedade – LIEAS. fredericoloureiro89@gmail.com

Downloads

Publicado

2018-03-16

Como Citar

Moraes, A. L., & Loureiro, C. F. B. (2018). Políticas públicas de Educação AmbIental da Secretaria Estadual de educação de Santa Catarina : uma análise crítica. Ambiente &Amp; Educação, 22(2), 191–207. https://doi.org/10.14295/ambeduc.v22i2.6729

Edição

Seção

Artigos