Educação ambiental dialógico-crítica e educação do campo: buscando caminhos contra hegemônicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/ambeduc.v25i2.11517

Palavras-chave:

Educação ambiental. Educação ambiental dialógico-crítica. Educação do campo. Sociedades sustentáveis

Resumo

Neste artigo, parte de uma pesquisa de doutorado, objetivamos compreender as categorias educação ambiental e educação do campo contextualizadas na referência epistemológica e filosófica do materialismo histórico, identificando algumas de suas aproximações. Partimos da seleção, revisão bibliográfica e síntese de obras que sistematizam macrotendências e matrizes destas duas categorias, utilizando a leitura crítica como principal procedimento. Como resultado, verificamos que as categorias se articulam sob a discussão relacional sociedade-ambiente e apresentam dilemas comuns no desafio contra-hegemônico de constituir sociedades sustentáveis. Dialogica-critical environmental education and rural education: searching pathways against hegemonics This article is part of a doctoral research and aimed to understand the categories: environmental education and rural education, contextualized in the epistemological and philosophical reference of historical materialism, identifying some of its main approaches. We start with the selection and bibliographic review of some of the main works that systematize macro trends and matrices of these two categories, using critical reading as the main procedure. As a result, we find that the categories are articulated under the relational societyenvironment discussion and present common dilemmas in the hegemonic challenge of constituting sustainable societies. Keywords: Environmental education. Dialogical-critical Environmental Education. Rural Education. Sustainable societies

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Caroline Lins Ribeiro Ferreira, Universidade Federal de São Carlos

Ciências Ambientais - Ambiente e Sociedade

Kelci Anne Pereira, Universidade Federal do Piauí -LEdoC da UFPI/CPCE

Licenciatura da Educação do Campo/CPCE

Amadeu Montagnini Logarezzi, Universidade Federal de São Carlos

Ciências Ambientais - linha ambiente e sociedade

Referências

Referências

ACSELRAD, Henri. Ambientalização das lutas sociais: o caso do movimento por justiça ambiental. Estudos avançados, v. 24, n. 68, p. 103-119, 2010.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente e Ministério da Educação, 2005. Programa Nacional de Educação Ambiental – ProNEA. 3. ed. Brasília: Governo do Brasil.

CALDART, Roseli Salete. Educação do campo. In: CALDART, Roseli Salete et al. (orgs.). Dicionário da educação do campo. Rio de Janeiro: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio; Expressão Popular, 2012. p. 257-265.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. O ambiental como valor substantivo: uma reflexão sobre a identidade da educação ambiental. Textos escolhidos em Educação Ambiental: de uma América à outra. Montreal: Publications ERE-UQAM, v. 1, 2002, p. 85-90.

____________. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. São Paulo: Cortez. 2004.

DIEGUES, Antônio Carlos. Sociedades e comunidades sustentáveis. São Paulo: Nupaup-USP, 2003.

FERNANDES, Bernardo Mançano. Sobre a tipologia de territórios. Territórios e territorialidades: teorias, processos e conflitos. São Paulo: Expressão Popular, p. 197-215, 2009.

___________; MOLINA, Mônica Castagna. O campo da educação do campo In: Molina, Mônica Castagna; JESUS, Sônia Meire Santos Azevedo de (orgs). Contribuições para a construção de um projeto de educação do campo. Brasília, DF: Articulação Nacional "Por Uma Educação do Campo”, 2004. Coleção Por Uma Educação do Campo, nº 5.

FERREIRA, Caroline Lins Ribeiro; PEREIRA, Kelci Anne; LOGAREZZI, Amadeu José Montagnini. Territorialização no extremo sul da Bahia e conflitos socioambientais: disputando modelos de educação e desenvolvimento. Geosul, Florianópolis, v. 34, n. 71, p. 739-764, maio 2019. ISSN 2177-5230. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/geosul/article/view/1982-5153.2019v34n71p739/39358>. Acesso em: 27 maio 2020.

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação? 10. ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

____________. Pedagogia do oprimido. 31ª. Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, v. 3, 2001.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação omnilateral. In: CALDART, Roseli Salete et al. (orgs.). Dicionário da educação do campo. Rio de Janeiro: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio; Expressão Popular, 2012. p. 265 - 272.

GADOTTI, Moacir. Educar para a sustentabilidade: uma contribuição à década da educação para o desenvolvimento sustentável. Produção de terceiros sobre Paulo Freire; Série Livros, 2008.

GOHN, Maria da Glória. O protagonismo da sociedade civil: movimentos sociais, ONGs e redes solidárias. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

GRAMSCI, Antônio. Cadernos do cárcere, Volume 2: os intelectuais, o princípio educativo. Edição e Tradução de Carlos Nelson Coutinho. 2. Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

_________. Cadernos do cárcere: Volume 3: Maquiavel, notas sobre o Estado e a política. 3ª edição. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

LAYRARGUES, Philippe Pomier. Para onde vai a educação ambiental? O cenário político-ideológico da educação ambiental brasileira e os desafios de uma agenda política crítica contra hegemônica. Revista Contemporânea de Educação, v. 7, n. 14, 2012, p. 23-40.

LEFF, Enrique. Saber ambiental: racionalidade, complexidade, poder. Rio de Janeiro: Vozes, 2010.

LIMA, Gustavo Ferreira da Costa. Educação ambiental crítica: do socioambientalismo às sociedades sustentáveis. Educação e Pesquisa, v. 35, n. 1, 2009.

LIMA, Telma Cristiane Sasso de; MIOTO, Regina Célia Tamaso. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Revista Katálysis, v. 10, 2007.

