Chamada de publicação Dossiê “Sexualidades, Currículos e Cinema”

REVISTA DIVERSIDADE E EDUCAÇÃO

Chamada de publicação volume 9, número 1, jan./jun. 2021.

Dossiê “Sexualidades, Currículos e Cinema”

Organizadores:  Anderson Ferrari (UFJF), Felipe Bastos (UFJF) Roney Polato de Castro (UFJF), Raphael Albuquerque de Boer (FURG)

 

Envio de textos até o dia 30 abril de 2021. 

 

O cinema é uma arte que encanta muitas pessoas em suas diferentes relações entre as imagens e os sujeitos: na produção de filmes, na criação e manutenção de fã-clubes de diretores e artistas, no prazer em assistir e comentar as produções, na dedicação em ensaiar críticas, na utilização de filmes e documentários como artefatos pedagógicos nas escolas e na problematização das temáticas centrais dos filmes em suas articulações com o social. Com isso, queremos dizer que ir ao cinema ou se apropriar de filmes são práticas comuns em diversos contextos, de maneira que nos parece importante colocar sob investigação os impactos ou os efeitos dessas práticas nos sujeitos, nas escolas, na sociedade, enfim, nas formas de ensinar e de aprender. Um dos efeitos do cinema que nos chama atenção diz das articulações com as sexualidades. Os filmes nos incitam a problematizar ideias, práticas, posições de sujeitos nos seus pertencimentos de gênero e sexualidade, de maneira que podemos dizer que há uma presença pedagógica nos filmes, nas imagens, que ampliam os entendimentos de currículo. Os currículos não estão somente no que acontece dentro das escolas e dos processos de formação formais, mas também nas ações cotidianas de ensinar e aprender e que estão presentes em outros espaços e artefatos culturais, tais como o cinema. Trata-se das muitas pedagogias que nos tomam, nos ensinam e instauram problematizações nos entendimentos que temos acerca de nós mesmos e das verdades às quais nos vinculamos. Pedagogias como as produções advindas do cinema que, no cotidiano, ensinam, produzem significados, questionam, problematizam e constituem currículos. O cinema entendido como espaço que aciona, produz e problematiza currículos e sexualidades é um espaço que constrói saberes, relações de poder e sujeitos nas suas relações consigo mesmo e com os outros. Os estudos pós-críticos de currículo ampliaram os entendimentos de currículo e práticas pedagógicas entendendo que diferentes espaços podem ser ambientes educativos na medida em que as ações que ocorrem nesses espaços têm efeitos sobre os sujeitos e suas realidades. São essas relações que queremos privilegiar nesse dossiê, ou seja, que possibilidades de encontros entre Sexualidades, Currículos e Cinema podem ser exploradas enquanto práticas pedagógicas que produzem e transformam as experiências que os sujeitos têm de si mesmos?

Para maiores informes sobre normas e diretrizes da revista acesse: www.periodicos.furg.br/divedu