CORPO, GÊNERO, ENVELHECIMENTO E CULTURA VISUAL: a dança abrindo as fronteiras entre o possível e o inimaginável.

Autores

  • Anderson José de Oliveira Universidade Federal de Juiz de Fora https://orcid.org/0000-0001-9548-3241
  • Neil Franco Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Nayara Rios Cunha Salvador Universidade Federal de Juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v8i1.11209

Resumo

RESUMO

O presente artigo discute diferentes temas através de uma apresentação do programa Got Talent no qual uma senhora de aproximadamente 80 anos faz uma performance acrobática com um dançarino mais jovem. Analisando estas imagens, percebe-se o estranhamento frente a um casal tão peculiar. Tal aspecto foi observado através das expressões faciais da plateia e jurados e também através das falas destes últimos, antes e posteriormente à apresentação do referido casal. Através deste material foram feitas discussões relacionadas a gênero, corpo e envelhecimento, problematizando os limites impostos pela sociedade para o corpo de uma mulher idosa. Para a realização deste ensaio utilizamos de metodologia qualitativa com a correlação de fontes midiáticas e bibliográficas, através de um olhar pós-crítico. Percebemos que a performance desta senhora nos permite afirmar que pensar o corpo na e pela cultura é um caminho para desnaturalizá-lo e entendê-lo como um processo cultural e histórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anderson José de Oliveira, Universidade Federal de Juiz de Fora

Aprovado no processo seletivo para o doutorado em Educação/UFJF turma 2020. Mestre em Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora desde 2015. Concluiu a especialização em "Educação Física Escolar" em 2019 e "Arte e Educação Infantil" em 2004. Graduado em Educação Física no ano de 2003. Professor efetivo de educação física na rede Municipal de Ensino de Juiz de Fora/MG, desde 2005 e na rede estadual de ensino de MG desde 2015. Integrante dos Grupos de Pesquisas GEFLIC e GPCD, ambos vinculados a Universidade Federal de Juiz de Fora. 

Neil Franco, Universidade Federal de Juiz de Fora

Graduado em Licenciatura Plena em Educação Física (1994), Mestrado (2009) e Doutorado (2014) em Educação; cursos concluídos na Universidade Federal de Uberlândia. É professor adjunto da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Faculdade de Educação Física e Desportos, Departamento de Ginástica e Arte Corporal. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFJF, Linha de Pesquisa Discursos, práticas, ideias e subjetividades em processos educativos. Coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisa Corporeidades[s], Culturas e Diferença (GPCD). 

Nayara Rios Cunha Salvador, Universidade Federal de Juiz de Fora

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF. Participante do Grupo de Estudos e Pesquisa: Corpo, Culturas e Diferença - GPCD, da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Pesquisadora na área de Interseccionalidades, Feminismos, Gênero e Sexualidade. Pós-graduanda em Educação em Direitos humanos, Diversidade e questões étnico-sociais ou raciais (PPG Lato-sensu - FAVENI, 2019). Trabalha atualmente como professora na SEEDUC-RJ, na área de Disciplinas Pedagógicas e Inglês.

Downloads

Publicado

2020-08-16

Como Citar

Oliveira, A. J. de, Franco, N., & Salvador, N. R. C. (2020). CORPO, GÊNERO, ENVELHECIMENTO E CULTURA VISUAL: a dança abrindo as fronteiras entre o possível e o inimaginável. Diversidade E Educação, 8(1), 559–576. https://doi.org/10.14295/de.v8i1.11209