A GINÁSTICA PARA TODOS É REALMENTE PARA TODOS?

ASPECTOS SÓCIO-POLÍTICO-CULTURAIS DA REPRESENTATIVIDADE NEGRA

Autores

  • Kizzy Fernandes Antualpa Universidade Federal da Bahia
  • Emilena Sousa dos Santos Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil
  • Ianny Caroline Melo de Souza Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC/Jéquie)
  • Letícia Bartholomeu de Queiroz Lima Universidade Federal do Paraná (UFPR); Centro Universitário Hermínio Ometto (UNIARARAS)

DOI:

https://doi.org/10.14295/rds.v24i1.13911

Resumo

Os festivais de Ginástica para Todos (GPT) têm sido espaços de fomento desta prática em diferentes contextos. Tendo em vista as premissas da GPT, nos indagamos se este espaço de fato é democrático e qual é o lugar do negro nesta prática dita "para todos". Dessa forma, buscamos por meio de uma análise videográfica de dois festivais on-line de regiões distintas do Brasil (sudeste e nordeste), analisar a representatividade negra. Concluímos que apesar dos festivais on-line expandirem a possibilidade de prática rompendo barreiras geográficas, a diversidade dentre os grupos participantes ainda se mostra pouco evidente, sobretudo em relação à participação negra. Esse olhar sobre os festivais desta prática corporal evidencia a importância e o debate da popularização da GPT.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kizzy Fernandes Antualpa, Universidade Federal da Bahia

Docente na Universidade Federal da Bahia (UFBA) - Faculdade de Educação - Departamento III/Educação Física (FACED/UFBA). Finalizou o doutorado em Educação Física pela USP (2017), tem mestrado em Educação Física pela UNICAMP (2011), é licenciada plena e bacharel em Educação Física pela UNICAMP (2005/2007). Atuou como professora de educação física escolar (educação infantil e ensino fundamental). Vivenciou estudos e práticas na Escola de Ginástica de Ollerup (Gymnastikhjskolen i Ollerup) na Dinamarca (2003). Líder do grupo de estudos em Ginástica da UFBA (GEGINBA), membro do Grupo de Pesquisa em Ginástica da UNICAMP (GPG) . É Diretora Técnica da modalidade Ginástica Para Todos da Federação Baiana de Ginástica. Temas de pesquisa: formação profissional; formação de atletas; pedagogia do esporte; educação infantil, ginástica. Esteve em licença-maternidade no ano de 2015/2016 (Rafael) e 2019/2020

Emilena Sousa dos Santos, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil

Doutora em Cultura e Sociedade pela UFBA

Graduanda em Educação Física pela Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil.

Ianny Caroline Melo de Souza, Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC/Jéquie)

Possui graduação em Educação Física pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (2009), especialização em Atividade Física, Educação e Saúde para grupos especiais pela Faculdade da Cidade de Salvador, especialização em Yoga pela Faculdade Unyleya, em processo de conclusão de especialização em Metodologia do Ensino da Educação Física e do Esporte na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Professora da rede estadual de ensino no Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Jequié-BA e da rede municipal de Jaguaquara-BA na Escola Rural de Ipiúna. Membro Grupo de Estudos e Pesquisa em Ginástica GEGINBA (UFBA).

Letícia Bartholomeu de Queiroz Lima, Universidade Federal do Paraná (UFPR); Centro Universitário Hermínio Ometto (UNIARARAS)

Graduada em Esporte pela Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (2012) com período sanduíche na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto (Portugal), Mestrado em Ciências da Motricidade pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2016) e Doutorado em Educação Física e Sociedade pela Faculdade de Educação Física da Universidade de Campinas (2020). Professora do curso de Educação Física do Centro Universitário Herminio Ometto - Uniararas e professora substituta na Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Downloads

Publicado

2022-08-31

Como Citar

Fernandes Antualpa, K., Sousa dos Santos, E. ., Melo de Souza, I. C. ., & Bartholomeu de Queiroz Lima, L. . (2022). A GINÁSTICA PARA TODOS É REALMENTE PARA TODOS? : ASPECTOS SÓCIO-POLÍTICO-CULTURAIS DA REPRESENTATIVIDADE NEGRA. Revista Didática Sistêmica, 24(1), 19–31. https://doi.org/10.14295/rds.v24i1.13911

Edição

Seção

Dossiê