Relações de Gênero na Ciência e Tecnologia (C&T): estudo de caso de um Centro Federal de Educação Tecnológica

Mislene Aparecida Gonçalves Rosa, Raquel Gonçalves Quirino

Resumo


    Como nos últimos anos a mulher vem alcançando cada vez mais espaço no mundo acadêmico, científico e tecnológico, o presente artigo objetiva problematizar as relações de gênero na Ciência e Tecnologia (C&T) e dar visibilidade à presença feminina em sua produção e divulgação. Evidencia que, embora presente nessas áreas, a presença da mulher ainda continua subsumida nas tramas sociais que não reconhecem, a contento, o seu papel e suas contribuições científicas e tecnológicas. Realizada em um Centro Federal de Educação Tecnológica, apresenta a produção científica e tecnológica das pesquisadoras doutoras inseridas nos programas de pósgraduação stricto sensu e verifica que, embora sejam em menor número, as pesquisadoras têm uma produção significativa e de mais qualidade do que a dos pesquisadores da instituição.


Texto completo:

PDF

Referências


BORTOLAIA SILVA, Elizabeth. Des-construindo gênero em ciência e tecnologia. Cadernos pagu, n. 10, p. 7-20, 2012.

CAMPAGNOLI, Adriana de Fátima Pilatti Ferreira et al. A mulher, seu espaço e sua missão na sociedade. Análise crítica das diferenças entre os sexos. Emancipação, v. 3, n. 1, p. 127-153, 2003.

CARVALHO, Marilia Gomes de. Ciência, Tecnologia, Gênero e os paradigmas científicos. Curitiba. Ed. UTFPR, p. 1-9, 2011.

CHASSOT, Attico. A Ciência é masculina? E, sim senhora!. Revista Contexto & Educação, v. 19, n. 71-72, p. 9-28, 2013.

CNPq. Currículo lattes, 2015. Disponível em: Acesso em: 5 mai. 2016

GONZALEZ, Débora. Os desafios da promoção da ‘autonomia econômica das mulheres’no brasil: estratégias, discursos e práticas. Seminário Internacional Fazendo Gênero 10 (Anais Eletrônicos), Florianópolis, 2013.

HIRATA, Helena; KERGOAT, Danièle. Novas configurações da divisão sexual do trabalho. Cadernos de pesquisa, v. 37, n. 132, p. 595-609, 2007.

HIRATA, Helena. Mudanças e permanências nas desigualdades de gênero: divisão sexual do trabalho numa perspectiva comparativa. Friedrich-EbertStiftung, 2015

IBGE. Estatísticas de gênero. Uma análise dos resultados do Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro, n. 33, 2014.

LIMA, Betina Stefanello. In: O labirinto de cristal: as trajetórias das cientistas na Física. Estudos Feministas: Florianópolis, setembro-dezembro, 2013.

MELO, Hildete Pereira de. LASTRES, Helena Maria Martins. MARQUES, Teresa Cristina de Novaes. Gênero no Sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil. Revista Gênero, vol. 1/2004.

MELO, Hildete. Pereira; LASTRES, Helena. Maria. Ciência e tecnologia numa perspectiva de gênero: o caso do CNPq. In: SANTOS, L.; ICHIKAWA, E.; CÁRGANO, D. (Org.). Ciência, Tecnologia e Gênero: desvelando o feminino na construção do conhecimento. Londrina: IAPAR, 2006. p. 129-160.

OLINTO, Gilda. A inclusão das mulheres nas carreiras de ciência e tecnologia no Brasil. Inc. Soc., Brasília, DF, v. 5 n. 1, p.68-77, jul./dez. 2011.

MUELLER, Suzana Pinheiro Machado; SILVA, Claudio Nei Nascimento da Silva. Avaliação dos periódicos brasileiros: Os critérios do qualis-periódico à luz de Merton e Bourdieu. In: XVI Encontro Nacional de Pesquisa em Pós-Graduação em Ciência da Informação. 2015.

SILVA, Fabiane Ferreira; RIBEIRO, Paula Regina Costa. Mulheres na ciência: problematizando discursos e práticas sociais na constituição de “mulherescientistas”. In: Congresso ibero americano de ciência tecnologia e gênero. Rio Grande do Sul, v. 8, p. 1-15, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


E-ISSN: 2358-8853

Indexadores

Sumários.org

Google Academico

doaj.org/toc/2358-8853