MEMÓRIAS, HISTÓRIAS DE VIDAS E TRABALHO ARTESANAL DE MULHERES QUILOMBOLAS DE SÃO LOURENÇO DO SUL/RS

Graziela Rinaldi Rosa, Michaella Sant'Anna, Adriana da Silva Ferreira

Resumo


A pesquisa apresentada nesse artigo, teve como como objetivo principal conhecer as mulheres que vivem nos cinco quilombos de São Lourenço do Sul/RS, através de encontros em forma de rodas de diálogos e oficinas de bonecas negras. Além desses quilombos, também foi realizada uma entrevista com uma liderança do movimento de consciência negra, que está contribuindo para a reconstrução e reconhecimento de outro quilombo. As mulheres compartilharam suas histórias de vidas, dificuldades e preconceitos que sofrem enquanto negras e quilombolas, e denunciaram os problemas que enfrentam, bem como os problemas de suas comunidades. Durante os encontros falou-se, entre outros temas, sobre o que é ser mulher quilombola, educação, trabalho das mulheres nos Quilombos, violência contra as mulheres, do trabalho artesanal como forma de renda, de representatividade.

 


Texto completo:

PDF

Referências


AKOTIRENE, Carla. Interseccionalidade. Coleção Feminismos Plurais. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2019.

BARTRA, Eli. Mujeres en el Arte Popular. De promesas, traiciones, monstruos y celebridades. México: Universidad Autónoma Metropolitana, 2005.

CARNEIRO, Sueli. Enegrecer o feminismo: A situação da mulher negra na América latina a partir de uma perspectiva de gênero. São Paulo. Geledés. 2011 Disponível em:

https://www.geledes.org.br/enegrecer-o-feminismo-situacao-da-mulher-negra-na-america-latina-partir-de-uma-perspectiva-de-genero/. Acesso em outubro, 2019.

CARRILLO, Alfonso Torres. Hacerhistoria desde Abajo y desde elSur. Colômbia: Ediciones desde abajo, 2019.

DAVIS, Angela. Mulheres, cultura e política. São Paulo: Boitempo, 2017.

ENGERS, Maria Emília Amaral (orgª). Paradigmas e Metodologias de Pesquisa em Educação. Notas para Reflexão. Porto Alegre: EDIPUCRS, 1994.

FERREIRA, Evelin dos Santos. Direitos das mulheres do campo: avanços e retrocessos. In: ROSA, Graziela Rinaldi da. Mulheres em Movimento: perspectivas em educação, ativismo e empoderamento. Curitiba: Nova Práxis, 2019, p. 75-86.

FREIRE, Paulo. Política e educação: ensaios. São Paulo: Cortez, 2001.

GRADO, SaléteBeleni; PEREIRA, Lizanil da conceição Patrocínio; CUNHA, Tereza; FERREIRA, Waldineia Antunes de Âlcantara.Mulheres, territórios e identidades: despatriarcalizando e descolonizando conceitos. Curitiba: CRV, 2018.

GOMES, Flávio dos Santos. Mocambos e quilombos: uma história de campesinato negro no Brasil. São Paulo: Claro enigma, 2015.

JOSSO, Marie-Christine Josso. Experiências de Vida e Formação. São Paulo: Cortez, 2004.

KENSKI, Vani Moreira. Memória e Prática Docente. In: BRANDÃO, Carlos Rodrigues (Org.). As faces da Memória.Centro de Memória. UNICAMP, s/a, p. 101-114.

LOBÃO, Alexandre. Quilombos e quilombolas: Passado e presentes de lutas. Belo Horizonte: Mazza edições, 2014.

MULHERES quilombolas de São Lourenço do sul. Direção de Graziela Rinaldi da Rosa. São Lourenço do Sul, 2019. 1 video (66min.) Disponível em:

https://www.youtube.com/watch?v=AH3HUliU5zk&t=1805s

NUNES, Georgina Helena Lima. Cartografias do Sul do Brasil e Pedagogias para uma Educação escolar Quilombola. In.: SOUZA, Edileuza Penha de; NUNES, Georgina Helena Lima; MELO, Willivane Ferreira de. Memória, territorialidade e experiências de educação escolar quilombola. Pelotas: Ed. UFPel, 2016, p. 159-179.

_____. Lideranças Negras, Terra e Educação em Quilombos. In.: SILVA, Márcia Alves da; ROSA, Graziela Rinaldi da. (organizadoras). Pedagogias populares e epistemologias feministas latino-americanas. Curitiba: BrazilPublishing, 2019, p. 149-168.

OLIVEIRA, Eliana. Mulher Negra. Professora universitária- Trajetória, Conflitos e Identidade. Brasília: Líber Editora, 2006.

PAULILO, Maria Ignez. Mulheres rurais: Quatro décadas de diálogo. Florianópolis: Ed da UFSC, 2016.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala?. Belo Horizonte(MG): Letramento, 2017.

RIBEIRO, Djamila. Quem tem medo do feminismo negro?. São Paulo: Companhia das letras, 2018.

_____. Apresentação. In: AKOTIRENE, Carla. Interseccionalidade. Coleção Feminismos Plurais. São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2019, p. 13-15.

RUBERT, Rosane Aparecida. Comunidades Negras Rurais do RS: um levantamento socioantropológico preliminar. Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura. Secretaria da Agricultura e abastecimento do Estado do Rio Grande do Sul/RS. Porto Alegre: 2005.

_____. Religiosidades em Comunidades Quilombolas: algumas especulações. In.: DILLMANN, Mauro (Org.). Religiões e Religiosidades no Rio Grande do Sul. Vol. 4. São Paulo: Associação Nacional de História, 2016, p. 169-206.

ROSA, Graziela Rinaldi. Mulheres em movimento: perspectivas em educação, ativismo e empoderamento. Curitiba, PR: Nova Praxis editorial, 2019.

SEIBEL, Ivan; FOERSTE, Erineu; ULLRICH, Henry Fred; JACOB, Jorge Küster; HEINEMANN, José Carlos. O povo Pomerano no Brasil. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2016.

SOUZA, Bárbara Oliveira. Aquilombar-se: Reflexões sobre aspectos político-organizativos e identitários do Movimento Quilombola no Brasil. In.:SOUZA, Edileuza Penha de; NUNES, Georgina Helena Lima; MELO, Willivane Ferreira de. Memória, territorialidade e experiências de educação escolar quilombola. Pelotas: Ed. UFPel, 2016, p. 19-35.

SOUZA, Edileuza Penha de; NUNES, Georgina Helena Lima; MELO, Willivane Ferreira de. Memória, territorialidade e experiências de educação escolar quilombola. Pelotas: Ed. UFPel, 2016.

TIBURI, Marcia. Como conversar com um fascista. Reflexões sobre o cotidiano autoritário brasileiro. Rio de Janeiro: Record, 2016.




DOI: https://doi.org/10.14295/de.v7iEspecial.9530

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


E-ISSN: 2358-8853

Indexadores
  

PROPESQ

PROPESQ

PROPESQ PROPESQ PROPESQ