A educação ambiental nas licenciaturas: uma análise curricular em uma Instituição de Ensino Superior Pública do Paraná.

Elio Jacob Hennrich Junior, Ana Lúcia Olivo Rosas Moreira

Resumo


Tendo em vista a crescente necessidade de se trabalhar as questões ambientais de maneira holística e contextualizada, o presente trabalho discorreu sobre como a Educação Ambiental (EA) se dispõe nos currículos das licenciaturas numa Instituição de Ensino Superior, comparando com as políticas de EA nacionais e estaduais. Metodologicamente a pesquisa adotou um perfil quali-quantitativo de estudo de caso, de análise documental, e do método de porcentagem simples para inferir alguns aspectos característicos das licenciaturas. Notou-se uma formação limítrofe, refletindo nas principais dificuldades em se implementar as políticas de EA. Neste sentido, a tarefa de formação deve incutir a idiossincrasia de rompimento dos obstáculos epistemológicos impostos pela crise ambiental.

Palavras-chave


Formação Docente. Educador Ambiental. Currículo. Ensino Superior.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Política Nacional de Educação Ambiental. Lei nº.9795/99. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 27 abr. 1999. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2018.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 2, de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Brasília, 2012. Disponível em: . Acesso em: 25 jun. 2018.

BRASIL. Programa Nacional de Educação Ambiental. Ministério do Meio Ambiente e Ministério da Educação. Brasília: MMA e MEC, 2014. 4.ed. 113p. Disponível em: . Acesso em: 01 ago. 2018.

DEMO, P. Avaliação qualitativa. 7.ed. Campinas: Autores Associados, 2002.

GARCÍA, F. J. L. Sustainability in higher education: what is happening?. Journal of Cleaner Production, Knoxville, v. 14, p. 757-760, 2006. Disponível em: . Acesso em: 1 out. 2018.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GUERRA, A. F. S.; FIGUEIREDO, M. L. Ambientalização curricular na Educação Superior: desafios e perspectivas. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, Edição Especial n. 3, Editora UFPR, p. 109-126, 2014. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2018.

JUNYENT, M.; GELI, A. M.; ARBAT, E.. Características de la ambientalización curricular: Modelo ACES. In: JUNYENT, M.; GELI, A. M.; ARBAT, E.(Orgs.). Ambientalización Curricular de los Estudios Superiores. Proceso de Caracterización de la Ambientalización Curricular de los Estudios Superiores. Girona: Universitat de Girona – Rede ACES,. v. 2, p. 15-32, 2003. Disponível em: . Acesso em: 22 out. 2018.

KRASILCHIK, M. Pesquisa em Educação Ambiental: tendências e percepção ambiental. Educação Teoria e Prática, v.9, n.16-17, p.43-45, 2001.

LEFF, E. Epistemologia Ambiental. Tradução de Sandra Valenzuela; revisão de Paulo Freire Vieira. São Paulo: Cortez, 2001. 240 p.

LOPES, A. C.; MACEDO, E. Teorias de Currículo. São Paulo: Cortez, 2011, 280p.

MAIA, J. S. Problemáticas da Educação Ambiental no Brasil: elementos para a reflexão. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental – REMEA, v.32, n.2, p. 283-298, jul/dez 2015. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2018.

MOREIRA, M. A. Metodologias de Pesquisa em Ensino. São Paulo: Livraria da Física, 2011.

NAÇÕES UNIDAS NO BRASIL- ONU BR. A Agenda 2030. Disponível em: . Acesso em: 22 out. de 2018

OLIVEIRA JUNIOR, W. M. de; GARGALLO, J. B.; AMORIM, A. C. R.; ARBAT, E. As 10 características em um diagrama circular. In: JUNYENT, M.; GELI, A. M.; ARBAT, E.. (Eds.). Ambientalización Curricular de los Estudios Superiores: aspectos Ambientales de les universidades. 2: proceso de caracterización de la Ambientalización Curricular de los Estudios Universitarios. Girona: Universitat de Girona, v. 2, p. 35-55, 2003. Disponível em: < http://www3.udg.edu/ov/Comunicacio/docs/Aces2/03Capitol2.pdf>. Acesso em: 4 jun. 2018.

PARANÁ. Lei nº. 17505 de 11 de Janeiro de 2013. Institui a Política Estadual de Educação Ambiental e o Sistema de Educação Ambiental e adota outras providências. Governo do Estado do Paraná. 2013. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2018.

SATO, M. Apaixonadamente Pesquisadora em Educação Ambiental. Educação Teoria e Prática, v.9, n.16-17, p.24-35, 2001.

SEVERINO, A. J. A Relevância Social e a Consistência Epistêmica da Pesquisa em Educação: alguns subsídios para se avaliar a pesquisa em Educação Ambiental. Educação Teoria e Prática, v.9, n.16-17, p.10-16, 2001.

SILVA, T. T. da. Documentos de Identidade: Uma Introdução às Teorias de Currículo. 3° Edição. Editora Autêntica. 2010.

SOBRINHO, O. P. G. P.; ZANON, A. M. Dos sentidos à abordagem integradora da Educação Ambiental no contexto formal de ensino. Ambiente & Educação, v, 21, n. 1, p. 94-110, 2016. Disponível em: . Acesso em: 24 out. 2018.

TEIXEIRA, C.; TORALES, M. A. A questão ambiental e a formação de professores para a educação básica: um olhar sobre as licenciaturas. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, Edição Especial n. 3, p. 109-126, 2014. Disponível em: . Acesso em: 9 ago. 2018.

ZUIN, V. G.; FARIAS, C. R.; FREITAS, D. de. A ambientalização curricular na formação inicial de professores de Química: considerações sobre uma experiência brasileira. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 8, n. 2, 2009. Disponível em: . Acesso em: 28 jun, 2018,




DOI: https://doi.org/10.14295/ambeduc.v24i2.8330

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Flag Counter