“A SENHORA FALA, FALA O QUE É TRAVESTI, E EU AINDA NÃO ENTENDI”: AS DISCUSSÕES SOBRE A TRANSGENERIDADE E A INVISIBILIDADE TRAVESTI EM UMA ESCOLA NO CAMPO

Autores

  • Thaís Santos Santana Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Marcos Lopes de Souza Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v9iEspecial.12680

Resumo

Neste trabalho adentramos um contexto ainda pouco explorado nas pesquisas, o campo que, embora mantenha um fluxo com a cidade, apresenta singularidades. Dessa maneira, investigamos os discursos sobre sexualidade construídos em uma escola municipal no campo, localizada em Jequié-BA. Para atingir esse objetivo, acompanhamos a professora regente e as(os) estudantes na disciplina Educação para Sexualidade durante uma unidade escolar (cerca de três meses). No início da observação participante, alguns/algumas discentes nos relataram que gostariam de entender melhor sobre as identidades não cisgêneras e os processos discriminatórios. Percebemos que os(as) discentes desconheciam a identidade travesti, o que pode estar relacionado ao não contato com elas. Sobre as mulheres e homens trans, elas(es) associaram ás pessoas midiáticas como, por exemplo, Glamour Garcia, Thammy Miranda e o personagem Ivan da novela “A Força do Querer” da rede Globo. Houve quem discordasse do uso do nome social pelas travestis e mulheres e homens trans.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-05-23

Como Citar

Santos Santana, T., & Lopes de Souza, M. (2021). “A SENHORA FALA, FALA O QUE É TRAVESTI, E EU AINDA NÃO ENTENDI”: AS DISCUSSÕES SOBRE A TRANSGENERIDADE E A INVISIBILIDADE TRAVESTI EM UMA ESCOLA NO CAMPO . Diversidade E Educação, 9(Especial), 231–256. https://doi.org/10.14295/de.v9iEspecial.12680

Edição

Seção

N. Especial: Tecituras em Redes de Discussões e Afetos: interface..