MAIS EDUCADAS DO QUE INSTRUÍDAS: RECORTES SOBRE A ESCOLARIZAÇÃO FEMININA

Autores

  • Juliana Ribeiro de Vargas Universidade Luterana do Brasil, Canoas, RS, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v6i2.8676

Resumo

Analiso, neste estudo, discursos circulantes nos processos de escolarização da população feminina encaminharam um modo específico para que meninas e jovens constituíssem determinados comportamentos entendidos como adequados para “o ser mulher”. Como referencial teórico, valho-me dos Estudos Culturais em Educação, dos Estudos de Gênero. Como ferramenta metodológica, articulo pressupostos da análise do discurso, a partir de Foucault. Desta forma, apresento inicialmente, considerações acerca da constituição de um ideário de feminilidade, problematizando-o através das perspectivas teóricas elencadas. Posteriormente, destaco discursos e enunciados sobre a feminilidade constituídos sobre a análise dos processos de escolarização feminina retomando práticas iniciadas no Brasil Colônia e reiteradas até do século XX no contexto brasileiro. Por fim, encerro este estudo com a certeza de que outros discursos aceca das feminilidades poderiam ser problematizados na procura de visibilidade para dimensões sobre o tema.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-02-07

Como Citar

de Vargas, J. R. (2019). MAIS EDUCADAS DO QUE INSTRUÍDAS: RECORTES SOBRE A ESCOLARIZAÇÃO FEMININA. Diversidade E Educação, 6(2), 18–25. https://doi.org/10.14295/de.v6i2.8676

Edição

Seção

Diversidade em Debate