EDUCAÇÃO FÍSICA E GÊNERO

ALGUMAS REFLEXÕES A PARTIR DO DISCURSO DAS CRIANÇAS

Autores

  • Vandelma Silva Oliveira Rios
  • Christiane Garcia Macedo UFRGS
  • Bruno de Oliveira e Silva Prefeitura Municipal de Petrolina

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v11i2.15849

Resumo

A partir da década de 1980, e marcadamente na década de 1990, a produção científica denuncia e analisa as desigualdades de gênero existentes na educação física escolar e nas práticas corporais. Embora já tenhamos um campo científico consolidado, na escola ainda persistem algumas práticas que separam meninos e meninas e os/as tratam de forma desigual. Tentando contribuir para as discussões na infância, o objetivo desse artigo é analisar como as relações de gênero têm interferido nas aulas de Educação Física. Optamos por uma abordagem etnográfica nesse componente curricular em uma escola dos anos iniciais de uma cidade pequena na região metropolitana de Salvador no estado da Bahia. A partir da análise de discurso apontamos permanências e complexidades das relações, já que existem crianças que não reforçam tanto a diferença entre meninos e meninas e entendem a importância de aulas para todos/as/es juntos/as/es.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vandelma Silva Oliveira Rios

Mestranda no Programa de Pós-graduação em Educação Física da UNIVASF. Professora de Educação Física da Rede Estadual da Bahia e Rede Municipal de São Francisco do Conde. 

Bruno de Oliveira e Silva, Prefeitura Municipal de Petrolina

Doutor em Educação Física pela UFES. Professor da Rede Municipal de Petrolina. Pesquisa educação física escolar, currículo e cotidiano escolar.

Downloads

Publicado

2024-01-26

Como Citar

Rios, V. S. O. ., Macedo, C. G., & Silva, B. de O. e. (2024). EDUCAÇÃO FÍSICA E GÊNERO: ALGUMAS REFLEXÕES A PARTIR DO DISCURSO DAS CRIANÇAS. Diversidade E Educação, 11(2), 458–482. https://doi.org/10.14295/de.v11i2.15849

Edição

Seção

Dossiê: Diversidade, gênero e sexualidade nas práticas corporais e esportivas