"Verde que te quero verde": a inserção do adjetivo Ambiental na nomenclatura dos cursos de Graduação em Engenharia Agrícola das Universidades Públicas do Estado do Rio de Janeiro.

Vanessa Marcondes de Souza, Joel de Araujo

Resumo


A demanda crescente por profissionais habilitados a trabalhar com as questões ambientais aumentou consideravelmente o número de cursos Ambientais nos últimos anos. Cursos tradicionais passaram a inserir o adjetivo ambiental no seu nome, como os cursos de graduação em Engenharia Agrícola e Ambiental da UFF e da UFRJ. Assim, o objetivo desse artigo é apresentar as mudanças ocorridas nesses cursos, após a inserção do adjetivo ambiental, bem como, discutir a compreensão sobre as questões ambientais dentro dos mesmos. A metodologia utilizada foi a análise documental e entrevistas com os coordenadores de cursos. A composição do corpo docente é formada em sua maioria por engenheiros com diferentes titulações e são poucas as disciplinas voltadas para o meio ambiente na grade curricular obrigatória. A percepção do meio ambiente predominante nesses cursos é naturalista e/ou antropocêntrica. Prioriza-se a resolução das questões ambientais através de soluções técnicas sem criticas e discussões ao sistema hegemônico vigente.

Palavras-chave


Meio Ambiente; Engenharia Agrícola e Ambiental; Currículo; Instituição de Ensino Superior.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter