AÇÃO DOCENTE E O DIÁLOGO INADIÁVEL SOBRE A DIVERSIDADE NA OBRA “A CONVERSA SOBRE GÊNERO NA ESCOLA”, DE MARCOS RIBEIRO

Autores

  • Edimauro Ramos Faculdades Integradas de Itararé (FAFIT)

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v8i1.11342

Resumo

Sob um olhar interdisciplinar, a obra "A conversa sobre gênero na escola: aspectos conceituais e políticos-pedagógicos", do autor e pedagogo Marcos Ribeiro, delineia perspectivas do trabalho docente em torno deste tema, os seus desafios e suas possibilidades. O presente artigo pretende, por intermédio da revisão bibliográfica, promover interlocuções teóricas e dialogar sobre as potencialidades propostas no livro de Ribeiro no que se refere a inserir esses debates e mediá-los entre o trabalho docente e gênero, bem como refletir sobre a maneira de conduzir esses debates. Constata-se através do estudo que, por meio da introdução do tópico gênero nos mais diferentes contextos da escola, os professores/as e os educandos são condicionados a reivindicar por um espaço mais democrático e que abranja e respeite as diversidades.

PALAVRAS-CHAVE: Gênero. Trabalho docente. Escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edimauro Ramos, Faculdades Integradas de Itararé (FAFIT)

Pedagogo e pesquisador graduado pelas Faculdades Integradas de Itararé (FAFIT).

Referências

AUAD, D. Igualdade de gênero e co-educação: reflexões necessárias para a construção da democracia. In: SIERRA, J. C; SIGNORELLI, M. C. Diversidade e educação: intersecções entre corpo, gênero e diversidade, raça e etnia. Matinhos: UFPR Litoral, 2014.

BASSO, I. S. Significado e sentido do trabalho docente. Cad. CEDES, Campinas, v. 19, n. 44, p. 19-32. 1998. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-32621998000100003&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 28 Mar. 2020.

BECKER, F. A Epistemologia do Professor: o cotidiano da escola. Petrópolis: Vozes, 1993.

BENTO, B. Na escola se aprende que a diferença faz a diferença. Revista Estudos Feministas, vol. 19, nº2, p. 549-559, 2011.

BORTOLINI, A. et al. Trabalhando diversidade sexual e de gênero na escola: currículo e prática pedagógica. Rio de Janeiro: UFRJ, 2014.

BRAGA, M. Debater sexualidade e gênero em sala de aula é um direito constitucional. In: RIBEIRO, M. (Org.) A conversa sobre gênero na escola: aspectos conceituais e político-pedagógicos. Rio de Janeiro, Wak Editora, 2019.

BUTLER, J. Deshacer el género. Paidós, Barcelona, 2006.

CAETANO, M. Performatividades reguladas: heteronormatividade, narrativas biográficas e educação. Curitiba: Editora Appris, 2016.

CARDOSO, L.R; PARAÍSO, M. A. Tecnologia de gênero e a produção de sujeitos no currículo de aulas experimentais de ciências. Currículo sem fronteiras, v. 15, n. 1, p. 155-177, 2015.

CARVALHO, M. de. Gênero e trabalho docente: em busca de um referencial teórico. In: BRUSCHINI, C.; HOLLANDA, H. B. de (orgs.). Horizontes plurais: novos estudos de gênero no Brasil. São Paulo: FCC/Editora 34, 1998. p. 379-409.

CHALITA, G. Educação: a solução está no afeto. 6. ed. São Paulo: Gente, 2001.

COSTA, P, R, S, M; BITENCOURT, S. M. Gênero: a questão das diferenças. In: RAMALHO, J. R; SOUSA, R. A. (Org.). Sociologia para o ensino médio: conteúdos e metodologias. Campina Grande: UFCG, 2012, v. 1, p. 129-139.

DINIS, N. F. Educação, relações de gênero e diversidade sexual. Educação & Sociedade, v. 29, n. 103, p. 477-492, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v29n103/09. Acesso em: 05 abr. 2019.

DUQUE, T. Gêneros incríveis: identificação, diferenciação e reconhecimento no ato de passar por. 2013. Tese de Doutorado. Dissertação (Mestrado em Filosofia e Ciências Humanas) – Universidade Estadual de Campinas-SP.

FERREIRA, M.O.V. Direito social à educação: elementos iniciais para situar uma política de gênero na universidade. Educação (UFSM), v. 36, n. 2, p. 189-202, 2011.

HOOKS, Bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. Tradução de Marcelo Brandão de Cipola. – São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2013.

JUNQUEIRA, R. D. “Ideologia de gênero”: a gênese de uma categoria política reacionária – ou: a promoção dos direitos humanos se tornou uma “ameaça à família natural”? In: RIBEIRO, P. R. C.; MAGALHÃES, JOANALIRA, C. (orgs.). Debates contemporâneos sobre educação para a sexualidade. Rio Grande, RS, Ed. da FURG, 2017, pp.25-52.

