Educação como Prática da Liberdade para Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais: saberes, vivências e (re)leituras em Paulo Freire

Autores

  • Cleyton Feitosa Pereira Universidade de Brasília (UnB). Brasília, DF, Brasil.
  • Allene Carvalho Lage Universidade Federal de Pernambuco/Centro Acadêmico do Agreste (UFPE/CAA). Caruaru, PE, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v5i2.7712

Resumo

Resumo: Através de uma pesquisa bibliográfica, com foco nas obras “Educação como Prática da Liberdade” e “Pedagogia do Oprimido”, tecemos reflexões e conexões entre o pensamento freireano e a luta cotidiana do Movimento LGBT. As análises apontaram perspectivas de existir e estar no mundo - a integração ou a acomodação - e a relação que a população LGBT estabelece com o enfrentamento à heteronormatividade remetendo-nos à contradição opressor-oprimido. Entendemos essa complexa conjuntura violadora de direitos por aquilo que Freire chamou de “inexperiência democrática” como sendo parte da realidade construída historicamente por meio da colonização de povos latinoamericanos. Mas compreendemos também que a emancipação pode se dar através de uma educação horizontal, dialógica, plural e conscientizadora. Uma educação como prática da liberdade.

Palavras-Chave: Educação. Diversidade sexual. Emancipação. Paulo Freire.

 

Resumen: A través de una investigación bibliográfica, con foco en las obras "Educación como Práctica de la Libertad" y "Pedagogía del Oprimido", tejemos reflexiones y conexiones entre el pensamiento freireano y la lucha cotidiana del Movimiento LGBT. Los análisis apuntaron perspectivas de existir y estar en el mundo - la integración o el acomodamento - y la relación que la población LGBT establece con el enfrentamiento a la heteronormatividad remitiéndonos a la contradicción opresor-oprimido. Entendemos esa compleja coyuntura violadora de derechos por lo que Freire llamó "inexperiencia democrática" como parte de la realidad construida históricamente por medio de la colonización de pueblos latinoamericanos. Pero comprendemos también que la emancipación puede darse a través de una educación horizontal, dialógica, plural y concientizadora. Una educación como práctica de la libertad.

Palabras clave: Educación. Diversidad sexual. Emancipación. Paulo Freire.

 

Abstract: Through a bibliographical research, focusing on the works "Education as a Practice of Freedom" and "Pedagogy of the Oppressed", we weave reflections and connections between Freirean thinking and the daily struggle of the LGBT Movement. The analysis pointed to perspectives of existence and being in the world - integration or accommodation - and the relationship that the LGBT population establishes with the confrontation with heteronormativity, referring to the oppressive-oppressed contradiction. We understand this complex situation violating rights by what Freire called "democratic inexperience" as part of the reality historically built through the colonization of Latin American peoples. But we also understand that emancipation can take place through a horizontal, dialogical, pluralistic and conscientious education. An education as a practice of freedom.

Keywords: Education. Sexual diversity. Emancipation. Paulo Freire.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleyton Feitosa Pereira, Universidade de Brasília (UnB). Brasília, DF, Brasil.

Doutorando em Ciência Política pela Universidade de Brasília - UnB. Mestre em Direitos Humanos pela Universidade Federal de Pernambuco - PPGDH/UFPE. Licenciado em Pedagogia pela Universidade Federal de Pernambuco/Centro Acadêmico do Agreste - UFPE/CAA. É autor do livro "Políticas Públicas LGBT e Construção Democrática no Brasil" (Editora Appris, 2017). Foi consultor da Unesco atuando na organização da 3ª Conferência Nacional LGBT (2016); Membro do Conselho Nacional LGBT - CNCD/LGBT (2015); Tutor no curso de Especialização em Educação em Direitos Humanos da UFPE - EEDH/UFPE (2014-2015) e Assessor de Políticas LGBT na Prefeitura Municipal de Caruaru (2013-2014). É membro dos grupos de pesquisa (CNPq) RESOCIE - Repensando as Relações entre Sociedade e Estado (Doutorado), DIVERSIONES - Direitos Humanos, Poder e Cultura em Gênero e Sexualidade (Mestrado) e Movimentos Sociais, Educação e Diversidade na América Latina (Graduação).

Allene Carvalho Lage, Universidade Federal de Pernambuco/Centro Acadêmico do Agreste (UFPE/CAA). Caruaru, PE, Brasil.

Pós-doutora em Direitos Humanos pelo PPGDH/UFPE (2016). Pós-doutora em Educação na UFRGS (2012). Doutora em Sociologia pela Universidade de Coimbra (2006). Mestre em Administração Pública pela Fundação Getulio Vargas - RJ (2001). Graduada em Administração - Faculdades Integradas Anglo Americano - RJ (1993). Professora Associada da Universidade Federal de Pernambuco. Ingressou em março de 2006, lotada no Centro Acadêmico do Agreste (Caruaru). Professora do Curso de Pedagogia, e Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação Contemporânea e do Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos. Professora Visitante da Universidade de Salamanca, na Espanha em 2010, selecionada pelo CNPq. Coordenadora do Observatório dos Movimentos Sociais na América Latina da UFPE/CAA. Exerce suas atividades de ensino, pesquisa e extensão sobre as experiências do saber-fazer educativo e processos identitários no âmbito de lutas emancipatórias dos movimentos sociais populares, da educação do campo e de outras temáticas relativas à diversidade, tais como relações de gênero, étnico-racial e sexualidades, no âmbito da América Latina. Interessa-se ainda pelas questões epistemológicas - metodológicas e analíticas - sobre educação dentro dos movimentos sociais populares e estudos comparados sobre América Latina. Desde 2001, tem os estudos pós-coloniais como referência teórica de sua produção científica. Pesquisadora do CNPq. Tem artigos publicados no Brasil, Argentina, Cuba, Portugal e Espanha. Editora da SABERES - Revista do Observatório dos Movimentos Sociais e autora do livro "Educação e Movimentos Sociais: caminhos para uma pedagogia de luta". Editora Universitária UFPE, 2013.

Referências

FREIRE, Paulo. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2009.

______. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

LOURO, Guacira Lopes. Heteronormatividade e homofobia. In: JUNQUEIRA, Rogério Diniz (Org.). Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO, 2009. p. 84-93.

Downloads

Publicado

2018-03-18

Como Citar

Pereira, C. F., & Lage, A. C. (2018). Educação como Prática da Liberdade para Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais: saberes, vivências e (re)leituras em Paulo Freire. Diversidade E Educação, 5(2), 68–76. https://doi.org/10.14295/de.v5i2.7712

Edição

Seção

Diversidade em Debate