Aportes da ecologia política para a construção de uma educação ambiental de base comunitária no contexto latino-americano: narrando a experiência de um Curso de Extensão Universitária

Celso Sánchez, Stephanie Di Chiara Salgado, Sônia Terezinha de Oliveira

Resumo


Este trabalho pretende trazer aportes para consolidação de uma Educação Ambiental (EA) de Base Comunitária, que vem sendo formulada a partir dos acúmulos de pesquisa do Grupo de Estudos em Educação Ambiental desde el Sur (GEASur), através do diálogo entre o campo da EA Crítica em articulação com a Ecologia Política Latino-Americana e a Educação Popular. Para tal, iremos descrever e discutir a experiência de um curso de extensão oferecido pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), através do GEASur, que ocorreu de 2017 a 2019, em três edições. Para tanto, refletiremos também sobre o papel da extensão universitária na formação de educadores e ativistas socioambientais críticos, com a intenção de responder às demandas da educação ambiental em territórios que enfrentam conflitos ambientais.

Palavras-chave


Curso de Extensão Universitária; Educação Ambiental de Base Comunitária; Ecologia Política; América Latina.

Texto completo:

PDF

Referências


ACSELRAD, Henri. Justiça ambiental: ação coletiva e estratégias argumentativas. In: ACSELRAD, Henri, et al (Ed.). Justiça ambiental e cidadania. 2.ed. Rio de Janeiro: Relume Dumará: Fundação Ford, 2004. p.23-37. ISBN 8573163534.

ALIMONDA, Hector. La colonialidad de la naturaliza: una aproximación a la ecología política latinoamericana in ALIMONDA, Hector (coord.). La naturaleza colonizada: ecología política y minería en América Latina. Buenos Aires: CLACSO, 2011.

ALIMONDA, Héctor; TORO, CatalinaPérez; MARTÍN, Facundo (coord.). Ecología política latinoamericana: pensamiento crítico, diferencia latinoamericana y rearticulación epistémica. 1ª ed. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: CLACSO; México: Universidad Autónoma Metropolitana; Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Ciccus, 2017.

AQUINO, Mahalia Gomes de Carvalho. Aprender a ser atingido: Educação e lutas socioambientais diante da tragédia do rompimento da Barragem de Fundão (Mariana - MG) no Rio Doce e afluentes. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. 2018.

BULLARD, Robert. “Ética e racismo ambiental”.Revista Eco 21, ano XV, Nº 98, janeiro/2005.

CAMARGO, Daniel Renaud. Lendas, Rezas e Garrafadas: Educação ambiental de base comunitária e os saberes locais no vale do Jequitinhonha. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.

DUSSEL, Enrique. 1492 o encobrimento do outro: a origem do mito da modernidade. Tradução Jaime A. Clasen. Petrópolis: Vozes, 1993.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Editora: Paz e Terra, 2007.

GONÇALVES, Nadia Gaioffato. “Indissociabilidade entre Ensino, Pesquisa e Extensão: um princípio necessário”.PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 33, n. 3, p. 1229 - 1256, set./dez. 2015.

LAYRARGUES, Philippe Pomier; LIMA, Gustavo Ferreira da Costa. “As macrotendências político-pedagógicas da educação ambiental brasileira”. Ambiente & Sociedade. São Paulo, v. XVII, n. 1, p. 23-40, jan.-mar, 2014.

_____. “Mapeando as macro-tendências político-pedagógicas da Educação Ambiental contemporânea no Brasil”. In: VI Encontro Pesquisa e Educação Ambiental – EPEA. Ribeirão Preto: EPEA, set. 2011.

LAYRARGUES, Philippe Pompier (coord).Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Ministério do Meio Ambiente. Diretoria de Educação Ambiental – Brasília, 2004.

_____. A crise ambiental e suas implicações na educação. In: José da Silva Quintas. (Org.). Pensando e praticando a educação ambiental na gestão do meio ambiente. 2ed.Brasília: IBAMA, 2002, p. 159-196.

LEFF, Enrique. Racionalidade Ambiental: a reapropriação social da natureza. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo (Org.). Educação ambiental, gestão pública, movimentos sociais e formação humana: uma abordagem emancipatória. 1ed. São Carlos: RIMA, 2009, p. 1-14.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; LAYRARGUES, Phillippe Pompier. “Ecologia política, justiça e educação ambiental crítica: perspectivas de aliança contra-hegemônica”. Revista Trab. educ. saúde. vol.11 n.1 Rio de Janeiro Jan./Abr. 2013.

