“EU GOSTO MAIS DAS COISAS QUE BRILHAM!”

E SE GÊNERO FOSSE UM CARNAVAL?

Autores

  • Alcidesio Oliveira da Silva Junior Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v9i1.12958

Resumo

Um corpo minúsculo adentra a sala de aula. Contrastando com sua presença acanhada, uma lufada de desordem é provocada por Mário e seu vestido cor-de-rosa, dando luz a um silêncio atônito, assaltado, da ordem do ineditismo. Por meio de uma cartografia inspirada em Deleuze & Guattari, lanço-me ao curta-metragem Vestido Nuevo (2007) com uma pergunta: e se gênero fosse um Carnaval? Em diálogo com os Estudos Culturais da Educação e os Estudos da Performance, concluo o texto dizendo que Mário, como um currículo-performance, um corpo transviado, queer, anarquista, ensaia passos de frevo, de fervor, piruetas que fogem às investidas cinzentas do cotidiano heteronormativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-07-30

Como Citar

Oliveira da Silva Junior, A. (2021). “EU GOSTO MAIS DAS COISAS QUE BRILHAM!”: E SE GÊNERO FOSSE UM CARNAVAL?. Diversidade E Educação, 9(1), 169–196. https://doi.org/10.14295/de.v9i1.12958

Edição

Seção

Dossiê “Sexualidades, Currículos e Cinema”