UNIVERSIDADE: ESPAÇO PARA (RE)PENSAR CONCEPÇÕES DE GÊNERO, MASCULINIDADE E SUAS IMPLICAÇÕES NA FORMAÇÃO DE PEDAGOGOS

Autores

  • Ivone Maria Mendes Silva Universidade Federal da Fronteira Sul https://orcid.org/0000-0002-0058-091X
  • Tatiane Fátima Lapinski Graduanda em Pedagogia na Universidade Federal da Fronteira Sul.

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v7i1.8624

Resumo

O presente artigo analisa as concepções sobre gênero e masculinidade(s) de pedagogos em formação, buscando discutir de que forma a inserção deles no contexto universitário tem repercutido na (re)construção de suas masculinidades. Enfoca ainda aspectos da formação em Pedagogia e o papel da Universidade na abordagem das questões de gênero, considerando as incidências ou atravessamentos destas questões nas possibilidades formativas e de atuação profissional às quais os pedagogos têm acesso. As narrativas produzidas pelos sujeitos da pesquisa, no contexto de um grupo focal, apontam a vivência de experiências em que suas masculinidades foram questionadas, principalmente em função da escolha profissional. No entanto, eles problematizam esse preconceito como algo que deve ser desnaturalizado, assim como as concepções de gênero que o sustentam. Conclui-se que a Universidade, como outros espaços educativos, pode assumir um papel importante na discussão de padrões normativos de gênero e na desconstrução de práticas discriminatórias nesse âmbito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivone Maria Mendes Silva, Universidade Federal da Fronteira Sul

Ivone Maria Mendes Silva atualmente é professora adjunta na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Erechim/RS. Graduada em Psicologia e mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), mestre em Educação pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET/MG) e doutora em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo (USP). 

Tatiane Fátima Lapinski, Graduanda em Pedagogia na Universidade Federal da Fronteira Sul.

Graduanda em Pedagogia na Universidade Federal da Fronteira Sul.

Referências

ALTHOFF, Katiany Cargnin. Homens pedagogos? A vivência dos professores que atuam com crianças na região de Braço do Norte-SC. Monografia (especialização), Universidade Federal de Santa Catarina, Curso de Especialização em Gênero e Diversidade na escola, Florianópolis, 2016.

ARAÚJO, Messias. Pereira; HAMMES, Care. Cristiane. A androfobia na educação infantil. Interfaces da Educação, Paranaíba, v. 3, nº 7, p. 5-20, 2012.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011, 279 p.

CARVALHO, Marília Pinto de. Vozes masculinas numa profissão feminina. Revista estudos feministas, Florianópolis, v.6, nº 2, p. 406-422, jan. 1998.

CASTAÑEDA, Marina. O machismo invisível. São Paulo: A Girafa, 2006, 304 p.

CONNELL, Robert. Políticas da masculinidade. Educação & Realidade. Porto Alegre, v.20, n.2, p.185-206, jul./dez 1995.

CONNELL, Robert W.; MESSERSCHMIDT, James W. Masculinidade hegemônica repensando o conceito. Revistas Estudos Feministas, Florianópolis, v.21, n.1, p.241- 82, 2013.

DAMICO, José Geraldo Soares; MEYER, Dagmar E. Estermann. Constituição de masculinidades juvenis em contextos "difíceis": vivências de jovens de periferia na França. Cadernos Pagu [online], Campinas/SP, n.34, p.143-178, jan./jun. 2010.

GUIZZO, Bianca Salazar. Identidades de gêneros masculinas da infância e as regulações produzidas na educação infantil. Revista Ártemis, João Pessoa, v.6, p.38-48, jun. 2007.

HEILBORN, Maria Luíza. O traçado da vida: gênero e idade em dois bairros populares do Rio de Janeiro. In: MADEIRA, F. R. (org.). Quem mandou nascer mulher? Estudos sobre crianças e adolescentes pobres do Brasil. Rio de janeiro: Record/Rosa dos Tempos, 1997, p. 291-342.

JOBIM SOUZA, Solange; GAMBA JUNIOR, Nilton. AIDS – Transformando casos em Histórias: uma pesquisa – intervenção. Revista de Psicologia Política, Belo Horizonte/MG, vol.7, n°13, 2007. Disponível em: < http://www.fafich.ufmg.br/rpp/seer/ojs/viewarticle.php?id=30&layout=HTML>. Acesso em: 10 set. 2018.

LOURO, Guacira Lopes. Educação e docência: diversidade, gênero e sexualidade. Formação Docente, Belo Horizonte, v. 03, n. 04, p. 62-70, jan./jul. 2011.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: Uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997, 179 p.

SILVA, Júlio Régis da; MARTINS, Viviane Lima. O professor homem na educação infantil: um olhar acerca do preconceito. Revista científica Intr@ciência, Guarujá, Edição 11, p. 1-23, jun. 2016.

WELDER-LANG, Daniel. A construção do masculino: dominação das mulheres e homofobia. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v.9, n.2, p. 460- 482, 2001.

Downloads

Publicado

2019-09-11

Como Citar

Silva, I. M. M., & Lapinski, T. F. (2019). UNIVERSIDADE: ESPAÇO PARA (RE)PENSAR CONCEPÇÕES DE GÊNERO, MASCULINIDADE E SUAS IMPLICAÇÕES NA FORMAÇÃO DE PEDAGOGOS. Diversidade E Educação, 7(1), 18–26. https://doi.org/10.14295/de.v7i1.8624