Reflexões sobre música, televisão e Educação

Autores

  • Eliane Hilario da Silva Martinoff Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) http://orcid.org/0000-0002-8921-5774
  • Sarita Raquel Belo Ferreira Grupo Fênix de Educação -

DOI:

https://doi.org/10.14295/momento.v26i2.7290

Palavras-chave:

Televisão e educação, ensino de música, cotidiano escolar.

Resumo

Observa-se que atualmente a televisão está presente nos hábitos cotidianos de crianças e jovens, exercendo um papel formador- em termos de atitudes, vestimentas, vocabulário, repertório musical, entre outros aspectos -, sobre o qual a escola deve refletir. Esse estudo de natureza bibliográfica, tendo como aporte teórico Gardner (1999) e Magalhães (2003, 2007) objetiva refletir a respeito da influência dos programas televisivos infantis sobre as crianças nas décadas de 1960, 1970 e 1980, no que tange à cultura musical e o ensino de música na escola pública brasileira nesse período e suas possíveis consequências para os dias atuais. Concluiu-se que é importante saber utilizar o que a criança traz consigo em termos de repertório musical, pois a fruição da música está sujeita a diferentes mediações e a escola pode vir a ser o lugar de construção de um conhecimento significativo e reflexivo sobre a música presente no cotidiano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliane Hilario da Silva Martinoff, Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS)

Professora do curso de Pedagogia da Universidade Municipal de São Caetano do Sul, nas disciplinas Metodologia e Prática do Ensino de Arte e Brinquedos e Brincadeiras na Educação Infantil. Doutora e Mestre em Música pela UNESP (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho).

Sarita Raquel Belo Ferreira, Grupo Fênix de Educação -

Grupo Fênix de Educação - professora auxiliar Estudante de pós-graduação na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS)

Referências

ALENCAR, Eunice Maria Soriano de Alencar. Um estudo de criatividade. Arquivo Brasileiro de Psicologia Aplicada. Rio de Janeiro, 26(2), abr./jun.1974, p. 59-68. Disponível em http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/abpa/article/viewFile/17077/15876. Acesso: 21 ago. 2016.

ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. 2. Ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1973.

ARNALDO, Carlos A. Meios de comunicação: a favor ou contra a educação? In: CARLSSON, Ulla; FEILITZEN, Cecilia von (orgs.). A criança e a mídia. Imagem, Educação, Participação. São Paulo: Cortez; Edições UNESCO Brasil, 1999. Disponível em ht0tp://unesdoc.unesco.org/images/0012/001278/127896por.pdf. Acesso: 30 ago. 2017.

BARROSO, João. Políticas educativas e organização escolar. Lisboa: Universidade Aberta, 2004.

BERGAMO, Alexandre. A reconfiguração do público. In: GOULART, Ana Paula; RIBEIRO, Igor Sacramento e ROXO, Marco (orgs.). História da televisão no Brasil. São Paulo: Contexto, 2010.

BIASOLI-ALVES, Zélia Maria Mendes. Famílias brasileiras do século XX: os valores e as práticas de educação da criança. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, SP, n. 3, 1997, p. 33-49.

BRASIL. Lei 3.857 de 22 de dezembro de 1960. Cria a Ordem dos Músicos do Brasil e Dispõe sobre a Regulamentação do Exercício da Profissão de Músico e dá outras Providências. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L3857.htm. Acesso: 03 de nov. 2015.

_______. Parecer nº 540/77, de 10 de fevereiro de 1977, do CFE. Sobre o tratamento a ser dado aos componentes curriculares previstos no Art. 7º da Lei 5692/71. In Documenta nº 195, p. 22-34. Rio de Janeiro, fev. 1977. Disponível em http://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/fontes_escritas/7_Gov_Militar/parecer%20n.%205401977%20sobre%20o%20tratamento%20a%20ser%20dado%20aos%20comp%20curriculares.pdf. Acesso: 26 jul. 2014.

BUJES, Maria Isabel Edelweiss. Manuais pedagógicos e formação docente: elos de poder/saber. Currículo sem Fronteiras, v.9, n.1, p.267-288, Jan/Jun 2009. Disponível em http://www.curriculosemfronteiras.org/vol9iss1articles/bujes.pdf. Acesso: 4 set. 2016.

CARMONA, Beth. A participação da criança na televisão brasileira. In: CARLSSON, Ulla; FEILITZEN, Cecilia von (orgs.). A criança e a mídia. Imagem, Educação, Participação. São Paulo: Cortez; Edições UNESCO Brasil, 1999. Disponível em ht0tp://unesdoc.unesco.org/images/0012/001278/127896por.pdf. Acesso: 30 ago. 2017.

CHERVEL, A. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria e Educação. Porto Alegre, nº 2, p. 177-229, 1990. Disponível em <http://pt.scribd.com/doc/88143953/CHERVEL-1990-Original>. Acesso: 11 jun.2012.

COGO, Denise Maria; GOMES, Pedro Gilberto. Televisão, escola e juventude. Porto Alegre: Mediação, 2001.

DUMAZEDIER, Jofre. Lazer e cultura popular. 3. Ed. São Paulo: Perspectiva, 2004.

FIGUEIREDO, Anna Cristina Camargo Moraes. Liberdade é uma calça velha azul e desbotada: publicidade, cultura de consumo e comportamento político no Brasil (1954-1964). São Paulo: Hucitec, 1998.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Televisão e Educação: fruir e pensar a TV. 4. Ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

GARDNER, Howard. Arte, mente e cérebro. Tradução. Sandra Costa. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999. Original em inglês.

