EDUCAÇÃO INCLUSIVA E A RELAÇÃO FAMÍLIA-ESCOLA

UM PANORAMA DE DUAS DÉCADAS DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v11i2.15737

Resumo

O presente artigo tem por objetivo comparar quantitativamente duas décadas de produções científicas sobre a relação família-escola, na educação inclusiva, e analisar qualitativamente os desdobramentos das temáticas dessas produções, com foco no segundo decanato. Este estudo comparativo fundamentou-se na busca sistemática em bancos de dissertações e teses, e utilizou-se metodologicamente de enfoque fenomenológico, obtendo unidades significativas das produções. O trabalho está organizado em duas etapas: 1) comparação quantitativa de duas décadas (2001-2011; 2012-2022); e 2) descrição e análise da unidade significativa de maior frequência da segunda década. O foco na percepção, da família, educadores e demais agentes, deve-se ao fato de uma mudança metodológica, de público-alvo e de contexto sócio-político, cuja finalidade é incentivar mais o processo inclusivo na educação. Nesse sentido, concluiu-se admitindo que existe implicitamente na constituição da relação família-escola, na educação inclusiva, o preconceito como atitude em ambas polaridades dessa relação, suscitando uma discussão ética e política.

PALAVRAS-CHAVE: relação família-escola. educação inclusiva. preconceito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adonis da Silva Tomé, UNICID

Psicólogo, pós-graduado em psicopatologia fenomenológica pela Santa Casa de São Paulo e pós-especialista pelo International MetaMasters in Phenomenology and Values-based Clinical Care. Atualmente é professor-assistente da Universidade Paulista (UNIP), mestrando em educação pela UNICID, bolsista CAPES. Possui experiência na área de Psicologia, com ênfase em nos seguintes temas: fenomenologia, saúde mental e educação.

Ida Carneiro Martins, UNICID

Possui graduação em Educação Física pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas/PUCCamp (1979), especialização em Educação Física Infantil pela Faculdades Integradas de Guarulhos/FIG (1982) e em Educação Motora na Escola pela Universidade Estadual de Campinas/UNICAMP (1991), mestrado em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas/UNICAMP (2002) na área de Pedagogia do Movimento e doutorado em Educação na Universidade Metodista de Piracicaba/UNIMEP (2009) na área de Formação de Professores. Foi professora da Educação Básica por 22 anos (1979-2001) e coordenadora da área de Educação Física do Colégio Notre Dame de Campinas/CND (1997-1999) para a implantação do currículo da área. Atuou como professora da Universidade Metodista de Piracicaba / UNIMEP (2001-2009; 2014-2016), da Universidade Federal da Grande Dourados/UFGD (2010-2011), da Universidade Nove de Julho/UNINOVE (2012-2014; 2016-2018). Foi professora do Programa de Pós-Graduação/PPGE em Educação da UNIMEP (2016-2018). Exerceu cargos de gestão como coordenadora de cursos de Educação Física na UNIMEP (2004-2008) e na UFGD (2010-2011) e Vice-diretora da Faculdade de Educação/FAED/UFGD (2011). Coordenou o Programa de Licenciaturas Internacionais PLI UNINOVE/UP, Processo 97/2012/CAPES (2012-2014). Atualmente é professora do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE e do Mestrado Profissional em Formação de Gestores Educacionais ? PPGe-GE da Universidade Cidade de São Paulo - UNICID. Vice-Líder do Grupo de Estudos sobre Aprendizagem, Desenvolvimento Motor e Inclusão na Educação Básica/GEPADIEB, desenvolvendo pesquisas relacionadas aos temas: Jogos e Brincadeiras; Movimento Humano; Desenvolvimento Humano; Educação Infantil, Educação Básica, Educação Física Escolar e Práticas Educativas.

Roberto Gimenez, UNICID

Possui graduação em Bacharelado em Educação Física pela Universidade de São Paulo (1996), graduação em Licenciatura Em Educação Física pela Universidade de São Paulo (1998). Possui Graduação em Pedagogia, Mestrado em Educação Física pela Universidade de São Paulo (2001) e Doutorado em Educação Física por esta mesma Universidade (2006). Atualmente é professor e coordenador do curso de Educação Física da Universidade Cidade de São Paulo e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Cidade de São Paulo. Tem experiência no ensino pessoas com deficiência com especial atenção para a deficiência intelectual, síndrome de Down, Transtorno do Espectro do Autismo e crianças com dificuldades motoras. Além disso, desenvolve pesquisa sobre inclusão escolar a partir do paradigma da complexidade. Professor e Pesquisador dos Programas de Mestrado e Doutorado em Educação da Universidade Cidade de São Paulo, e Mestrado (Profissional) em Formação de Gestores Educacionais. Atua nas linha de pesquisa de Subjetividades, Formação e Aprendizagens. Desenvolve pesquisas na área de Gestão e Contextos que possam favorecer a inclusão, desenvolvimento e Aprendizagem na Educação Básica. Pos-Doutorando na Universidade de Aysén no Chile no Departamento de Ciências e Humanidades.

Downloads

Publicado

2024-01-26

Como Citar

da Silva Tomé, A., Carneiro Martins, I., & Gimenez, R. . (2024). EDUCAÇÃO INCLUSIVA E A RELAÇÃO FAMÍLIA-ESCOLA: UM PANORAMA DE DUAS DÉCADAS DE PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO. Diversidade E Educação, 11(2), 560–588. https://doi.org/10.14295/de.v11i2.15737