Revisitando Una giornata particolare: feminismo, gênero e sociologia da educação em disputa

Daniela Auad

Resumo


Ao evocar momento histórico e acontecimentos passados para analisar inquietações que são foco de nossas preocupações presentes, como postula Peter Burke, em História como alegoria (1995), o presente artigo noticia ineditamente observações de campo de pesquisa sobre elações de gênero nos cursos de Pedagogia, onde se encontram ainda desafios e obstáculos de um percurso inacabado. Esta pesquisa tem analisado disciplinas que abordam as questões de gênero em cursos de Pedagogia de Universidades Federais do Sudeste do Brasil. Ao partir dessa pesquisa e em análise de específicos episódios de campo, percebidos como desdobramento do Golpe de Estado sob o qual estamos vivendo, o texto aborda o fomento de ódios, tentativas de apagamento de Direitos e a potencialização de disputas que colocam em foco tanto a disciplina Sociologia da Educação quanto maneiras de abordar as relações de gênero em cursos de Formação Docente na Educação Superior, os quais graduam profissionais para atuarem na Educação Básica.

Palavras-chave


Sociologia da Educação; Relações de Gênero; Educação Superior; Formação docente; Golpe de Estado.

Texto completo:

PDF

Referências


ARIAS, Julian. A banalidade do mal e o esquecimento do bem: O Brasil também continua de pé graças à maioria das pessoas, que sofre sem vender sua consciência. El País. Ediciones El País. Edição de 25 de agosto de 2017. Disponível em: . Acessado em 06 de outubro de 2017.

BURKE, Peter. História como alegoria. Estudos Avançados. São Paulo, vol.9, n.25, 1995.

CASTRO, Mary Garcia. ALQUIMIA DE CATEGORIAS SOCIAIS NA PRODUÇÃO DOS SUJEITOS POLÍTICOS. Estudos Feministas, Florianópolis, UFSC, 1992.

CAVALLEIRO, Eliane dos Santos. Do silêncio do lar ao silêncio escolar: racismo e preconceito e discriminação na educação infantil. São Paulo, Contexto, 2003. 2ª edição.

CRENSHAW, Kimberlé W. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Estudos Feministas, Florianópolis, UFSC, 2002.

FERNANDES, Ana Lúcia Sampaio. Cinema e Psicanálise. Estudos de Psicanálise. Belo Horizonte, n.28, 2005.

FRASER, Nancy. Da redistribuição ao reconhecimento? Dilemas na justiça numa era “póssocialista”. Cadernos de Campo, São Paulo, n. 14/15, 2006.

FONSECA, Claudia. Quando cada caso NÃO é um caso: pesquisa etnográfica e educação. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, ANPEd, n. 10, 1999.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, Sexualidade e Educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 14. ed. Petrópolis, Vozes, 2012.

MARTINES, Felipe. Suicídio de reitor da UFSC mostra face da cruzada cega "contra a corrupção. Boletim de Notícias Consultor Jurídico. Edição de 02 de outubro de 2017. Disponível em: http://www.conjur.com.br/2017-out-02/morte-reitor-ufsc-mostra-face-

cruzada-corrupcao . Acessado em 06 de outubro de 2017.

MOLLO-BOUVIER, Suzanne. Transformação dos modos de socialização das crianças: uma abordagem sociológica. Educação e Sociedade. São Paulo, vol.26, n.91, 2005.

PUPO, Amanda. Cármen Lúcia suspende medidas que determinaram ações policiais em universidades. O Estado de S.Paulo. Edição de 27 de outubro de 2018. Disponível em:

XFeqskjCjdQ2N4dgP90> . Acessado em 27 de outubro de 2018.

TORRES, Aline. O suicídio do reitor para quem prisão foi ultraje e sentença de morte. El

País. Ediciones El País. Edição de 04 de outubro de 2017. Disponível em:

https://brasil.elpais.com/brasil/2017/10/04/politica/1507084756_989166.html . Acessado em

de outubro de 2017.




DOI: https://doi.org/10.14295/momento.v27i3.8540

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


MOMENTO - Diálogos em Educação, E-ISSN 2316-3100, Rio Grande/RS, Brasil

PROPESQ
PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