Geografias invisíveis: a cidade na consciência e a consciência da cidade. Produção e reprodução da injustiça social

Autores

  • Alexandre Eslabão Bandeira

Palavras-chave:

Cidade, Consciência, Potência Humana

Resumo

O presente trabalho é a tentativa de compreender alguns processos que geram tensões e conflitos dentro do modelo de desenhar a cidade e de viver nela. Para tanto, o que devemos perceber são os arranjos, as formas e os processos, os quais constituem nossas realizações concretas no espaço. O contraponto lançado, pelo caráter invisível, é a relação da existência da potência humana, nos projetos individuais e coletivos, na sua contradição lógica, que é a cidade com os seus paradoxos, a introduzir uma lógica disfuncional que autoorganiza a sociedade e fundamenta a ilusão de pertencimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Eslabão Bandeira

Mestre Alexandre E. Bandeira: Graduado em Geografia Plena FURG; Mestre em Geografia FURG; Tutor/bolsista (distância) no curso de especialização em Educação em Direitos Humanos, do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB)/ FURG e Membro do Grupo de Pesquisa em Política Natureza e Cidade com trabalho na linha de pesquisa Observatório dos conflitos urbanos - FURG; correio eletrônico: aebandeira@gmail.com.

Downloads

Publicado

2012-05-10

Como Citar

Bandeira, A. E. (2012). Geografias invisíveis: a cidade na consciência e a consciência da cidade. Produção e reprodução da injustiça social. Ambiente &Amp; Educação, 16(2), 95–114. Recuperado de https://periodicos.furg.br/ambeduc/article/view/1873

Edição

Seção

Artigos