MATERNIDADES JUVENIS

O QUE DIZEM ALUNAS DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE PERIFERIA

Autores

  • Dolneia Aparecida dos Santos
  • Juliana Vargas ULBRA
  • Juliana Ribeiro de Vargas

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v9iEspecial.12838

Resumo

Neste estudo buscamos analisar e problematizar representações de maternidade, a partir de narrativas de jovens mães e gestantes, na faixa etária entre 17 e 23 anos de idade, estudantes do Ensino Médio de uma escola pública da periferia de Canoas (RS). Para tanto, buscamos como aportes teóricos os Estudos Culturais em Educação, os Estudos de Gênero e os Estudos sobre Juventude. Como metodologia, aplicamos um questionário exploratório e, posteriormente, organizamos encontros de Grupo Focal, entre novembro e dezembro de 2018. Tais ferramentas subsidiaram organização das seguintes unidades analíticas: “Sou uma boa mãe - narrativas de afeto e atenção”; “Sou uma mãe, mas continuo sendo jovem, quero curtir a vida”. A partir de tais análises, destacamos a construção de maternidades juvenis plurais, que se distanciam das representações naturalizadas da maternidade e da juventude, as quais necessitam precisam ser mais bem estudadas e problematizadas em nossas instituições de ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dolneia Aparecida dos Santos

Professora da Rede Estadual de Ensino do Estado do Rio Grande do Sul

Juliana Ribeiro de Vargas

Pesuisadora e Professora Adjunta PPGEDU/ULBRA

Downloads

Publicado

2021-05-23

Como Citar

Aparecida dos Santos, D. ., Vargas, J., & Ribeiro de Vargas, J. . (2021). MATERNIDADES JUVENIS : O QUE DIZEM ALUNAS DE UMA ESCOLA PÚBLICA DE PERIFERIA. Diversidade E Educação, 9(Especial), 155–177. https://doi.org/10.14295/de.v9iEspecial.12838

Edição

Seção

N. Especial: Tecituras em Redes de Discussões e Afetos: interface..