“CHAMEI OS DOIS E PERGUNTEI ABERTAMENTE, QUEM ERA O PAI E QUEM ERA A MÃE”: HOMOPARENTALIDADE, DOCÊNCIA E EDUCAÇÃO INFANTIL

Autores

  • André Morando UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
  • Nadia Geisa Silveira de Souza UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
  • Paloma Nascimento dos Santos UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v8i1.11310

Resumo

Analisamos neste artigo a rede de enunciados sobre família e homoparentalidade em um grupo virtual do Facebook, que reúne pessoas vinculadas a docência na Educação Infantil. Como proposta metodológica, nos inspiramos na netnografia, uma ramificação da etnografia, para conhecer a dinâmica do grupo virtual. Como ferramenta analítica recorremos à análise do discurso, a partir dos pressupostos de Michel Foucault. Nessa perspectiva analítica não buscamos categorizar os discursos em verdadeiros ou falsos, mas suas condições de emergência. A análise mostrou como saberes sobre corpo, gênero e sexualidade são investidos na produção de discursos verdadeiros nas práticas discursivas das docentes e, sobretudo, como a comemoração do dia da família opera como estratégia heteronormativa de invisibilização social das famílias homoparentais na escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BELLO, Alexandre Toaldo; FELIPE, Jane. Construção de Comportamentos Homofóbicos no Cotidiano da Educação Infantil. In: JUNQUEIRA, Rogério (Org.). Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação, 2009.

BIROLI, Flávia. Família: Novos Conceitos. Coleção O que Saber. Fundação Perseu Abramo. São Paulo, 2014.

BRASIL, Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental. Brasília, MEC/SEF (1997).

BRASIL. Ministério da Educação. Base nacional comum curricular. Brasília, DF: MEC, 2015. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/ Acesso em jan. de 2019.

CASTRO, Edgardo. Vocabulário de Foucault. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

CORRÊA, Mariza. Repensando a família patriarcal brasileira. Cadernos de Pesquisa, n. 37, p. 5-16, 2013.

FONSECA, Claudia. Quando cada caso NÃO é um caso: pesquisa etnográfica e educação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n.10, p.58-78, jan./abr., 1999.

FONSECA, Claudia. Concepções de família e práticas de intervenção: uma contribuição antropológica. Saúde Sociedade, São Paulo, v. 14, n. 2, p. 50-59, 2005.

FONSECA, Claudia. Homoparentalidade: novas luzes sobre o parentesco. Revista de Estudos Feministas, v. 16, n. 3, p. 769-783, 2008.

FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 2012.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade: Curso no Collège de France (1975-1976). São Paulo, Martins Fontes, 2005.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. 13. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1988.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Rio de Janeiro. Edições Graal. 1979.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. Petrópolis, Vozes, 1987.

KOZINETS, Robert. V. Netnografia: Realizando pesquisa etnográfica online. Porto Alegre: Penso, 2014.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 2. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1997.

LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

MELLO, Luiz; GROSSI, Miriam; UZIEL, Anna Paula. A escola e @s filh@s de lésbicas e gays: reflexões sobre conjugalidade e parentalidade no Brasil. In: JUNQUEIRA, Rogério (Org.). Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação, 2009.

RECUERO, Raquel. Redes Sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina. 2009.

SOUZA, Nadia Geisa Silveira de. Discutindo práticas implicadas na produção do corpo. In: CAMOZZATO, Viviane Castro; CARVALHO, Rodrigo Saballa de; ANDRADE, Paula Deporte de. (Org.). Pedagogias culturais: a arte de produzir modos de ser e viver na contemporaneidade. Curitiba: Appris, 2016.

Downloads

Publicado

2020-08-16

Como Citar

Morando, A., Souza, N. G. S. de, & Santos, P. N. dos. (2020). “CHAMEI OS DOIS E PERGUNTEI ABERTAMENTE, QUEM ERA O PAI E QUEM ERA A MÃE”: HOMOPARENTALIDADE, DOCÊNCIA E EDUCAÇÃO INFANTIL. Diversidade E Educação, 8(1), 452–472. https://doi.org/10.14295/de.v8i1.11310