Sou UNB jogo limpo: investigação-ação como fundamento de uma prática de educação ambiental e gestão de resíduos sólidos que integra trabalho, ensino, pesquisa e extensão

Carlos Hiroo Saito, Carolina Cristina de Barros, Clênia de Souza Correia Martins, Heloisa Cristina Schumacher, Tatiana Bortoluzzi Cardoso, Elisabeth Brandão Dourado, Fernanda Queiros Assunção, Cleiton de Souza Correia, Chandra Wood Viegas, Elisabeth R. Barros, Maria José Cunha

Resumo


A universidade de Brasília vem discutindo desde 1998 a implantação de um programa de coleta seletiva de lixo no campus, que mais tarde veio a ser denominado: Sou UNB Jogo Limpo – Programa de Coleta Seletiva de Lixo. O grupo de trabalho original, constituído por resolução da Reitoria (Resolução 070/98), é representado por diferentes unidades acadêmicas e administrativas e está hoje sobre a coordenação do Departamento de Ecologia e do Decanato de Assuntos Comunitários. No segundo semestre de 1999 incorporaram-se oito bolsistas de graduação (bolsa permanência, normalmente utilizadas para recrutar estudantes para atuar em atividades-meio de caráter burocrático) para realizar um diagnóstico preliminar de caracterização do lixo produzido pela comunidade universitária. Buscamos integrar trabalho, ensino, pesquisa e extensão e adotamos como teoria-guia a Investigação-Ação Educacional na estruturação do Grupo de Trabalho de Resíduos Sólidos. Dessa forma, privilegiamos o componente participativo, em que estudantes-bolsistas eram levados a atuar como membros de uma equipe que pesquisava e atuava sobre a problemática do lixo no campus universitário. Estes estudantes-bolsistas receberam como função caracterizar o lixo, pesando, calculando o volume, separando e classificando seu conteúdo, além de participar de seminários, grupos de estudo, visitas a depósitos de lixo, reuniões junto a órgãos do governo e com catadores de lixo, e elaboração de pareceres técnicos. Nas reuniões e outras atividades de trabalho, vivenciaram a construção de uma comunidade, nos moldes da investigação-ação. No ano de 2000, a incorporação de novos estudantes-bolsistas permitiu que os estudantes mais antigos no projeto atuassem na co-orientação destes novos membros. A vivência de um processo coletivo de investigação e ação permite integrar trabalho, ensino, pesquisa e extensão em âmbito da universidade, de forma a contribuir positivamente para a formação de um profissional crítico e autônomo.

Palavras-chave


Resíduos sólidos; coleta seletiva; agenda institucional; investigação-ação.

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter