Natureza e Sociedade: uma recuperação da trajetória do marxismo ecológico e seu impacto nas pesquisas das ciências ambientais no Brasil

Autores

  • Ivan Penteado Dourado Universidade de Passo Fundo - UPF Programa de Pós-Graduação em Educação - FAED https://orcid.org/0000-0002-4529-831X
  • Gabriela Dias Blanco Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.14295/ambeduc.v23i3.8354

Palavras-chave:

Marxismo Ecológico, Ecossocialismo, Sociologia Ambiental, Ciências Ambientais

Resumo

A criação de novas linhas e áreas de pesquisas, suas articulações e tentativas de superação das fronteiras estanques das disciplinas, constituem elementos ricos para entender a própria constituição do pensamento científico. No momento em que a Sociologia passa a se ocupar também pelos problemas ambientais, diferentes perspectivas emergem no campo das pesquisas sobre o ambiente, entre elas a do Marxismo Ecológico/Ambiental. A presente pesquisa objetiva resgatar a riqueza da perspectiva conhecida como Marxismo Ecológico, mapeando o impacto desta nas pesquisas oriundas de programas de pós-graduação do campo das Ciências Ambientais no Brasil. Esse mapeamento encontrou um grupo muito restrito de pesquisas que dialogam com essa perspectiva, indicando a necessidade de uma agenda de pesquisa futura e o estímulo para a inserção de suas problematizações nos debates sobre a questão ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivan Penteado Dourado, Universidade de Passo Fundo - UPF Programa de Pós-Graduação em Educação - FAED

Graduado em Ciências Sociais - UFRGS Mestre em Ciências Sociais pela PUC - RS (Dissertação - Economias Solidárias - Três níveis de representação em múltiplos sentidos. Doutorando em Educação - UPF - RS

Gabriela Dias Blanco, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS

Downloads

Publicado

2018-12-22

Como Citar

Dourado, I. P., & Dias Blanco, G. (2018). Natureza e Sociedade: uma recuperação da trajetória do marxismo ecológico e seu impacto nas pesquisas das ciências ambientais no Brasil. Ambiente &Amp; Educação, 23(3), 85–104. https://doi.org/10.14295/ambeduc.v23i3.8354

Edição

Seção

Dossiê Karl Marx 200 Anos: natureza e o marxismo ecológico