GOMES, N. L. Cultura negra e educação. Revista Brasileira de Educação, nº 23, Mai/Jun/Jul/Ago. 2003.

HAMBURGUER, Esther. Diluindo fronteiras: a televisão e as novelas no cotidiano. In: NOVAIS, Fernando A. (Coord.). História da vida privada no Brasil: contrastes da intimidade contemporânea. São Paulo: Companhia das Letras, 2000, v. 4.

JULIA, Dominique. A cultura escolar como objeto histórico. Tradução. Gizele de Souza. In Revista Brasileira de Educação, nº1 jan/jun. 2001. Campinas, SP: Editora Autores Associados, 2001, p. 9-43.

KEHL, Maria Rita. Eu vi um Brasil na TV. In: CARVALHO, Elisabeth; KEHL, Maria Rita; RIBEIRO, Santuza Naves. (Coord.). Anos 70: televisão. Rio de Janeiro: Europa, 1980.

KNELLER, George F. Arte e Ciência da Criatividade. Tradução. José Reis. 3. Ed. São Paulo: IBRASA – Instituição Brasileira de Difusão Cultural S.A., 1973. Original em inglês.

MAGALHÃES, Cláudio Márcio. A inter-relação entre criança e TV. Comunicação & Educação, São Paulo, 27, maio/ago, 2003, p. 38-45.

______________. Os programas infantis da TV: Teoria e Prática para entender a televisão feita para as crianças. 1ª ed. São Paulo: Autêntica, 2007.

MARCELLINO, Nelson Carvalho. Lazer e educação. 8ª Ed. Campinas, SP: Papirus, 2001.

MATTOS, Sérgio. História da televisão brasileira: uma visão econômica, social e política. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

MEDEIROS, Ethel Bauzer. O lazer no planejamento urbano. Cadernos de Administração Pública – 82. Fundação Getúlio Vargas, Instituto de Documentação - Serviço de Publicações. Rio de Janeiro, GB, Brasil, 1971.

MOMO, Mariangela; COSTA, Marisa Vorraber. Crianças escolares do século XXI: para se pensar uma infância pós-moderna. Cadernos de Pesquisa, v.40, n.141, p.965-991, set./dez. 2010.

NASCIMENTO, Cláudia Terra do; BRANCHER, Vantoir Roberto; OLIVEIRA, Valeska Fortes de. A construção social do conceito de infância: algumas interlocuções históricas e sociológicas. Contexto & Educação, Editora Unijuí, v. 23, n. 79, jan./jun., 2008, p.47-63.

PACHECO, Elza D. (org.). Televisão, criança, imaginário e educação. Campinas, SP: Papirus, 1998.

PENTEADO, Heloísa D. Televisão e escola – conflito ou cooperação. São Paulo: Cortez, 1991.

PILLAR, Analice Dutra. Criança e televisão. Porto Alegre: Mediação, 2001.

QUEIROZ, Luis Ricardo S. Educação musical e etnomusicologia: uma reflexão sobre as contribuições do estudo etnomusicológico para a área de educação musical. In: Congresso da Associação Nacional de Pesquisa e pós-graduação em música, 14., 2003, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: ANPPOM, 2003. p. 772-779. 1 CD-ROM.

SOUZA, Cristiane Magda Nogueira. Educação musical, cultura e identidade: configurações possíveis entre escola, família e mídia. Revista da ABEM, Londrina, V.21, N.31, jul/dez, 2013, p. 51-62.Disponível em http://www.abemeducacaomusical.com.br/revistas/revistaabem/index.php/revistaabem/article/view/72. Acesso: 30 jul. 2017.

STEINBERG, Shirley; KINCHELOE, Joe. Cultura infantil: a construção corporativa da infância. Editora Civilização Brasileira, 2001.

SUBTIL, Maria José Dozza. Mídias, músicas e escola: a articulação necessária. Revista da ABEM, Porto Alegre, V. 16, 75-82, mar.2007. Disponível em http://www.abemeducacaomusical.com.br/revistas/revistaabem/index.php/revistaabem/article/view/294. Acesso: 10 ago. 2017.

TEIXEIRA, Luiz M. A criança e a televisão – amigos ou inimigos? 2.Ed. São Paulo: Editora Loyola, s.d.

TEMPO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES ASSISTINDO TV AUMENTA EM 10 ANOS, 2015. Disponível em http://www.ebc.com.br/infantil/para-pais/2015/06/tempo-de-criancas-e-adolescentes-assistindo-tv-aumenta-em-10-anos. Acesso: 05 ago. 2017.

VASCONCELOS, Gilberto F. O cabaré das crianças. Rio de Janeiro: Espaço & Tempo, 1998.

VILLA LOBOS, Heitor. Educação Musical. Rio de Janeiro: Museu Villa-Lobos, 1991. Reedição com ortografia atualizada do texto Educação Musical de H. Villa-Lobos publicado pelo Instituto Interamericano de Musicologia no Boletim Latino-Americano de Música, Ano VI, Tomo VI – Rio de Janeiro, 1946.

VIÑAO FRAGO, Antonio. Historia de la educación y historia cultural: Posibilidades, problemas, cuestiones. Revista Brasileira de Educação, Set/Out/Nov/Dez, 1995 N º 0, p. 63-82.

Downloads

Publicado

2017-12-19

Como Citar

Martinoff, E. H. da S., & Ferreira, S. R. B. (2017). Reflexões sobre música, televisão e Educação. Momento - Diálogos Em Educação, 26(2), 183–203. https://doi.org/10.14295/momento.v26i2.7290

Edição

Seção

Dossiê temático