A educação popular em uma perspectiva contra hegemônica: reflexões acerca do capitalismo e as questões socioambientais

Autores

  • Priscilla Pantoja do Nascimento Brandão UNIFAP
  • Marcelo Conceição da Rocha Campos UNIFAP
  • Ângela do Céu Ubaiara Brito UEAP

DOI:

https://doi.org/10.14295/ambeduc.v24i1.7936

Palavras-chave:

Capitalismo. Educação popular. Contra-hegemonia.

Resumo

Neste trabalho analisou-se os desdobramentos socioambientais e mazelas sociais decorrentes do projeto ICOMI, no Igarapé da Fortaleza-AP, fazendo um diálogo com a educação popular. Investigou-se quais as contribuições da educação popular, como instrumento de emancipação do indivíduo – que podem ser um caminho para atenuar as questões socioambientais no Igarapé da Fortaleza-AP? A metodologia se alicerçou no paradigma qualitativo, subsidiada pela pesquisa bibliográfica. Identificou-se que a ocupação das áreas do Igarapé da Fortaleza-AP, a partir do desenvolvimento de atividades econômicas, colaborou, para o aumento dos problemas socioambientais. O estudo contribuiu para identificar que as propostas de empoderamento popular se configuram como um diálogo e reflexões que podem minimizar os problemas sociais, e de libertação, pautados na educação popular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Priscilla Pantoja do Nascimento Brandão, UNIFAP

Graduada em Licenciatura em Pedagogia pela Universidade do Estado do Amapá - UEAP, (2017). Mestranda em Educação, pertencente a linha de Pesquisa de Educação, Culturas e Diversidades, da Universidade Federal do Amapá - UNIFAP. Pesquisadora, membro do grupo Pesquisa Ludicidade, Inclusão e Saúde (LIS), colaboradora da Brinquedoteca - UEAP, Participante e monitora voluntária do projeto de pesquisa e extensão "Tenda educativa de jogos: Brincar e aprender com a luz" e no Curso de extensão "Formação de Professor Educador da Infância", ofertados na UEAP, para os educadores de Escolas Publicas do Amapá. Participante do projeto de implementação da brinquedoteca Conselho Tutelar da Zona Norte de Macapá. Atualmente desenvolve pesquisas relacionadas ao saberes culturais do brincar ribeirinho no arquipélago do bailique-AP.

Marcelo Conceição da Rocha Campos, UNIFAP

Graduado em Licenciatura Plena em Letras (2008) pela Universidade Federal do Amapá (UNIFAP), Bacharel em Direito (2015) pela Universidade Federal do Amapá (UNIFAP). Especialista em Gestão do Trabalho Pedagógico: Supervisão Escolar e Orientação Educacional pela Faculdade Atual (2010). Mestrando em Educação, pertencente à linha de pesquisa Educação, Culturas e Diversidades, da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP). Técnico em Informática. Falante de nível intermediário da Língua Francesa. Advogado. Atualmente, desenvolve suas atividades de servidor público como professor de Língua Portuguesa e Literatura, em turmas de 2º e 3º ano. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa e Literatura.

Ângela do Céu Ubaiara Brito, UEAP

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo- USP (2013), Mestre em Direito Ambiental e Políticas Públicas pela Universidade Federal do Amapá- UNIFAP (2008) e graduada em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade Federal do Amapá- UNIFAP (1999). Líder do Grupo de Pesquisa Ludicidade, inclusão e Saúde (LIS). Membro do Grupo de Pesquisa Contextos Integrados de Educação Infantil, da Faculdade de Educação da USP (FEUSP). Consultora pedagógica em unidade escolar pública e privada. Coordenadora da sala ambiente Projeto Vivencial do curso de Especialização em Gestão Escolar da Universidade Federal do Amapá (Programa Escola de Gestores_ MEC). Avaliadora de projetos educacionais a nível de extensão e especialização doCentro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC). Atualmente é professora da Universidade do Estado do Amapá, atua no Colegiado de Pedagogia (UEAP). Presidente da Comissão Própria de Avaliação da Universidade do Estado do Amapá. Coordenadora dos Projetos de Extensão Formação do Educador da Infância (início em 2015); Ludicidade e Saúde (desde de 2014). Coordenadora da Brinquedoteca da Universidade do Estado do Amapá. Autora do livro Práticas de Mediação e o Brincar na Educação Infantil (ISBN: 978-85-8148-830-1) publicado pela editora Paco/SP2015. Tem experiência na área de Pesquisa da Infância e Educação Básica atuando, principalmente, nos seguintes temas: alfabetização e letramento, Jogos, brinquedos e brincadeiras, Formação de Professores e Política Públicas para a Infância.

Downloads

Publicado

2019-05-28

Como Citar

Brandão, P. P. do N., Campos, M. C. da R., & Brito, Ângela do C. U. (2019). A educação popular em uma perspectiva contra hegemônica: reflexões acerca do capitalismo e as questões socioambientais. Ambiente &Amp; Educação, 24(1), 54–74. https://doi.org/10.14295/ambeduc.v24i1.7936

Edição

Seção

Artigos