Vivendo o circo tradicional: nomadismo, fascínio e incertezas

Autores

  • Camila da Silva Ribeiro Universidade Federal de Pelotas, UFPel. Pelotas/RS
  • Luiz Carlos Rigo Universidade Federal de Pelotas, UFPel. Pelotas/RS

Palavras-chave:

Circo tradicional, Cultura circense, Artista circense

Resumo

Este trabalho trata de algumas questões referentes à cultura circense, mais especificamente sobre os estilos e as condições de vida dos artistas de circos tradicionais. O estudo foi realizado tomando como referência o Circo Koslov em sua passagem pela cidade de Pelotas, Rio Grande do Sul. Foram feitas observações de campo e entrevistas, acompanhando de perto a passagem do circo no período em que esteve na cidade. Como conclusão do estudo, destacamos que o circo tradicional e seus artistas passam por uma série de dificuldades, mas igualmente foi possível perceber que junto a essas dificuldades também estão presentes os componentes que singularizam o universo artístico como a sedução, o fascínio, a admiração do público, etc. Mesclados à dura realidade do dia a dia, esses componentes aparecem como o combustível para os sonhos, os desafios e os desejos dos artistas do circo Koslov.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila da Silva Ribeiro, Universidade Federal de Pelotas, UFPel. Pelotas/RS

Mestre em Educação Física, Universidade Federal de Pelotas

Luiz Carlos Rigo, Universidade Federal de Pelotas, UFPel. Pelotas/RS

Prof. Dr. dos cursos de Educação Física e do Programa de Pós-Graduação em Educação Física da Universidade Federal de Pelotas

Downloads

Publicado

2016-07-19

Como Citar

Ribeiro, C. da S., & Rigo, L. C. (2016). Vivendo o circo tradicional: nomadismo, fascínio e incertezas. Revista Didática Sistêmica, 17(1), 228–242. Recuperado de https://periodicos.furg.br/redsis/article/view/5923

Edição

Seção

Artigo - GTT Recreação/Lazer