_________________. A invenção da “ideologia de gênero”. In: RIBEIRO, Marcos. (Org.) A conversa sobre gênero na escola: aspectos conceituais e político-pedagógicos. Rio de Janeiro, Wak Editora, 2019.

KÜCHEMANN, B; BANDEIRA, L, M.; ALMEIDA, T. C. A categoria gênero nas ciências sociais e sua interdisciplinaridade. Revista do CEAM, v. 3, n. 1, p. 63-81, 2015.

LAGARDE, M. La multidimensionalidad de la categoría género y del feminismo. Metodología para los estudios de género. México: Instituto de Investigaciones Económicas, Universidad Nacional Autónoma de México, 2004.

LOURO, G.L. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós- estruturalista. Rio de Janeiro: Editora Vozes Ltda. 1997.

_____________. Pedagogias da Sexualidade. In: LOURO, G. L. (Org.). O corpo educado. Pedagogias da Sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

_____________. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

MAC AN GHAILL, M. Deconstructing heterosexualities within school arenas. Curriculum Studies. Vol. 4 (2), 1996.

MISKOLCI, Richard. Um corpo estranho na sala de aula. In: SILVÉRIO, Valter Roberto; ABRAMOWICZ, Anete. (Orgs.) Afirmando diferenças: montando o quebra-cabeça da diversidade na escola. Papirus Editora, 2005.

NÓVOA, A. Os professores e a sua formação. 2. ed. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

PAMPLONA, R. S. et al. Pedagogias de gênero em narrativas sobre transmasculinidades. Dissertação de Doutorado. 2017.

PARAÍSO, M. A. Fazer do caos uma estrela dançarina no currículo: invenção política com gênero e sexualidade em tempos do slogan “ideologia de gênero”. In: PARAÍSO, M. A; DA SILVA CALDEIRA, M. C. (Ed.). Pesquisas sobre currículos, gêneros e sexualidades. Mazza Edições, 2018.

RIBEIRO, M. (Org.) A conversa sobre gênero na escola: aspectos conceituais e político-pedagógicos. Rio de Janeiro, Wak Editora, 2019.

RIZZA, J. L; RIBEIRO, P.R.C. Produzindo olhares sobre a sexualidade em políticas públicas educacionais. In: RIBEIRO, P. R. C; MAGALHÃES, JONALIRA, C. (orgs.) Debates contemporâneos sobre Educação para a sexualidade. Rio Grande, RS, Ed. da FURG, 2017.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 2ª ed. São Paulo, Cortez/Autores Associados, 1991.

SANTOS, É. S. Lgbtfobia na Educação e a Atuação da Gestão Escolar. Editora Appris, 2019.

SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e realidade. Porto Alegre, v. 16, n. 2, p. 5-22, jul./dez. 1990. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/71721/40667. Acesso em: 10 abr. 2019.

SILVA, T. T. Monstros, ciborgues e clones: os fantasmas da Pedagogia Crítica. In: COHEN, J. J. Pedagogia dos monstros: os prazeres e os perigos da confusão de fronteiras / Jeffrey Jerome Cohen; tradução de Tomaz Tadeu da Silva - Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

___________. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2014.

SILVA, C. B; SILVA, C. T. Formação docente em gênero e diversidade na escola. In: MINELLA, L. S. Práticas pedagógicas e emancipação: gênero e diversidade na escola. Mulheres, 2009.

TEIXEIRA, A. B. M; PÁDUA, C.I.P.S. Apropriação de inovações tecnológicas no trabalho docente. In: TEIXEIRA, A. B. M; DUMONT, A. (Org.) Discutindo relações de gênero na escola: reflexões e propostas para a ação docente. Araraquara: Junqueira e Martins editora, 2009.

TRAVERSINI, Clarice Salete. O desencaixe como forma de existência da escola contemporânea. In: SARAIVA, K; MARCELLO, F. A. Estudos culturais e educação: desafios atuais. Canoas: ULBRA, p. 173-186, 2012.

VYGOTSKY, L. S. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na Idade Escolar." In: Vygotski, L.S. et al. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo, Ícone e Edusp,1988.

WARNER, M. (Ed.). Fear of a queer planet. Minneapolis: University of Minnesota, 1993.

Downloads

Publicado

2020-08-16

Como Citar

Ramos, E. (2020). AÇÃO DOCENTE E O DIÁLOGO INADIÁVEL SOBRE A DIVERSIDADE NA OBRA “A CONVERSA SOBRE GÊNERO NA ESCOLA”, DE MARCOS RIBEIRO. Diversidade E Educação, 8(1), 339–352. https://doi.org/10.14295/de.v8i1.11342

Edição

Seção

Dossiê: Gênero, sexualidade e trabalho docente