“IDEOLOGIA DE GÊNERO” E ESCOLA SEM PARTIDO: DESAFIOS DO ENSINO DA SOCIOLOGIA NA POLÍTICA BRASILEIRA A PARTIR DOS EMBATES HEGEMÔNICOS EM TORNO DA EDUCAÇÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v8i1.11393

Resumo

Este trabalho é resultado de uma pesquisa qualitativa (exploratória) que discute a “Ideologia de Gênero” e o “Movimento Escola sem Partido” enquanto elementos discursivos inseridos em um campo de articulação transnacional. Parte-se das reflexões acerca dos “embates hegemônicos” em torno das políticas de gênero e sexualidade e de uma revisão bibliográfica em torno das temáticas em questão. Busca-se analisar a partir da teoria do discurso os desafios enfrentados pela sociologia no atual cenário político brasileiro. Como resultados, o trabalho aponta que tais elementos discursivos estão associados aos avanços e pautas neoconservadoras e neoliberais somadas aos interesses de grupos religiosos na América Latina, sendo a educação um espaço de disputa entre os sentidos que defrontam por fixação e hegemonia. Conclui-se evidenciando o urgente contexto estrutural das demandas anti-intelectuais, fundamentando propostas político-pedagógicas contrastantes, como a pedagogia feminista, pedagogia queer e decolonial assim como suas respectivas concepções curriculares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silas Veloso de Paula Silva, Universidade Federal de Pernambuco

Graduação em Ciências Sociais (Licenciatura) na UFPE - Universidade Federal de Pernambuco. Mestrando em Educação pela UFPE/PPGEdu. Foi Bolsista do PET (Programa de Educação Tutorial) Encontros Sociais. Participou de projetos de extensão na área da antropologia cultural, ensino da sociologia, ensino e aprendizagem através do audiovisual e comunicação comunitária. Participou de produções audiovisuais como ator e na área de produção. Atualmente leciona as disciplinas de sociologia e filosofia no ensino de rede pública e privada. Além disso, tem cursado pós-graduação em Metodologia de ensino da filosofia e pesquisado sobre gênero e sexualidade no campo educacional.

Isabella Costa Alves Nara, Universidade Federal de Pernambuco.

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação (UFPE/PPGEDU). Pesquisadora do Grupo de estudos e pesquisas em raça, gênero e sexualidade Audre Lorde - UFRPE. Especialista em Neuropsicopedagogia pela Faculdade Metropolitana do Grande Recife. Bolsista pela concessão de bolsas de Pós-graduação pela Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE)

Fernanda Gueiros Vidal Barreto, Universidade Federal de Pernambuco

Graduanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Pernambuco. 


Referências

ALVES, Ana Rodrigues Cavalcanti. O conceito de hegemonia: de Gramsci a Laclau e Mouffe. Lua Nova, São Paulo, v. 80, p.71-96. 2010. Disponível em https://www.scielo.br/pdf/ln/n80/04.pdf. Acesso em: 07 mai. 2020.

BARBOSA, Marina. Bolsonaro quer proibir ideologia de gênero das escolas através de projeto de lei. Congresso em foco, 2019. Disponível em: https://congressoemfoco.uol.com.br/educacao/bolsonaro-quer-proibir-ideologia-de-genero-das-escolas-atraves-de-projeto-de-lei/. Acesso em: 10 mar. 2020.

BROWN, Wendy. In the Ruins of Neoliberalism - The Rise of Antidemocratic Politics in the West. Nova York: Columbia University Press, 2019. 256 p.

CARRARA, Sérgio. Moralidades, Racionalidades e políticas sexuais no Brasil contemporâneo. Mana, Rio de Janeiro, v.21, n.2, ago., 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0104-93132015v21n2p323. Acesso em: 07 mai. 2020.

CASARIN, Helen de Castro S.; CASARIN, Samuel S. Pesquisa científica: da teoria à prática. 1. Ed., Curitiba: Ed. Intersaberes, 2012. 200 p.

FILHO, Michel Baltazar de Oliveira. O imaginário conservador na educação: uma análise dos discursos das audiências do Escola sem Partido (PL n° 7.180/14). 2019. 130 f. Dissertação. (Mestrado em Ciência Política) – Programa de Pós Graduação em Ciência Política, Universidade de Brasília, Brasília. 2019.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I. A vontade de saber. 1. Ed. Rio de Janeiro: Gallimard, 1976. 176 p.

FREITAS, Maria Cristina L.; FRANÇA, Carlos Eduardo. História da Sociologia e de sua inserção no ensino médio. MovimentAção, Dourados, v. 3, n. 5, 2016. Disponível em: http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/movimentacao. Acesso em: 24 mar. 2020.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. Antonio Gramsci: introdução ao estudo da filosofia. 1. Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999. 478 p.

GRAMSCI, Antonio. Concepção dialética da história. 3. Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978. 339 p.

KROSKA, Annie. Gender ideology and gender role ideology. In: RITZER, George. (Ed.). The Blackwell Encyclopedia of Sociology. Oxford: Blackwell Publishing. p.1867-1868, 2007.

