A educação ambiental e a educação do campo diante das interferências do agronegócio: compreensões de professores de escolas públicas

Autores

  • Carolina Borghi Mendes Universidade Estadual do Norte do Paraná - Campus Jacarezinho - Centro de Ciências Humana e da Educação, Colegiado de Ciências Biológicas. https://orcid.org/0000-0001-6963-0121
  • Jorge Sobral da Silva Maia Professor Associado da Universidade Estadual do Norte do Paraná, campus Jacarezinho (UENP-CJ), credenciado como pesquisador e orientador junto ao Programa da Pós-Graduação em Educação e ao Programa da Pós-Graduação em Ciência Jurídica da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP-CJ), e ao Programa da Pós-Graduação em Educação para a Ciência (UNESP – Bauru/SP). https://orcid.org/0000-0003-4066-738X

DOI:

https://doi.org/10.14295/ambeduc.v25i2.11500

Palavras-chave:

Educação Ambiental, sustentabilidade, formação docente, ABAG, Educação do campo.

Resumo

O presente trabalho discute a Educação Ambiental em realidades locais distintas que apresentam como particularidade sua relação histórica, política, econômica e cultural com o campo por meio da perspectiva de professores da educação básica. Destacamos como os professores compreendem a inserção de instituições ligadas ao agronegócio na escola para desenvolvimento da EA e como atuam nesta condição. Constatamos fragilidades na compreensão dos docentes sobre a EA e, sobretudo, como a inserção da ABAG na escola consolida uma visão sobre o campo e o ambiente com viés utilitarista e predatório, enfraquecendo os processos de ensino e aprendizagem no que se relacionam ao desvelamento das reais condições socioambientais do campo. Environmental education and rural education in face of agribusiness interferences: understandings of public school teachers This paper discusses Environmental Education (EE) in three cities in the interior of São Paulo that have as their particularity their historical, political, economic and cultural relationship with the countryside. We conducted interviews with public school teachers to raise their understanding of EE and the insertion of the Brazilian Agribusiness Association (ABAG) in the school, through the “Agribusiness at School” Program. We found weaknesses in the teachers' understanding of EE and we verified how the insertion of ABAG consolidates a vision about the rural and the environment with a utilitarian and predatory bias, weakening the teaching and learning processes in relation to the unveiling of the real socio-environmental conditions of the countryside. Keywords: Environmental Education; sustainability; teacher training; ABAG; rural education.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Borghi Mendes, Universidade Estadual do Norte do Paraná - Campus Jacarezinho - Centro de Ciências Humana e da Educação, Colegiado de Ciências Biológicas.

Doutoranda e Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência, Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), Bauru/SP e graduada em Licenciatura em Ciências Biológicas pela mesma instituição. Integrante do Grupo de Pesquisa em Educação Ambiental (GPEA), vinculado ao mesmo Programa de Pós-Graduação, e do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Ambiental, Sustentabilidade e Ambientalização (GEPEASA). Atualmente é Professora Colaboradora nas disciplinas de Didática, Políticas Públicas Educacionais e Metodologia e Prática de Ensino de Ciências do Ciências Biológicas na Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), campus Jacarezinho/PR e Professora Bolsista do Departamento de Ciências Biológicas da disciplina de Educação Ambiental na UNESP, Bauru/SP.

Jorge Sobral da Silva Maia, Professor Associado da Universidade Estadual do Norte do Paraná, campus Jacarezinho (UENP-CJ), credenciado como pesquisador e orientador junto ao Programa da Pós-Graduação em Educação e ao Programa da Pós-Graduação em Ciência Jurídica da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP-CJ), e ao Programa da Pós-Graduação em Educação para a Ciência (UNESP – Bauru/SP).

