A ambientalização do currículo em escolas próximas à unidades de conservação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/ambeduc.v25i2.11456

Palavras-chave:

ambientalização, educação ambiental, educação do campo, currículo

Resumo

O objetivo foi identificar e compreender as questões que agem em prol da ambientalização do currículo e as que que se constituem como desafios para esse processo. O estudo ocorreu em uma escola do campo situada próximo ao Parque Estadual de Itapuã, RS. Utilizou-se uma abordagem etnográfica, com análise a partir de triangulação das fontes consultadas. Os resultados mostram que o engajamento dos professores com as questões ambientais, a gestão escolar, o espaço físico e as práticas pedagógicas podem contribuir com a ambientalização do currículo. As principais dificuldades estão relacionadas aos recursos financeiros e à mobilização dos estudantes para a preocupação ambiental e para a valorização do lugar. Environmentalization of the curriculum in schools near conservation areas The objective of this study was to identify and understand actions in favour of the environmentalization of the curriculum, and issues that constitute challenges for this process. The study took place in a rural school located near the Itapuã State Park, RS, Brazil. An ethnographic approach was applied, with analysis based on the triangulation of the sources consulted. The results show that the engagement of teachers with environmental issues, school management, physical space and pedagogical practices can contribute to the environmentalization of the curriculum. The main difficulties are related to financial resources, and engaging students with environment awareness and appreciation of the place. Keywords: Environmentalization. Environmental Education. Rural education. Curriculum.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Taís Cristine Ernst Frizzo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

É graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1999), Mestre em Ecologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2002) e Doutora em Educação da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2018). Desde 2007, é professora efetiva do Departamento de Ciências Exatas e da Natureza, Colégio de Aplicação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Referências

ARAÚJO, Adelmo Fernandes de. Projetos de trabalho em Educação Ambiental: uma alternativa transdisciplinar à prática docente. 2011. 150 f. Dissertação (Mestrado em Ensino das Ciências)-Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2011.

BORGES, Carla. Introdução. In: BRASIL. Ministério da Educação. Espaços educadores sustentáveis. Salto para o futuro, ano XXI, n. 07, p. 04-10, jun. 2011.

BORGES, Eliane; DUARTE, Tatiana da Silva; HOFFMANN, Marilisa Bialvo. Visões de sustentabilidade na Escola Municipal de Ensino Fundamental Frei Pacífico – Viamão/RS. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação (Licenciatura em Educação do Campo – Ciências Da Natureza)- Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

BORGES, Marcelo Gules. Formas de aprender em um mundo mais que humano: emaranhados de pessoas, coisas e instituições na ambientalização do contexto escolar. 2014. 197f. Tese (Doutorado em Educação)- Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução CNE/CEB 1, de 3 de abril de 2002. Institui Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Brasília, 03 abr. 2002. Disponível em:<http://pronacampo.mec.gov.br/images/pdf/mn_resolucao_ 1_de_3_de_abril_de_2002.pdf>. Acesso em:12 mai. 2020.

BRASIL. Decreto no 7.083, de 27 de janeiro de 2010. Dispõe sobre o Programa Mais Educação. Brasília, 27 de jan. de 2010. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7083.htm>. Acesso em: 03 nov. 2017.

BRASIL. Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Brasília, 18 jul. 2000. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm>. Acesso em: 06 mai. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Espaços educadores sustentáveis. Salto para o futuro, ano XXI, n. 07, jun. 2011.

CAPORAL, Francisco Roberto; COSTABEBER, José Antônio. Agroecologia e extensão rural: contribuições para a promoção do desenvolvimento rural sustentável. Porto Alegre: 2004. Disponível em: <http://www.emater.tche.br/site/arquivos_pdf/teses/ agroecologia e extensao rural contribuicoes para a promocao d e desenvolvimento rural sustentavel.pdf>. Acesso em 25 out. 2017.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura; FARIAS, Carmen Roselaine; PEREIRA, Marcos Villela. A missão “ecocivilizatória” e as novas moralidades ecológicas: a educação ambiental entre a norma e a antinormatividade. Ambiente e Sociedade, Campinas, v. 14, n. 2, p. 35-49, jul./dez. 2011.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. A invenção ecológica: narrativas e trajetórias da educação ambiental no Brasil. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

CARVALHO, Isabel Cristina Moura; TONIOL, Rodrigo. Ambientalização, cultura e educação: diálogos, traduções e inteligibilidades possíveis desde um estudo antropológico da educação ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, v. 1, p. 28-39, 2010.

CASANOVA, Ananda. “A consciência muito grande” da educação ambiental: a experiência escolar no município de Garopaba/Santa Catarina (2013). 2014. 125 f. Dissertação (Mestrado em Educação)-Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

FARIAS, Carmem Roselaine de Oliveira. A ambientalização do currículo do ensino básico segundo nossos olhares e práticas de pesquisa. In: CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS, 9., 2013, Girona: 2013. Anais do IX Congresso Internacional sobre Investigación en Didáctica de Las Ciencias. Girona: 2013. Disponível em <http://www.raco.cat/index.php/Ensenanza/article/view/307065>. Acesso em 11 dez. 2017.

FORQUILHA, Salvador. Inquérito de Terreno: É possível falar de rigor em metodologias qualitativas? Em que condições e usando que critérios? Maputo: IESE, 2013. Disponível em <http://www.iese.ac.mz/lib/publication/outras/TD/TD-SF.pdf>. Acesso em 13 nov. 2015.

FRIZZO, Taís Cristine Ernst. Ambientalização do currículo no Brasil: levantamento de teses e dissertações entre 2011 e 2014. Educação por Escrito, v. 8, n. 1, 2017, p. 67-84.

