SABERES TRADICIONAIS QUILOMBOLAS NA ESCOLA: O USO DO LINDÔ NAS AULAS DE PORTUGUÊS

Walace Rodrigues, Jane Guimarães Sousa, Karylleila dos Santos Andrade

Resumo


Este artigo tem por objetivo discutir e refletir a importância das cantigas de Lindô como fator contribuinte para a valorização cultural do Quilombo Cocalinho. Os resultados mostram que se o Lindô for levado para a sala de aula contribuirá de forma efetiva para valorização cultural, fortalecimento da identidade do sujeito, da autoestima e pode contribuir para o processo de leitura, interpretação e análise linguística nas aulas de língua portuguesa.


Texto completo:

PDF

Referências


BARCELLOS, Fernanda da Silva. O multiculturalismo e o ensino de língua portuguesa. IN: Anais do VIII Fórum de Estudos Linguísticos. Língua Portuguesa e Identidade: Marcas Culturais Instituto de Letras, UERJ, Rio de Janeiro, 16, 17 e 18 de novembro de 2005.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Terceiros e quartos ciclos do ensino fundamental - Os Temas Transversais. Brasília, DF, 1998.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – Lei 9394, de 20 de dezembro de 1996. Com redação atualizada pela Lei nº 11.645, de 2008.

FILHO, Júlio Oliveira Lima; CARDOSO, Letícia Conceição Martins; PACHECO, Lúcia Maria. Dança do Lindô: Uma tradição transmitida do leste para o sul do Maranhão. IN: Anais do XIII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste, Maceió, AL, 15 a 17 de junho 2011.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 2008.

HALL, Stuart. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções do nosso tempo. In: THOMPSON, Kenneth (org.). Media and Cultural Regulation. England, 1997. Tradução publicada em Educação & Realidade. Porto Alegre, v.22, nº2, p. 15-46, jul/dez 1997. Disponível em: < http://www.gpef.fe.ups.br/teses/agenda_2011_02.pdf >. Acesso em: 17/01/2018.

___________. Da Diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2009.

LEITE, Ilka Boaventura. Os quilombos no Brasil: questões conceituais e normativas. Etnográfica, Vol. IV (2), 2000, p. 333-354.

OLIVEIRA, L. O; SILVA. F. A. Multiculturalismo: um desafio para o educador. Revista eletrônica-ICE, vol. 5, n. 1, nov 2011. Disponível em: . Acesso em: 18/01/2018.

RODRIGUES, Walace. Desconstruindo Discursos de Diferença na Escola. Educação & Realidade. UFRGS, Porto Alegre, v. 42, n. 2, pág. 687-706, abr./jun. 2017.

SOUSA, Francisca Maria do Nascimento. Linguagens escolares e reprodução do preconceito. IN: Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei Federal 10.639/03. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade – Brasília, 2005. Pág. 105 a 120.

NASCIMENTO, Olindina Serafim. Proposta de educação quilombola para as escolas das comunidades quilombolas do Sapê do Norte. 2009. Disponível em: < http://www.anpae.org.br/congressos_antigos/simposio2009/271.pdf >, acesso em 27/01/2018.

OLIVEIRA, Gerson Alves de. Quilombolas do norte do Tocantins: O sentido e o lugar de uma experiência. UNESP Marília, 2015. Disponível em: < http://www.marilia.unesp.br/Home/Eventos/2015/iseminariointernacionalpos-graduacaoemcienciassociais/4---gerson-alves-de-oliveira.pdf >, acesso em 27/01/2018.

QUILOMBOLA, José Carlos. Postagem de 21 de novembro de 2017 no blog Comunidade Quilombola de Cocalinho. Disponível em: < http://quilombococalinho.blogspot.com.br/ >, acesso em 27/01/2018.




DOI: https://doi.org/10.14295/de.v6i2.8456

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


E-ISSN: 2358-8853

Indexadores

Sumários.org

 

doaj.org/toc/2358-8853 

 

PROPESQ