O cotidiano escolar do coordenador pedagógico: diversidades, tensões e possibilidades

Jane Cordeiro de Oliveira

Resumo


O texto é parte de duas pesquisas qualitativas que tratam do cotidiano do coordenador pedagógico e dos desafios enfrentados no decorrer de seu trabalho. Questões: O que é entendido como cotidiano escolar no entendimento do coordenador pedagógico? Como o coordenador pedagógico trabalha, de acordo com as suas atribuições, no cotidiano escolar? Quais são os desafios que o coordenador encontra em seu trabalho cotidiano? Objetivo: Apresentar diversidades, tensões e possibilidades existentes no cotidiano do coordenador pedagógico, analisando os depoimentos dos sujeitos no exercício de seus cotidianos. Nossos referenciais foram: André (2003) e Pais (2003) que tratam da organização do trabalho escolar e das “ritualidades” como conceitos de cotidiano. O coordenador enfrenta desafios vindos do cotidiano tendo em vista a falta de profissionais e ele necessita assumir tarefas que não são inerentes a sua atribuição. O coordenador, mesmo frente às dificuldades vindas da infraestrutura ele tenta manter a organização escolar.

Palavras-chave


Palavras-chave: cotidiano; coordenador pedagógico; infraestrutura da escola.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, L. R. Um dia na vida de um coordenador pedagógico de escola pública. In:______; PLACCO, V. M. N. S. (Org.). O coordenador pedagógico e o cotidiano da escola. 3 ed. São Paulo; Loyola, c. 2, 21-46p., 2005.

ALVES, N.Cultura e cotidiano escolar. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED), ano 4, n.23, 62-74p., mai-ago, 2003.

ANDRÉ, M.E.D.A. Cotidiano escolar e práticas sócio-pedagógicas. Revista Em Aberto, Brasília, Instituto Nacional de Pesquisas Anísio Teixeira (INEP), ano11, n.53, 28-38p., jan-mar 1992.

ANDRÉ, M.E.D.A. Etnografia da prática escolar. 10ed. Campinas, Papirus, 2003.

BALL, S. J. Profissionalismo, gerencialismo e performatividade. Cadernos de pesquisa. São Paulo, Fundação Carlos Chagas, v.35, n.126, 539-564p., set-dez 2005.

BRASIL. Lei nº 9394 de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: Acesso em: 10 abr. 2009.

BRASIL. Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. Ministério da Educação. Disponível em: Acesso em: 25/08/2012.

CANDAU, V.M.F. Reformas educacionais hoje na América Latina. In: MOREIRA, A.F.B. Currículo: políticas e práticas. 7 ed. São Paulo, Papirus, c.2, 29-42p., 2003.

DUARTE, R. Entrevistas em pesquisas qualitativas. Revista Educar. Curitiba, Editora da Universidade Federal do Paraná (UFPR), n.24, 213-225p., 2004.

MARCONDES, M.I.; LEITE, V.F.; OLIVEIRA, A.P. Reforma e recontextualização das políticas: o papel dos coordenadores pedagógicos nas escolas municipais do Rio de Janeiro. Revista Diálogo Educacional. Rio de Janeiro, Fundação Carlos Chagas. Ano 12, n. 35, 187-209p., 2012.

OLIVEIRA, E; ENS, R.T.; FREIRE ANDRADE, D.B.S.; MUSSIS, C.R. A análise de conteúdo na produção do conhecimento. Revista Diálogo Educacional. Curitiba, Universidade Federal do Paraná, v.4, n.9, 11-27p., maio-ago 2003.

OLIVEIRA, I.A.; FONSECA, M.J.C.F.; SANTOS, T.R.L. A entrevista na pesquisa educacional. In: MARCONDES, M.I.; TEIXEIRA, E.; OLIVEIRA, I.A. (Orgs.) Metodologia e técnicas de pesquisa em educação. Belém, Universidade do Estado do Pará, c.3; 37-53p., 2010.

OLIVEIRA, J.C. Um estudo sobre o coordenador pedagógico: sua identidade, seu trabalho e formação continuada no cotidiano escolar. Dissertação de mestrado. Rio de Janeiro, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2009.

OLIVEIRA, J.C. Os coordenadores pedagógicos de escolas da Secretaria Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro como mediadores das políticas curriculares. Tese de Doutorado. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.

PAIS, J.M. Vida cotidiana: enigmas e revelações. São Paulo, Cortez, 2003.

PLACCO, V.M.N.S. O coordenador pedagógico no confronto com o cotidiano da escola. In: PLACCO, V.M.N.S.; ALMEIDA, L.R. (Orgs.) O coordenador pedagógico e o cotidiano da escola. 3 ed. São Paulo, Loyola, c.3, 47-60p., 2005.

RIO DE JANEIRO. Lei 2.619 de 16 de janeiro de 1998. Dispõe sobre a estrutura organizacional, pedagógica e administrativa da rede pública municipal de educação. Diário Oficial do Rio, Rio de Janeiro, ano 11, n. 210, 4-5p., 19 jan 1998a.

RIO DE JANEIRO, Secretaria Municipal de Educação. Departamento Geral de Educação. Circular E/DGED nº 37: Atribuições dos coordenadores pedagógicos de 13 de julho de 1998b. In: Curso para docentes do ensino fundamental – coordenador pedagógico. Rio de Janeiro: Fundação João Goulart – Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, 8-9p., 2005 (circulação interna).

SACRISTÁN, J. G. Consciência e acção sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (Org.). Profissão professor. v. 3, 2ed. Lisboa: Porto editora, c. 3, 63-92p., 1999.

TARDIF, M.; LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 3 ed. Petrópolis: Vozes, 2007.




DOI: https://doi.org/10.14295/momento.v26i1.6138

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




MOMENTO - Diálogos em Educação, E-ISSN 2316-3100, Rio Grande/RS, Brasil

PROPESQ
PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