MULHERES NEGRAS CONTANDO SUAS PRÓPRIAS HISTÓRIAS: TRAJETÓRIAS DE ATIVISTAS NEGRA NO RIO GRANDE DO SUL

Vanessa Rodrigues da Silva

Resumo


Este estudo é parte da pesquisa “Por Diferentes Caminhos chegamos ao Movimento de Mulheres Negras: Trajetórias de Ativistas negras da década 1980 no Rio Grande do Sul” que investigou a trajetória de três ativistas negras do RS. A História Oral foi o  principal suporte deste trabalho, as entrevistas foram conduzidas a fim de perceber a relação entre história social e trajetórias individuais com a intenção de acompanhar, suas trajetórias de vida, até a inserção nos movimentos sociais (MS) e observar como se articularam as percepções de raça e gênero e como estas influenciaram suas identidades, bem como suas formações políticas Os ativismos dessas mulheres, têm demonstrado que os MS tem conseguido expandir a política de raça e de gênero para locais em que elas antes não eram consideradas ou eram invisibilizadas.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTI, Verena e PEREIRA, Amilcar Araujo: Possibilidades das Fontes Orais: Um exemplo de pesquisa. Revista: Anos 90, Porto Alegre V. 15 nº 28 p.73-98, dez. 2008.

ALBURQUEQUE, Wlamira R. de; FRAGA FILHO, Walter. Uma história do negro no Brasil. Salvador: Centro de Estudos Afro-Orientais; Brasilia: Fundação Cultural Palmares, 2006.

CALDWELL, Kia Lilly. Fronteira da diferença: raça e mulher no Brasil. Revista Estudos Feministas, v.8, n.2, p. 91-109, 2000.

CALDWELL, Kia Lilly. Militância das mulheres negras e o desenvolvimento do campo de saúde da população negra no Brasil. In: SILVA, Joselina da; PEREIRA, Amauri Mendes. O movimento de mulheres negras: escritos sobre os sentidos de democracia e justiça social no Brasil. Belo Horizonte: Nandyala, 2014.

COLLINS, Patricia Hill. Aprendendo com a outsider within: a significação sociológica do pensamento feminista negro. Soc. Estado. [online]. v. 31, n.1, 2016.

EVARISTO, Conceição. Literatura Negra: uma poética da nossa afro-brasilidade. 1996. Dissertação (Mestrado em Letras), Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 1996.

GOMES, Nilma Lino. O Movimento Negro Educador: saberes construídos nas lutas por emancipação. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2017.

PETERSEN, Silvia Regina F.; LOVATO, Barbara H. Introdução ao estudo da História: temas e textos. Porto Alegre: Edição das autoras, 2013.

PINTO, Elisabete Aparecida. Etnicidade, gênero e educação: a trajetória de vida de Dona Laudelina de Campos Melo (1904-1991). São Paulo: Anita Garibaldi,2015 524 p ( Vozes oprimidas)

POLLAK, Michel. Memória, Esquecimento, Silêncio. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, p.3-15, 1989.

SANTOS, José Antônio. Movimento Negro no Rio Grande do Sul: apontamentos de uma história II. Anais do XIII Encontro Estadual de História da ANPUH RS, 18-21 jul 2016, UNISC, Santa Cruz do Sul.

SCHUMAHER, Schuma; VITAL BRASZIL, Érico. Mulheres Negras do Brasil. Rio de Janeiro: REDEH/ SENACSenac nacional Editora, 2007.; SILVA, Joselina da,. Mulheres Negras: Histórias de alguma,s brasileiras. Rio de Janeiro CEAP,2009.

SILVA, Maria Aparecida. Trajetórias de mulheres negras líderes de movimentos sociais em Araraquara - SP: estratégias sociais na construção do modo de vida. Tese (Doutorado em Educação) Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE, 2011.

SILVA, Petronilha Beatriz G. e. “Chegou a hora de darmos à luz a nós mesmas”: Situando-nos enquanto mulheres e negras. Cadernos CEDES [online], v. 19, n. 45, pp.7-23, 1998.

SILVA, Vanessa Rodrigues da. “Por diferentes caminhos chegamos ao movimento de mulheres”:trajetórias de ativistas negras da década de 1980 no Rio Grande do Sul. UFRGS.2018.




DOI: https://doi.org/10.14295/de.v7iEspecial.9499

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


E-ISSN: 2358-8853

Indexadores
  

PROPESQ

PROPESQ

PROPESQ PROPESQ PROPESQ