"Povos que têm sua vida organizada pela natureza e pelos seus ciclos vitais":

narrativas sobre povos tradicionais, relações com a natureza e sustentabilidade

Autores

  • Thaís Presa Martins Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Nádia Geisa Silveira de Souza Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

DOI:

https://doi.org/10.14295/ambeduc.v27i1.13463

Palavras-chave:

transtorno do déficit de natureza, produção cultural dos sujeitos, produção cultural da natureza, relação homem e natureza, estudos culturais, Educação Ambiental

Resumo

A narrativa enquanto forma discursiva imbricada a relações de saber/poder integra a constituição das subjetividades. Entendo as histórias que contam sobre as relações dos povos tradicionais com a natureza como construções sócio-históricas. Analiso ditos acerca do modo de vida dos povos tradicionais com a natureza para os sujeitos do consumo, urbanos. Para tanto, utilizo ferramentas dos Estudos Culturais, em sua vertente pós-estruturalista. O material audiovisual “A natureza e as Culturas Tradicionais” aborda a visão de natureza em diferentes culturas, e foi escolhido por integrar a rede constitutiva do “Transtorno do Déficit de Natureza” (TDN). O vídeo ensina sobre a falta de contato com a natureza, o TDN e os povos tradicionais como grupos sociais em equilíbrio com a natureza, modelos de sustentabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thaís Presa Martins, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Bióloga pela PUCRS, Especialista em Gestão da Qualidade para o Meio Ambiente pela PUCRS e Mestra em Educação em Ciências pela UFRGS.

Nádia Geisa Silveira de Souza, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1976), mestrado em Ciências Biológicas (Bioquímica) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1996) e doutorado em Ciências Biológicas (Bioquímica) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2001). Atualmente é professora aposentada, atua como colaboradora convidada da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: corpo, práticas escolares, ensino de biologia, estudos culturais e hábitos alimentares.

Referências

AGUIAR, José Vicente de Souza. Narrativas sobre Povos Indígenas na Amazônia. 2011. 125f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/49075. Acesso em: 28 fev. 2021.

ALANA. A Natureza e as Culturas Tradicionais. 13 abr. 2017. Disponível em: https://criancaenatureza.org.br/nossas-acoes/nossos-videos/. Acesso em: 20 jun. 2021.

BAUMAN, Zygmunt. Confiança e Medo na Cidade. AGUIAR, E. (trad.). Rio de Janeiro: Zahar, 2009. 94p.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. A Questão Ambiental e a Emergência de um Campo de Ação Político-Pedagógica. In: LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P.; CASTRO, R. S. (Orgs.). Sociedade e Meio Ambiente: a educação ambiental em debate. 7 ed. São Paulo: Cortez, 2012. p. 55-67.

COMISSION ON ENVIRONMENT AND DEVELOPMENT. Our Commom Future. 1987. 300p. Disponível em: https://sustainabledevelopment.un.org/content/documents/5987our-commonfuture.pdf. Acesso em: 13 jun. 2021.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. “O Dispositivo Pedagógico da Mídia: modos de educar na (e pela) TV”. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 28, n. 1, jun. 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/88GzhyjNGG9pLt6NQchCf3j/?lang=pt. Acesso em: 14 jun. 2021.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. MACHADO, R. (org., trad., rev. tec.). 3 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015. 431p.

___________. Ditos e Escritos, volume V: ética, sexualidade, política. FOUCAULT, M. 3 ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2017. 325p.

LARROSA, Jorge. Narrativa, Identidad y Desidentificación. In: LARROSA, J. La Experiencia de la Lectura. Barcelona: Laertes, 1996. p. 461-482.

LOUV, Richard. A Última Criança na Natureza: resgatando nossas crianças do transtorno do déficit de natureza. AZUMA, A.; BELHASSOF, C. (trad.). 1 ed. São Paulo: Aquariana, 2016. 412p.

MARTINS, Thaís Presa. As Naturezas de Natura Ekos: vídeos publicitários constituindo consumidores “sustentáveis”. 2016. 210f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências) – Instituto de Ciências Básicas da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/143381. Acesso em: 28 fev. 2021.

SAMPAIO, Shaula Maíra Vicentini de. “Uma Floresta Tocada apenas por Homens Puros...” ou do que aprendemos com os discursos contemporâneos sobre a Amazônia. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/49082. Acesso em: 28 fev. 2021.

SWYNGEDOUW, Erik. “¡La Naturaleza no Existe! La sostenibilidad como síntoma de una planificación despolitizada”. Urban, 2011. p. 41-66.

Downloads

Publicado

2022-08-03

Como Citar

Presa Martins, T. ., & Silveira de Souza, N. G. (2022). "Povos que têm sua vida organizada pela natureza e pelos seus ciclos vitais": : narrativas sobre povos tradicionais, relações com a natureza e sustentabilidade. Ambiente &Amp; Educação, 27(1), 1–23. https://doi.org/10.14295/ambeduc.v27i1.13463