Biólogo (UFSCar). Pós-doutorado Junto ao Instituto de Biociências da UNESP em Botucatu/SP; Doutor em Educação para a Ciência pela Faculdade de Ciências da UNESP. Atuou como Pró-Reitor de Pesquisa e Pós Graduação e Diretor de Pós Graduação na Universidade Estadual do Norte do Paraná; Atualmente é Professor Associado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Jurídicas do Centro de Ciências Sociais Aplicadas, do Programa de Pós-graduação em Educação e do Centro de Ciências Humanas na Universidade Estadual do Norte do Paraná. Professor do Programa de Pós-graduação em Educação para a Ciências da UNESP. Coordenador do Laboratório de Ensino e Pesquisa em Educação para a Ciência (UENP). Pesquisador do Grupo de Pesquisa em Educação Ambiental ligado ao Programa de Pós-Graduação em Educação Para a Ciência da UNESP em Bauru/SP. Atua na área de Ciências Biológicas, Ensino de Ciências com ênfase em Educação Ambiental e Políticas educacionais. Realiza pesquisa em Fundamentos da Educação, Formação de professores, políticas públicas, Ecologia e ambiente. Tem experiências na Educação Básica, no Ensino Superior e em Gestão Universitária.

Referências

AGUDO, Marcela de Moraes; TEIXEIRA, Lucas André; MAIA, Jorge Sobral da Silva. Educação Ambiental como campo de disputas: a necessária discussão epistemológica. Planeta Amazônia: Revista Internacional de Direito Ambiental e Políticas Públicas, Macapá, n. 7, p. 75-87, 2015.

ABAG/RP. Associação Brasileira do Agronegócio – Ribeirão Preto. Programa Agronegócio na Escola. 2019. Disponível em: http://www.abagrp.org.br/programa-educacional-agronegocio-na-escola. Acesso em: 15 mai. 2020.

BRASIL. Lei 9.795, de 27 de abril de 1999. Política Nacional de Educação Ambiental.

BRASIL. Ministério Da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 2, de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. 2012.

BRÜGGER, P. Educação ou adestramento ambiental? 3ª ed. Florianópolis: Letras Contemporâneas, Chapecó: Argos, 2005.

LAMOSA, Rodrigo A. C. O programa Agronegócio na Escola: um estudo de caso sobre a educação ambiental empresarial nas escolas públicas brasileiras. Em: VII Encontro de Pesquisa em Educação Ambiental, EPEA, 2013, Rio Claro – SP. Anais... 2013. Disponível em: http://www.epea.tmp.br/epea2013_anais/pdfs/plenary/0073-1.pdf. Acesso em: 12 abr. de 2020.

LAMOSA, Rodrigo A. C. Estado, Classe social e Educação no Brasil: uma análise crítica da hegemonia da Associação Brasileira do Agronegócio. 436f. 2014. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

LAMOSA, R.; LOUREIRO, C. F. B. O programa agronegócio na escola: um estudo de caso sobre a entrada do empresariado na escola pública. 36ª Em: Reunião Nacional da ANPEd, Goiânia-GO. Anais... 2013. Disponível em: http://36reuniao.anped.org.br/pdfs_trabalhos_aprovados/gt22_trabalhos_pdfs/gt22_3368_texto.pdf. Acesso em: 12 fev. de 2020.

LAYRARGUES, P. P. Para onde vai a educação ambiental? O cenário político-ideológico da educação ambiental brasileira e os desafios de uma agenda política crítica contra-hegemônica. Revista Contemporânea de Educação, v. 7, n. 14, p. 388-411, ago./dez., 2012.

LOUREIRO, Carlos F. B. Trajetória e fundamentos da educação ambiental. São Paulo: Cortez, 2012.

MAIA, Jorge Sobral da Silva; TEIXEIRA, Lucas André. Formação de professores e educação ambiental na escola pública: contribuições da pedagogia histórico-crítica. Revista HISTEDBR Online, Campinas, n. 63, p. 293-305, jun. 2015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8641185/8692. Acesso em: 25 abr. 2020.

MAIA, Jorge Sobral da Silva. Educação crítica e formação de professores. Curitiba-PR: Appris, 2015a.

MAIA, Jorge Sobral da Silva. Sistema político, desigualdades sociais no campo e o papel da educação. Cadernos de Pesquisa: Pensamento Educacional, Curitiba, v. 10, n. 26. P. 118- 138 set./dez. 2015b. Disponível em: http://universidadetuiuti.utp.br/Cadernos_de_Pesquisa/pdfs/cad_pesq_26/art_5.pdf. Acesso em: 15 abr. 2020.

MENDES, Carolina Borghi. Influências de instituições externas à escola pública: privatização do ensino a partir da educação ambiental? 2015. 232 f. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências, Bauru, 2015.

MENDES, C. B.; MAIA, J. S. da S. Interdisciplinaridade na Educação Ambiental Crítica: necessidade de superação. In: IV Fórum de Educação Ambiental Crítica (FEAC), Salvador-BA, 2018. Anais... IV FEAC, 2018. Disponível em: http://www.feacsalvador2018.ufba.br/modulos/submissao/Upload-425/107813.pdf. Acesso em: 6 abr. 2020.

MENDONÇA, Sonia Regina. O Patronato Rural Brasileiro na atualidade:

dois estudos de caso. Anuariodel Centro de Estudios Históricos Prof. Carlos S. A. Segreti, Córdoba (Argentina), año 8, n° 8, p. 139-159, 2008.

NETO, Luiz Bezerra. Educação do campo ou educação no campo? Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 38, p. 150-168, jun. 2010.

PIRES, Marília Freitas de Campos. O materialismo histórico-e a educação. Interface Comunicação, Saúde, Educação, v. 1, p. 83-93, 1997.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. 34. ed. Campinas: Autores Associados, 2010.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11. ed. Campinas: Autores Associados, 2012.

SAVIANI, Dermeval. A pedagogia histórico-crítica na educação do campo. In: BASSO, J. D.; NETO, J. L. S.; BEZERRA, M. C. S. (org.). Pedagogia histórico-crítica e educação no campo: histórias, desafios e perspectivas atuais. São Carlos: Pedro & João Editores e Navegando, 2016. p. 16-43.

SAVIANI, Dermeval; DUARTE, Newton. Pedagogia histórico-crítica e luta de classes na educação escolar. Campinas-SP: Autores Associados, 2012.

SOUZA, Daniele Cristina; NETO, Diógenes Valdanha. A educação do campo como caminho para a transformação social: notas desde o Triângulo Mineiro. Cadernos CIMEAC, v. 8, n. 1, p. 213-231, 2018. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/cimeac/article/view/2952/3677. Acesso em: 12 abr. de 2020.

TRAJBER, Raquel; MENDONÇA, P. R. Educação na diversidade: o que fazem as escolas que dizem que fazem educação ambiental / Org: TRAJBER, R.; MENDONÇA, P. R. Brasília: Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/publicacao5.pdf. Acesso em: 12 abr. de 2020.

TOZONI-REIS, Marília Freitas de Campos. Princípios metodológicos da Educação Ambiental. In: Metodologias Aplicadas à Educação Ambiental. São Paulo: IESDE, 2012.

TOZONI-REIS, Marília Freitas de Campos. Pesquisa-ação em educação ambiental. Pesquisa em Educação Ambiental, v. 3, n. 1, p. 155-169, 2008.

Downloads

Publicado

2020-08-31

Como Citar

Mendes, C. B., & Maia, J. S. da S. (2020). A educação ambiental e a educação do campo diante das interferências do agronegócio: compreensões de professores de escolas públicas. Ambiente &Amp; Educação, 25(2), 104–126. https://doi.org/10.14295/ambeduc.v25i2.11500

Edição

Seção

Dossiê: Pesquisas e Práticas em Educação Ambiental e Educação do Campo