Apropriação da riqueza do trabalho e da natureza pelo capital no Brasil: reflexões a partir de Karl Marx e Florestan Fernandes

Autores

  • Tainara Fernandes Machado
  • Guilherme Luiz Krucinski Tortelli

DOI:

https://doi.org/10.14295/ambeduc.v23i3.8646

Palavras-chave:

Karl Marx. Florestan Fernandes. Trabalho. Natureza. Exploração

Resumo

O trabalho ao transformar a natureza agrega/cria valor. Esse que no capitalismo é apropriado pelos capitalistas e, na história do Brasil, que foi de escravidão e autoritarismo, criou uma sociedade racista, excludente e exploradora; sem pudor para com os trabalhades e a natureza. A partir de Karl Marx discutimos a relação sociedade x natureza e o papel do trabalho; e, com Florestan Fernandes, as particularidades da dominação capitalista no Brasil. Após, analisa-se criticamente os retrocessos dos direitos trabalhistas e sociais gerados pelas reformas promovidos pelo governo de Michel Temer e referendada por empresários, banqueiros, militares e classe média. Estes que, até o momento, prepararam o caminho para Bolsonaro poder ampliar a exploração tanto da natureza, quanto dos trabalhador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-12-22

Como Citar

Machado, T. F., & Krucinski Tortelli, G. L. (2018). Apropriação da riqueza do trabalho e da natureza pelo capital no Brasil: reflexões a partir de Karl Marx e Florestan Fernandes. Ambiente &Amp; Educação, 23(3), 32–61. https://doi.org/10.14295/ambeduc.v23i3.8646

Edição

Seção

Dossiê Karl Marx 200 Anos: natureza e o marxismo ecológico