AS (IM)POSSIBILIDADES DO TRABALHO COM DIVERSIDADE DE GÊNERO E SEXUAL NA ESCOLA APÓS UM CURSO DE FORMAÇÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v8i1.11436

Resumo

Nossa pesquisa norteou-se pela seguinte indagação: Como docentes lidam com as questões de diversidade de gênero e sexual na escola, após terem participado de um curso de formação envolto nessas temáticas? Nós nos enveredamos pelas perspectivas pós-críticas, pós-estruturalistas e nos estudos foucaultianos e, assim, entrevistamos sete professoras(es) que, participaram de um curso de formação sobre diversidade de gênero e sexual oferecido por uma universidade estadual no interior baiano, e estavam atuando na educação básica, nas condições de docentes, coordenação pedagógica ou direção escolar. Apesar de tempos de neoconservadorismo e fundamentalismos, algumas docentes retiraram as travas e se arriscaram a dialogar sobre diversidade de gênero e sexual na escola, mesmo enfrentando empecilhos, outras(os) foram surpreendidas(os) com os atravessamentos dessas temáticas em algum momento na escola e, nem sempre, atuaram como desejavam e houve quem também ainda não foi afetada pelas discussões e optou por não enfrentá-las na escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Rodrigues Lino dos Santos, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Graduada em Pedagogia - UESB/Campus Jequié.
Membro do Grupo de Estudo e Pesquisa em Gênero e Sexualidades.
Membro do Grupo de Pesquisa Educação e Relações Étnicas: saberes e práticas dos Legados Africanos, indígenas e quilombolas, ambos da UESB/Campus Jequié.
Membro da ONG LGBTSOL.
Mestra pelo Programa de Pós-graduação stricto sensu Educação Científica e Formação de Professores - PPG-ECFP.
Professora da Educação Básica - Município de Eunápolis 
Lattes: http://lattes.cnpq.br/0234954176148873

Marcos Lopes de Souza

Professor Titular do Departamento de Ciências Biológicas da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)

Referências

AZEVEDO, S. M. M. M.; SOUZA, M. L. O ensino da sexualidade em um componente curricular específico: regulações e escapes. Ensino em Re-Vista, Uberlândia, MG, v.23, n.2, p.367-386, jul./dez./2016.

FERRARI, A.; CASTRO, R. P. “Quem está preparado pra isso?”... Reflexões sobre a formação docente para as homossexualidades. Práxis Educativa (Brasil), v. 8, n. 1, jan./jun., 2013, p. 295-317.

FINCO, D. Questões de gênero na educação da pequena infância brasileira. Studi Sulla Formazione/Open Journal of Education, v. 18, n. 1, p. 47-57, 2015.

FISCHER, R. M. B. Foucault e a análise de discurso em educação. Cadernos de Pesquisa, n. 114, p. 1997 – 223, nov., 2001.

FOUCAULT, M. História da sexualidade I: a vontade de saber. 20 reimp. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2010a.

FOUCAULT, M. História da sexualidade II: o uso dos prazeres. 13 ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2010b.

FRY, P. MACRAE, E. O que é homossexualidade? São Paulo: Abril Cultural Brasiliense, 1985.

LARROSA, J. Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação. Campinas, n. 19, p.20-28, 2002.

LARROSA, J. Literatura, experiência e formação: uma entrevista de Jorge Larrosa. In: COSTA, Marisa Vorraber (org.). Caminhos investigativos I: novos olhares na pesquisa em educação. 3 ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007, p. 129-156.

LARROSA, J. Tremores: escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

LOURO, G. L. Pedagogias da Sexualidade. In: LOURO, G. L. O corpo educado: pedagogias da sexualidade, 2ª Ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000, p. 35 -82.

LOURO, G. L. Educação e docência: diversidade, gênero e sexualidade. Revista Brasileira de Pesquisa sobre formação docente, v. 3, n.4, p.62-70. 2011.

MELLO, L.; GROSSI, M.; UZIEL, A. P. A escola e @s filh@s de lésbicas e gays: reflexões sobre conjugalidade e parentalidade no Brasil. JUNQUEIRA, Rogério Diniz. (org.). Diversidade sexual na educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO, 2009, p. 159-181.

MEYER, D. E; SOARES, R. de F. R. Modos de ver e se movimentar pelos “caminhos” da pesquisa pós-estruturalista em Educação: o que podemos aprender com – e a partir de – um filme. In: Costa, M. V; BUJES, M. I. E. (orgs.). Caminhos investigativos III: riscos e possibilidades de pesquisar nas fronteiras. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

MEYER, D. E.; PARAÍSO, M. A. (orgs.). Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza Edições. 2 ed., 2014.

NOGUEIRA, G.; COLLING, L. “Homofobia, heterossexismo, heterossexualidade compulsória, heteronormatividade”. In: COLLING, A. M.; TEDESCHI, L. A. (orgs.). Dicionário crítico de gênero. Dourados, MS: Ed. UFGD, 2015, p. 353-358.

PERUCCHI, J.; BRANDAO, B. C.; VIEIRA, H. I. S. Aspectos psicossociais da homofobia intrafamiliar e saúde de jovens lésbicas e gays. Estud. psicol. (Natal), Natal, v. 19, n. 1, p. 67-76, mar., 2014.

SEDGWICK, E. K. A epistemologia do armário. Cadernos Pagu, n. 28, p. 19- 54, 2007.

SILVEIRA, R. M. H.. A entrevista na pesquisa em educação – uma arena de significados. In: COSTA, M. V. (org.). Caminhos investigativos II: outros modos de pensar e fazer pesquisa em educação. 2 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002, p. 119-141.

TEIXEIRA-FILHO, F. S.; RONDINI, C. A. Ideações e tentativas de suicídio em adolescentes com práticas sexuais hetero e homoeróticas. Saúde e Sociedade. São Paulo, v. 21, n. 3, p. 651-667, 2012.

VERGUEIRO, V. Pensando a cisgeneridade como crítica decolonial. In: MESSEDER, S., CASTRO, M.G., and MOUTINHO, L., (orgs.). Enlaçando sexualidades: uma tessitura interdisciplinar no reino das sexualidades e das relações de gênero [online]. Salvador: EDUFBA, 2016, pp. 249-270.

Downloads

Publicado

2020-08-16

Como Citar

Santos, B. R. L. dos, & Lopes de Souza, M. (2020). AS (IM)POSSIBILIDADES DO TRABALHO COM DIVERSIDADE DE GÊNERO E SEXUAL NA ESCOLA APÓS UM CURSO DE FORMAÇÃO. Diversidade E Educação, 8(1), 162–189. https://doi.org/10.14295/de.v8i1.11436

Edição

Seção

Dossiê: Gênero, sexualidade e trabalho docente