LACLAU, Ernesto e MOUFFE, Chantal. Hegemony and Socialist Strategy: Toward a Radical Democratic Politics. 2. Ed. London: Verso, 1989. 193 p.

LOPES, Alice Casimiro. Articulações de demandas educativas (im)possibilitadas pelo antagonismo ao “marxismo cultural”. Revista Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, Arizona State University, v. 27, n.109, set. 2019. Disponível em: https://epaa.asu.edu/ojs/article/view/4881. Acesso em: 07 mai. 2020.

LOURO, Guacira Lopes. Teoria Queer - uma política pós-identitária para a educação. Revista Estudos Feministas, Santa Catarina, v. 9, n. 2, fev. 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ref/v9n2/8639.pdf. Acesso em: 11 mar. 2020.

MIGUEL, Luis Felipe. Da “doutrinação marxista” à "ideologia de gênero" - Escola Sem Partido e as leis da mordaça no parlamento brasileiro. Direito e Práxis Revista. Rio de Janeiro, v. 7, n. 15, ago. 2016. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistaceaju/article/view/25163/18213. Acesso em: 12 mai. 2020.

MISKOLCI, Richard; CAMPANA, Maximiliano. “Ideologia de gênero”: notas para a genealogia de um pânico moral contemporâneo. Revista Sociedade e Estado, Brasília, v. 32, n. 3, set./dez., 2017.

MISKOLCI, Richard; Pânicos morais e controle social – reflexões sobre o casamento gay*. Caderno Pagu, São Paulo, v. 6, n. 28, Jan./Jun., 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-83332007000100006&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 12 mai. 2020.

NETO, Filinto e CAMPOS, Gabriela. O Impacto do Neoliberalismo na Educação Brasileira. In: IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE REPRESENTAÇÕES SOCIAIS, SUBJETIVIDADES E EDUCAÇÃO – SIRSSE, 12., 2017. Paraná. Anais... Eletrônicos do XIII Congresso Nacional de Educação . Paraná: PUCPRess - Editora Universitária Champagnat, 2017. p. 7636-7647.

OLIVEIRA, Ana Luiza Ramos Martins de.; OLIVEIRA, Gustavo Gilson Souza de . Novas tentativas de controle moral da educação: conflitos sobre gênero e sexualidade no currículo e na formação docente. Educação Tunisinos, Rio Grande do Sul, v. 22, n. 1, jan./mar., 2018. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/edu.2018.221.02. Acesso em: 07 jan. 2020.

OLIVEIRA, Ana Luiza Ramos Martins de.; OLIVEIRA, Gustavo Gilson Souza de.; MESQUITA; Rui Gomes de. A Teoria do Discurso de Laclau e Mouffe e a Pesquisa em Educação. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 38, n. 4, p. 1327-1349, out./dez., 2013.

ORSATO, Andreia; FERREIRA, M. O. Vieira. O Debate sobre gênero e o ensino de sociologia: Mapeando essa relação numa instituição federal de ensino básico, técnico e tecnológico. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL FAZENDO GÊNERO 11 & 13THWOMEN’S WORLDS CONGRESS. Anais do XI Seminário Internacional Fazendo Gênero [recurso eletrônico]: 13th. Women’s Worlds, Florianópolis, 2017. p.17-25.

PIOVESAN, Armando; TEMPORINI, Edméa Rita. Pesquisa exploratória: procedimento metodológico para o estudo de fatores humanos no campo da saúde pública. Revista Saúde pública, v. 29, n. 4, mai./jun., 1995.

RAMÍREZ, Arguedas Gabriela. “Ideología de género”, lo “post-secular”, el fundamentalismo neopentecostal y el neointegrismo católico: la vocación anti-democrática. Observatorio de Sexualidad y Política (SPW), 2020. Disponível em: https://sxpolitics.org/GPAL/uploads/Ebook-Apartado%2020200203.pdf. Acesso em: 07 mai. 2020.

REIS, Natalia. A ideologia do Sigma hoje. Neointegralismo, intolerância e memória. História: Questões & Debates, Curitiba, v. 46, n. 1, jan./jun. 2007. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/historia/article/view/11328/7893. Acesso em: 07 mar. 2020.

SCALA, J. Ideologia de Gênero: o neototalitarismo e a morte da família. São Paulo: Katechesis, 2011. 200 p.

SILVA, Silas Veloso de Paula de. Diversidade de gênero e “Ideologia de gênero” na educação: estudo de caso em uma escola do Recife. 2019. 67 f. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso em Ciências Sociais), Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2019. No prelo.

Downloads

Publicado

2020-08-16

Como Citar

Silva, S. V. de P., Nara, I. C. A., & Barreto, F. G. V. (2020). “IDEOLOGIA DE GÊNERO” E ESCOLA SEM PARTIDO: DESAFIOS DO ENSINO DA SOCIOLOGIA NA POLÍTICA BRASILEIRA A PARTIR DOS EMBATES HEGEMÔNICOS EM TORNO DA EDUCAÇÃO. Diversidade E Educação, 8(1), 70–95. https://doi.org/10.14295/de.v8i1.11393

Edição

Seção

Dossiê: Gênero, sexualidade e trabalho docente