Políticas socioambientais em gestação na construção do espaço urbano

Autores

  • Ana Elisa Sparano Fontoura
  • Aloísio Ruscheinsky

Palavras-chave:

Meio ambiente. Cidade. Construção. Cidadania.

Resumo

Procuramos demonstrar, neste trabalho, que o resultado de um longo processo de luta pelo direito à moradia poderá contribuir para a implementação de uma nova perspectiva ambiental. Uma política socioambiental deve contar com o trabalho dos moradores, como prática para o exercício da cidadania. Pelos resultados de nossa pesquisa, o aprendizado adquirido sobre o meio ambiente a partir das lutas sociais poderá levar à participação cidadã nos destinos da cidade e, conseqüentemente, dos problemas ambientais. E, ao fazer valer os direitos de cidadania, reconstroem-se também as relações sociais urbanas, possibilitando a emergência de novas perspectivas sobre o meio ambiente. Em conclusão, as gestões democráticas, ao considerarem as demandas populares e as exigências da legislação ambiental, estabelecem as diretrizes para uma política habitacional estruturada na participação, como é o caso dos mutirões autogeridos, efetivando os agentes sociais protagonistas do espaço urbano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Elisa Sparano Fontoura

Atualmente é Professora da Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Possui mestrado em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2005).

Mais informações: Currículo Lattes

Aloísio Ruscheinsky

Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo. Atualmente é professor titular da Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Mais informações: Currículo Lattes

Downloads

Como Citar

Fontoura, A. E. S., & Ruscheinsky, A. (2009). Políticas socioambientais em gestação na construção do espaço urbano. Ambiente &Amp; Educação, 8(1), 157–167. Recuperado de https://periodicos.furg.br/ambeduc/article/view/922

Edição

Seção

Artigos