FRIZZO, Taís Cristine Ernst. Educação e Natureza: os desafios da ambientalização em escolas próximas a unidades de conservação. 2018. 281 f. Tese (Doutorado em Educação)-Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

GROHE, Sandra Lilian Silveira. Escolas Sustentáveis: três experiências no município de São Leopoldo - RS. 2015. 135 f. Dissertação (Mestrado em Educação)-Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

KLIMA, Marlou Cristina. Educação, questões socioambientais e construção da cidadania planetária: um estudo em Escolas Municipais de Ensino Fundamental da cidade de Encantado – RS. 2013. 117 f. Dissertação (Mestrado em Ambiente e Desenvolvimento)- Centro Universitário UNIVATES, Lajeado, 2013.

LEITE LOPES, José Sergio. Sobre processos de ambientalização dos conflitos e sobre dilemas da participação. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 12, n 12, p. 31-64, 2006.

MACHADO, Júlia Teixeira. Um estudo diagnóstico da Educação Ambiental nas escolas do ensino fundamental do município de Piracicaba/SP.2007. 192p. Dissertação (Mestrado em Ecologia Aplicada) - Interunidades da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”; Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA), Piracicaba, São Paulo, 2007.

MEIRELES, Camila P.; SANTOS, Douglas Camelo R. dos; PIMENTEL, Douglas de S. Caminhos para a educação ambiental em parques. Revista Eletrônica Uso Público em Unidades de Conservação. Niterói, RJ. Vol. 6, no 10. 2018, p. 55-70.

MELO, José Carlos de. Por entre as águas do sertão: currículo & educação ambiental das escolas rurais do Jalapão. 2011. 257 f. Tese (Doutorado em Educação)-Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2011.

MOREIRA, Tereza. Escola sustentável: currículo, gestão e edificação. In: BRASIL. Ministério da Educação. Espaços educadores sustentáveis. Salto para o futuro, ano XXI, n. 07, p. 17-22, jun. 2011.

OLIVEIRA, Haydée Torres de. Educação ambiental – ser ou não ser uma disciplina: essa é a principal questão?! In: MELLO, Soraia Silva de; TRAJBER, Rachel (orgs.). Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola. Brasília: Ministério da Educação, Coordenação Geral de Educação Ambiental: Ministério do Meio Ambiente, Departamento de Educação Ambiental: UNESCO, 2007,p. 103-114.

PIRES, Mateus Marchesan. Educação ambiental e suas representações no cotidiano da escola. 2011. 199 f. Dissertação (Mestrado em Geografia)-Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Toledo, 2011.

SANTANA, Gildo Rafael de Almeida; GAMA, José Aparecido da Silva; SANTOS, Eliane Barbosa. Análise da inserção da educação ambiental nas escolas estaduais da região central da Área de Proteção Ambiental Costa dos Corais (AL). Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v. 13, n. 4: 216-227, 2018.

SANTANA, Patrícia Mariana da Costa. Projetos de Educação Ambiental Na Rede Municipal de Ensino de Mogi Mirim: desafios à prática pedagógica. 2013. 117 f. Dissertação (Mestrado em Tecnologia)-Universidade Estadual de Campinas, Limeira, 2013.

SANTOS, Lilian Souza; TEIXEIRA, Marcos. Educação ambiental nas escolas da Serra da Jiboia (BA): possibilidades de contribuições com o projeto de educação do campo. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v.11, n. 2, p. 385-399, 2016.

SANTOS, Milton Almeida dos. O Lugar: Encontrando O Futuro. Rua Revista de Arquitetura e Urbanismo, v. 6, p. 34-39, 1997.

SCHMITT, Estela Lidia. Olhar atento para a educação ambiental nas escolas do campo. 139f. Dissertação (Mestrado em Geografia)- Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão, 2017.

SILVA, Renata. Entre questões ambientais e educacionais: ambientalização do currículo na região do Alto Capibaribe, Pernambuco. 2013. 268f. Dissertação (Mestrado em Ensino das Ciências)-Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2013.

SOUZA, Wesley de; AGUIAR, Renata Gonçalves. Educação ambiental em duas escolas localizadas no entorno da Reserva Biológica do Jaru – Amazônia Ocidental. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, v. 13, n. 1: 172-191, 2018.

TRAJBER, Rachel; MENDONÇA, Patrícia Ramos. (orgs.) Educação na diversidade: o que fazem as escolas que dizem que fazem educação ambiental. Brasília: Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2007.

VALOIS, Raquel Souza. Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola (COM-VIDA): análise de uma política pública de educação ambiental e sua implementação em duas escolas de Teresina-Piauí. 2013. (Mestrado em Educação)- Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2013.

ZAGO, Nadir. Migração rural-urbana, juventude e ensino superior. Revista Brasileira de Educação, v. 21, n. 64, jan.-mar. 2016, p. 61-78.

ZAKRZEVSKI, Sônia Balvedi. A Educação Ambiental nas escolas do campo. In: MELLO, Soraia Silva de; TRAJBER, Rachel (orgs.). Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola. Brasília: Departamento de Educação Ambiental: UNESCO, 2007, p. 199-208.

ZAKRZEVSKI, Sônia Balvedi. Por uma Educação Ambiental crítica e emancipatória no meio rural. Revista Brasileira de Educação Ambiental, Brasília, v. 1, n. 0, p. 79-86, 2004.

Downloads

Publicado

2020-08-31

Como Citar

Ernst Frizzo, T. C. (2020). A ambientalização do currículo em escolas próximas à unidades de conservação. Ambiente &Amp; Educação, 25(2), 50–72. https://doi.org/10.14295/ambeduc.v25i2.11456

Edição

Seção

Dossiê: Pesquisas e Práticas em Educação Ambiental e Educação do Campo