O PROCESSO DE HUMANIZAÇÃO: OS MOVIMENTOS DE AÇÃO-REFLEXÃO NA OBRA DE PAULO FREIRE

Autores

  • André Luis Castro de Freitas Universidade Federal do Rio Grande - FURG Programa de Pós-Graduação e Educação Ambiental http://orcid.org/0000-0002-4566-3655
  • Luciane Albernaz de Araujo Freitas Instituto Federal Sul-rio-grandense - IFSUL Programa de Pós-graduação em Educação http://orcid.org/0000-0001-9014-0071

DOI:

https://doi.org/10.14295/rds.v22i1.11633

Palavras-chave:

Libertação. Ação-reflexão. Pensamento freiriano.

Resumo

Fundamentado no pensamento educacional de Paulo Freire o artigo possui como objetivo problematizar a constituição de relações humanizadoras. A partir de um estudo descritivo crítico, embasado em uma pesquisa documental, tem-se por intencionalidade elencar pressupostos que venham a compreender, diante da concepção do autor, a ideia da constituição de um sujeito crítico o qual, engajado em sua cultura, atua em favor da transformação social, por meio do processo de ação-reflexão. Com o foco voltado para a educação sistematizam-se as ideias de como se torna possível compreender as relações educativas, envolvendo educador e educandos, como ato de aprender pela realidade. Na sequência, compreende-se a relação entre os movimentos de ação-reflexão e a categoria conscientização, como processos promotores de ações transformadoras da realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Luis Castro de Freitas, Universidade Federal do Rio Grande - FURG Programa de Pós-Graduação e Educação Ambiental

Tecnólogo em Processamento de Dados. Mestre e Doutor em Ciência da Computação. Psicólogo. Mestre e Doutor em Educação.

Luciane Albernaz de Araujo Freitas, Instituto Federal Sul-rio-grandense - IFSUL Programa de Pós-graduação em Educação

Pedagoga. Mestre em Desenvolvimento Social. Doutora em Educação Ambiental.

Downloads

Publicado

2021-02-05

Como Citar

Freitas, A. L. C. de, & Freitas, L. A. de A. (2021). O PROCESSO DE HUMANIZAÇÃO: OS MOVIMENTOS DE AÇÃO-REFLEXÃO NA OBRA DE PAULO FREIRE. Revista Didática Sistêmica, 22(1), 18–29. https://doi.org/10.14295/rds.v22i1.11633