BRUXAS, PERIGOSAS E DESORDEIRAS

A MULHER E A CULPA NA INQUISIÇÃO

Autores

  • Ailton Dias de Melo FURG - Federal do Rio Grande
  • Paula Regina Costa Ribeiro FURG - Universidade Federal do Rio Grande

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v9iEspecial.12646

Resumo

Neste artigo o objetivo é discutir a relação mulher-culpa a partir de fragmentos de textos relacionados à caça às bruxas durante a Inquisição. Como metodologia buscamos desenvolver um exercício de problematização de inspiração foucaultiana. Chegamos a uma teia imbricada de relações de múltiplas técnicas de saber e poder que envolve as mulheres, o feminino, a sexualidade e os atos sexuais. Uma teia marcada por subversões e pecados expressos em forma de culpa e punições. Constatamos que mulheres foram por muito tempo vistas como um risco impeditivo de grandes projetos como o capitalismo, o adestramento dos corpos para a produção em série, a manutenção do patriarcado religioso, político e científico. Diante dos confrontos e análises feitas com ironia, perguntas e críticas pudemos perceber o quanto os “ecos” do período histórico pesquisado, reverberam entre nós ainda hoje.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Regina Costa Ribeiro, FURG - Universidade Federal do Rio Grande

Doutora em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. Professora do Instituto de Educação e dos Programas de Pós-Graduação: Educação em Ciências e Educação Ambiental da Universidade Federal do Rio Grande – Furg. Pós-Doutorado na Escola Superior de Educação de Coimbra/Instituto Politécnico de Coimbra. Pesquisadora do Grupo de Investigación en Educación y Sociedad (Gies). Líder do Grupo de Pesquisa Sexualidade e Escola (Gese), atuando principalmente nos seguintes temas: corpos, gêneros e sexualidades. Bolsista produtividade 1C do CNPq.

Downloads

Publicado

2021-05-23

Como Citar

Dias de Melo, A., & Regina Costa Ribeiro, P. (2021). BRUXAS, PERIGOSAS E DESORDEIRAS: A MULHER E A CULPA NA INQUISIÇÃO. Diversidade E Educação, 9(Especial), 21–48. https://doi.org/10.14295/de.v9iEspecial.12646

Edição

Seção

N. Especial: Tecituras em Redes de Discussões e Afetos: interface..