JOANA E SOFIA RESISTEM ÀS NORMAS DE GÊNERO

A LITERATURA INFANTIL COMO UM CURRÍCULO PARA FABULAÇÃO, CRIAÇÃO DE POSSÍVEIS E SUJEITOS OUTROS

Autores

  • Anália da Silva Vieira UFMA
  • Danilo Araújo de Oliveira UFMG

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v11i2.16074

Resumo

Este artigo analisa dois livros de literatura infantil - Faca sem ponta, galinha sem pé, de Ruth Rocha e Sofia Pimenta, Futura Presidenta de Andrea Beaty, com o objetivo de problematizar como funciona as narrativas desses livros de literatura no que se refere às suas produções generificadas, procurando dar foco às resistências neles visibilizadas através das personagens principais. Com base nas contribuições pós-críticas, o artigo se fundamentou na concepção de currículo cultural não escolar, mobilizando metodologicamente inspirações de análise do discurso foucaultiana. O argumento desenvolvido aqui é o de que as narrativas do currículo dos livros analisados colocam em evidência personagens femininas que tensionam as normas de gênero, fazendo emergir saberes de resistência para criação de possíveis outros no mundo imaginário, mas que têm efeitos naquilo que chamamos realidade, pois disputam sentidos e significados sobre ele.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anália da Silva Vieira, UFMA

Pedagoga pela Universidade Federal do Maranhão.

Danilo Araújo de Oliveira, UFMG

Doutor pela Universidade Federal do Maranhão.

Professor Adjunto da Universidade Federal do Maranhão.

LATTES:http://lattes.cnpq.br/0463409625851892

ORCID: https://orcid.org/0000-0003-3222-3172

Downloads

Publicado

2024-01-26

Como Citar

da Silva Vieira, A., & Araújo de Oliveira, D. (2024). JOANA E SOFIA RESISTEM ÀS NORMAS DE GÊNERO: A LITERATURA INFANTIL COMO UM CURRÍCULO PARA FABULAÇÃO, CRIAÇÃO DE POSSÍVEIS E SUJEITOS OUTROS . Diversidade E Educação, 11(2), 535–559. https://doi.org/10.14295/de.v11i2.16074