Diferentes sentidos para uma mesma paixão

Negociações de gênero das mulheres no skate

Autores

Resumo

O skate é uma prática vinculada a uma subcultura juvenil relacionada à masculinidade. Embora nas últimas décadas, com a entrada como modalidade esportiva nos Jogos Olímpicos esse cenário esteja mudando, o skate ainda é uma prática generificada e generificadora. Por essa razão, esse artigo tem como objetivo compreender como mulheres negociam gênero na construção de espaços destinados à prática de skate. Por meio de uma pesquisa etnográfica realizada nas pistas de skate da cidade de Vitória, identificamos e observamos mulheres praticantes de skate que frequentavam esses locais. A partir de entrevistas com 11 skatistas de diferentes idades e trajetórias, identificamos três modos de integração ao skate, que acionam práticas e discursos sobre a presença das mulheres nesse esporte: a "skatista crítica", a "skatista aprendiz" e a "skatista companheira”. São formas distintas de perceber e negociar as relações de gênero cotidiano do esporte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvia Urra

Mestre em educação física pela Universidade Federal do Espírito Santo. 

Bruna Saurin Silva, UFES

Mestre em Educação Física pela Universidade Federal do Espírito Santo.

Doutoranda em Educação Física pela Universidade Federal do Espírito Santo.

Mariana Zuaneti Martins, UFES

Doutora em Educação Física - Unicamp 

Professora do curso de educação física e do programa de pós-graduação em educação física da UFES 

Lider da GRUPA - Grupo de estudos em gênero e esporte 

https://orcid.org/0000-0003-0926-7302

Downloads

Publicado

2024-01-26

Como Citar

Urra, S. ., Silva, B. S., & Martins, M. Z. (2024). Diferentes sentidos para uma mesma paixão: Negociações de gênero das mulheres no skate. Diversidade E Educação, 11(2), 295–327. Recuperado de https://periodicos.furg.br/divedu/article/view/16131

Edição

Seção

Dossiê: Diversidade, gênero e sexualidade nas práticas corporais e esportivas