DA COMUNIDADE QUILOMBOLA PARA A ESCOLA: O LINDÔ NA SALA DE AULA

Autores

  • Walace Rodrigues Universidade Federal do Tocantins http://orcid.org/0000-0002-9082-5203
  • Jane Guimarães Sousa Universidade Federal do Tocantins - UFT
  • Karylleila dos Santos Andrade Universidade Federal do Tocantins - UFT

Palavras-chave:

Ensino, Lindô, Quilombo Cocalinho.

Resumo

Este artigo nasceu a partir das discussões na disciplina de “Tópicos I: Ensino e Valorização da Diversidade”, do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Língua e Literatura (PPGL-UFT) e tem por objetivo discutir e refletir a importância das cantigas de Lindô como fator contribuinte para a valorização cultural do Quilombo Cocalinho. Os resultados mostram que se o Lindô for levado para a sala de aula contribuirá de forma efetiva para valorização cultural, fortalecimento da identidade do sujeito, da autoestima e pode contribuir para o processo de leitura, interpretação e análise linguística nas aulas de língua portuguesa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Walace Rodrigues, Universidade Federal do Tocantins

Professor Adjunto da Universidade Federal do Tocantins – UFT, campus de Araguaína. Doutor em Humanidades pela Universiteit Leiden (Países Baixos). Professor do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Língua e Literatura (PPGL-UFT).

Jane Guimarães Sousa, Universidade Federal do Tocantins - UFT

Graduação em Letras, doutoranda/aluno do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Língua e Literatura (PPGL-UFT).

Karylleila dos Santos Andrade, Universidade Federal do Tocantins - UFT

Professora Adjunto da Universidade Federal do Tocantins – UFT, campus de Araguaína. Doutora em Lingüística pela Universidade de São Paulo - USP. Programa de Pós-Graduação em Ensino de Língua e Literatura (PPGL-UFT).

Downloads

Publicado

2019-10-30

Como Citar

Rodrigues, W., Sousa, J. G., & Andrade, K. dos S. (2019). DA COMUNIDADE QUILOMBOLA PARA A ESCOLA: O LINDÔ NA SALA DE AULA. Revista Didática Sistêmica, 20(2), 20–30. Recuperado de https://periodicos.furg.br/redsis/article/view/7795

Edição

Seção

Artigos