“HOMENS?”:

A REENCENAÇÃO DA MASCULINIDADE

Autores

  • Djalma Thürler Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v9i1.13015

Resumo

O texto demonstra como a masculinidade, suas mudanças e transformações ocorridas na contemporaneidade, são revistas, repensadas e reencenadas a partir da série cômica brasileira “Homens?” (Amazon Prime Video/2019). Nesse caminho, a Teoria Queer fortalece e contesta os regimes de poder dinamitando os modelos hegemônicos de representação que produzem a identidade e a diferença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Djalma Thürler, Universidade Federal da Bahia

DJALMA THÜRLER é especialista em gestão e políticas culturais pela Universidade de Girona (ES), Investigador Pleno do do CULT - Centro de Pesquisa Multidisciplinar em Cultura, da UFBA, Investigador Associado do CLAEC - Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura e Investigador Colaborador do ILCML - Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa, da Universidade do Porto (Portugal). É diretor artístico e dramaturgo da ATeliê voadOR Companhia de Teatro (http://www.atelievoadorteatro.com.br/). Possui estágio de Pós-Doutoramento em Literatura e Crítica Literária pela PUC São Paulo. É Professor permanente do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade e Professor Associado do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências (IHAC) da Universidade Federal da Bahia. É Doutor em Letras com estudos nas áreas de Literatura Brasileira e Teatro (UFF), Mestre em Ciência da Arte (UFF) e Bacharel em Artes Cênicas e em Pedagogia, pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNI-RIO). Tem experiência na área de Artes, Direção Teatral, Literatura Brasileira, Dramaturgia, Gestão e Produção cultural. Coordena o CuS - grupo de Pesquisa em Cultura e Sexualidade (UFBA).

Downloads

Publicado

2021-07-30

Como Citar

Thürler, D. (2021). “HOMENS?”:: A REENCENAÇÃO DA MASCULINIDADE. Diversidade E Educação, 9(1), 508–521. https://doi.org/10.14295/de.v9i1.13015

Edição

Seção

Dossiê “Sexualidades, Currículos e Cinema”