LOGAREZZI, Amadeu José Montagnini. Educação ambiental em comunidades de aprendizagem: uma abordagem crítico-dialógica. In: Reunião Anual da ANPED, 33ª, 2010, Caxambu. Anais eletrônicos... Rio de Janeiro: Anped, 2010. CD-ROM.

__________. O trabalho em Marx e a questão ambiental: fundamentos e atualidade. 2015. 114p. Relatório de Pós-doutorado (Estágio em Sociologia) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos-SP, 2015.

__________. Fundamentos de uma educação ambiental dialógico-crítica. In: MONTEIRO, Rafael de Araujo Arosa; SORRENTINO, Marcos; JACOBI, Pedro (orgs.). Diálogo, educação e ambiente: teorias, métodos, pesquisas e experiências. São Paulo: Edusp, 2020. // no prelo

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. O movimento ambientalista e o pensamento crítico: uma abordagem política. Quartet, 2003.

MAYO, Peter. Gramsci, Freire e a educação de adultos: possibilidades para uma ação transformadora. Tradução Carlos Alberto Silveira Netto Soares. Porto Alegre: Artmed, 2004.

MENDONÇA, Patrícia Ramos; TRAJBER, Rachel. O que fazem as escolas que dizem que fazem educação ambiental. Coleção educação para todos. Série avaliação, n. 6, 2006.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 29. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. (Coleção temas sociais).

OLIVEIRA, L.M. T; CAMPOS, M. Educação Básica do Campo. In: Dicionário da Educação do campo. Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz. Expressão Popular: Rio e Janeiro/ São Paulo, 2012. p.237-246.

PEREIRA, Kelci Anne. Educação do campo e rede de movimentos no sudeste do Pará: agroecologia e cooperativismo na relação entre trabalho e educação. Tese de doutorado. Universidade de São Paulo (2015).

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. Os (des) caminhos do meio ambiente. Editora Contexto, 1989.

_____________. A globalização da natureza e a natureza da Globalização. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

_____________. Ambiente (meio ambiente). In: CALDART, Roseli Salete et al. (orgs.). Dicionário da educação do campo. Rio de Janeiro: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio; Expressão Popular, 2012. p. 94-103.

PRONKO, Marcela; PONTES Virgínia. Hegemonia. In: CALDART, Roseli Salete et al. (orgs.). Dicionário da educação do campo. Rio de Janeiro: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio; Expressão Popular, 2012. p. 389-402.

SANTOS, Clarice Aparecida dos. Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera). In: CALDART, Roseli Salete; FRIGOTTO, Gaudêncio; ALENTEJANO Paulo; PEREIRA, Isabel Brasil (orgs.). Dicionário da educação do campo. Rio de Janeiro: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio; Expressão Popular. 2012. p. 631-639.

SORRENTINO, Marcos. De Tbilisi a Thessaloniki: a educação ambiental no Brasil. In: QUINTAS, J. S. (org.). Pensando e praticando a educação ambiental na gestão do meio ambiente. Brasília: Ibama, 2000. v. 3. p. 105-114. (Coleção Meio Ambiente, Série Educação Ambiental).

_______________; RAYMUNDO, Maria Henriqueta Andrade; PORTUGAL, Simone; MORAES, Fernanda Correa; SILVA, Rafael Falcão da; (orgs.). Educação, agroecologia e bem viver: transição ambientalista para sociedades sustentáveis. Piracicaba, SP: MH-Ambiente Natural, 2017. 344 p.

SOUZA, Silvano Carmo de; LOGAREZZI, Amadeu José Montagnini. O exercício da liberdade na ética tradicional ribeirinha pantaneira amparado na dialogicidade e na criticidade: reflexões teóricas. In: SOUZA, Silvano Carmo de. Educação ambiental dialógico-crítica no Pantanal de Mato Grosso: a voz e o silêncio das pescadoras e dos pescadores tradicionais. 2017. 300 p. Tese (Doutorado Ciências Ambientais) – Centro de Ciências Biológicas e Saúde, Universidade Federal de São Carlos, 2017. p.228-248.

STEDILE, João Pedro. Reforma agrária. In: CALDART, Roseli Salete et al. (orgs.). Dicionário da educação do campo. Rio de Janeiro: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio; Expressão Popular. 2012. p. 659 – 668.

UNESCO. Educação para o desenvolvimento sustentável: objetivos de aprendizagem. Brasília: Representação da Unesco no Brasil, 2017.

VIOLA, Eduardo. O movimento ambientalista no Brasil (1971-1991): da denúncia e conscientização pública para a institucionalização e o desenvolvimento sustentável. Ecologia, ciência e política. Rio de Janeiro: Revan, p. 49-75, 1992.

WHITAKER. A; FIAMENGUE, Elis C. Ciência e Ideologia: as armadilhas do preconceito. In: WHITAKER, Dulce C. A. Sociologia Rural – Questões Metodológicas Emergentes. Presidente Venceslau, São Paulo: Letras à Margem, 2002. p. 19-32.

Downloads

Publicado

2020-08-31

Como Citar

Ferreira, C. L. R., Pereira, K. A., & Logarezzi, A. M. (2020). Educação ambiental dialógico-crítica e educação do campo: buscando caminhos contra hegemônicos. Ambiente &Amp; Educação, 25(2), 417–447. https://doi.org/10.14295/ambeduc.v25i2.11517

Edição

Seção

Dossiê: Pesquisas e Práticas em Educação Ambiental e Educação do Campo