A contribuição do profissional de Educação Física na recuperação terapêutica de dependentes químicos

Autores

  • Bianka Piva da Silva Universidade Federal do Rio Grande, FURG. Rio Grande/RS
  • Ângela Adriane Schmidt Bersch Universidade Federal do Rio Grande, FURG. Rio Grande/RS

Palavras-chave:

Educação Física, Dependência química, Qualidade de vida

Resumo

Este artigo tem como escopo compreender e justificar a inserção do profissional de Educação Física no microcontexto da comunidade terapêutica, que por meio de atividades físicas pode auxiliar na promoção da recuperação da dependência química dos residentes. Para tanto o estudo está calcado nas bases metodológicas da Teoria Bioecológica do Desenvolvimento Humano, utilizando dos princípios da Formação Pessoal pela Via Corporal como intervenção para analisar a repercussão dessa prática para os residentes. A partir dos dados preliminares coletados constatamos que o Profissional de Educação Física que utiliza as práticas corporais pode ser um profissional significativo no contexto das comunidades terapêuticas e auxiliar os residentes na promoção da recuperação e superação da dependência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bianka Piva da Silva, Universidade Federal do Rio Grande, FURG. Rio Grande/RS

Acadêmica do curso de Educação Física Licenciatura da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), integrada ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID)

Ângela Adriane Schmidt Bersch, Universidade Federal do Rio Grande, FURG. Rio Grande/RS

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG)

Downloads

Publicado

2016-07-19

Como Citar

Silva, B. P. da, & Bersch, Ângela A. S. (2016). A contribuição do profissional de Educação Física na recuperação terapêutica de dependentes químicos. Revista Didática Sistêmica, 17(1), 302–312. Recuperado de https://periodicos.furg.br/redsis/article/view/5933

Edição

Seção

Artigo - GTT Saude