A relação entre o ser humano e a Arraia de água doce: duas faces de uma mesma moeda

Autores

  • Yara Gomes Corrêa Instituto Federal do Tocantins; Faculdade Católica do Tocantins.
  • Carla Simone Seibert Universidade Federal do Tocantins

Palavras-chave:

Arraias de Água Doce. Seres Humanos. Bioética. Equilíbrio Ambiental. Educação Ambiental.

Resumo

Arraias de Água Doce e Seres Humanos frequentemente se envolvem em acidentes às suas margens. Este artigo tem como objetivo contextualizar a problemática relativa ao equilíbrio ambiental entre ambos os animais, sobretudo nos seus aspectos: ecológicos, fisiológicos, evolutivos e inter-relacionais; este último, perpassando pela bioética da relação entre os Animais Humanos e os Animais Não Humanos; e ainda, elencando as possibilidades de promoção do equilíbrio ambiental sadio em suas relações, fundamentando-o e aproximando-o da educação ambiental. Os resultados indicaram nove possibilidades que apontam formas de se abordar este assunto no contexto da educação ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yara Gomes Corrêa, Instituto Federal do Tocantins; Faculdade Católica do Tocantins.

Professora do Instituto Federal do Tocantins desde 2011; Professora da Faculdade Católica do Tocantins desde 2009; 23 anos de docência; especialista em Educação Ambiental e em Política Públicas Educacionais; Mestre em Ciências da Educação pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa - PT; Mestranda em Ciências do Ambiente pela Universidade Federal do Tocantins - UFT, Palmas - TO.

Carla Simone Seibert, Universidade Federal do Tocantins

Professora Dra. da Universidade Federal do Tocantins; Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente.

Downloads

Publicado

2016-11-04

Como Citar

Gomes Corrêa, Y., & Seibert, C. S. (2016). A relação entre o ser humano e a Arraia de água doce: duas faces de uma mesma moeda. Ambiente &Amp; Educação, 21(1), 173–194. Recuperado de https://periodicos.furg.br/ambeduc/article/view/5748

Edição

Seção

Artigos