MENEZES, Anne Kassiadou [et al] (org.). Educação Ambiental desde El Sur. Macaé: Editora NUPEM, 214 p.,2018.

MENEZES, Anne Kassiadou. Escolas Sustentáveis e Conflitos Socioambientais: Reflexões sobre o programa governamental das Escolas Sustentáveis sob a ótica da Justiça Ambiental. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. 2018.

MIGNOLO, Walter. D. El Pensamiento Decolonial: Desprendimiento y Apertura. Un manifesto. In: CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramón (orgs). El Giro Decolonial: Reflexiones para una diversidad epistemica más alládel capitalismo global. Bogotá: Siglo del hombre Editores, 2007.

MOTA NETO, João Colares da. Por uma pedagogia decolonial na América Latina: reflexões em torno do pensamento de Paulo Freire e Orlando Fals Borda. Curitiba: CRV, 2016.

OLIVEIRA, Carolina Alves Gomes de; SÁNCHEZ, Celso Pereira. “Educação ambiental, justiça ambiental e questões de gênero: a perspectiva de um grupo de educadoras ambientais comunitárias de Magé, RJ”. Rev. Eletrônica Mestr. Educ. Ambient. Rio Grande, v. 35, n. 1, p. 151-170, jan./abr. 2018. E-ISSN 1517-1256

PELACANI, Bárbara. As lutas que educam na América Latina: A Educação Ambiental que emerge do conflito pela água em Cachoeiras de Macacu com um olhar desde a Colômbia. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. “Da geografia às geo-grafias: um mundo em busca de novas territorialidades”. In: La guerra infinita. Hegemonía y terror mundial. CECEÑA, Ana Esther; SADER, Emir. [Orgs]. Rio de Janeiro, CLACSO. Vozes. LPP, 2002

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad del poder y clasificación social. In Castro-Gómez, Santiago y Grosfoguel, Ramón (comps.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más alládel capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre/Universidad Central/Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos y Pontificia Universidad Javeriana / Instituto Pensar, 2007.

QUIÑONEZ, Santiago Arboleda. “Defensa Ambiental, Derechos Humanos y ecogenoetnocidio afrocolombiano”. Pesquisa em Educação Ambiental, vol.13, n.1–p.10-27, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.18675/2177-580X.vol13.n1.p10-27

RIOS, Natália Tavares. Educação Ambiental e Direitos Humanos na formação inicial de professores de Ciências Biológicas. Tese (Doutorado em Educação), Programa de Pós-Graduação em Educação. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUC. 2016.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do Pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. In: SANTOS, Boaventura; MENESES, Maria Paula. Epistemologias do Sul. Editora Cortez, 1ª Ed, 2010.

SILVA, Júlio Vitor Costa da. Sociedades de água do Morro da Formiga: subsídios para educação ambiental de base comunitária e ecologia de saberes em uma favela carioca. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.

STORTTI, Marcelo Aranda. Aprender a resistir e resistir para aprender: um estudo sobre a educação ambiental que emerge das lutas de atingidos pela indústria do petróleo no Rio de Janeiro. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, p. 179, 2019.

TAVARES, Paula. Ritos de passagem. Luanda: União dos Escritores Angolanos, 1985, p. 30-31.

TOZONI-REIS, Marília Freitas de Campos. Contribuições para uma pedagogia crítica na educação ambiental: reflexões teóricas. In: LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo (org.) [et al.]. A questão ambiental no pensamento crítico: natureza, trabalho e educação. Rio de Janeiro: Quartet, 2007.

WALSH, Catherine. ¿Interculturalidad y (de)colonialidad? Gritos, grietas y siembras desde Abya-Yala. In: DINIZ, Alai Garcia, et. al. (orgs.). Poéticas e políticas da linguagem em vias de descoloniazação. Pedro &Joâo Editores: São Carlos-Brasil. 2017.

______, Catherine. “[Interculturalidad] Políticas y significados conflictivos”. Nueva Sociedad, v.165, enero-febrero, p.121-133, 2000.

WANDERLEY, Luiz Jardim [et al]. “Desastre da Samarco/Vale/BHP no Vale do Rio Doce: aspectos econômicos, políticos e socioambientais”. Ciência e Cultura, v. 68, p. 30-35, 2016.




DOI: https://doi.org/10.14295/ambeduc.v25i1.11158

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter