TENSÕES E ENFRENTAMENTOS NA CAMPANHA ‘LIBERA MEU XIXI’ E A PRESENÇA DE PESSOAS TRANS NA UNIVERSIDADE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v8i2.12049

Resumo

O artigo constrói um histórico da campanha “Libera Meu Xixi” na Universidade Federal de Juiz de Fora, visando problematizar as tensões e os efeitos que essa política produziu tanto internamente quanto na comunidade externa. A partir de uma discussão sobre o uso do banheiro por pessoas trans, discutimos a atuação da Universidade na garantia dos direitos dessa população em meio aos jogos de poder que enredam a micropolítica cotidiana. Pensando nos processos de democratização do ensino superior, argumenta-se sobre a necessidade de um debate mais amplo, que envolve a desnaturalização das noções binárias e cis-heteronormativas de gênero baseadas no biológico como reguladoras dos corpos e limitadoras das experiências dos sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anderson Ferrari, Universidade Federal de Juiz de Fora

Professor da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Pós-doutor em Cultura Visual e Educação. Doutor em Educação. Licenciado e Bacharel em História. Membro do GESED - grupo de estudos e pesquisas em Gênero, Sexualidade, Educação e Diversidade.

Carolina dos Santos Bezerra, Universidade Federal de Juiz de Fora

Professora do Colégio de Aplicação João XXIII da Universidade Federal de Juiz de Fora. Doutora em Educação e Licenciada em Pedagogia. Coordenadora do Coletivo Marielle Franco e vice-líder do grupo de pesquisa Afrikas.

Roney Polato de Castro, Universidade Federal de Juiz de Fora, UFJF, Juíz de Fora, Minas Gerais.

Professor da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Doutor em Educação e Licenciado em Ciências Biológicas. Membro do GESED - grupo de estudos e pesquisas em Gênero, Sexualidade, Educação e Diversidade.

Referências

BENEVIDES, Bruna G.; NOGUEIRA, Sayonra Naider Bonfim. Dossiê Assassinatos e violência contra travestis e transexuais brasileiras em 2019. São Paulo: Expressão Popular, ANTRA, IBTE, 2020. Disponível em https://antrabrasil.files.wordpress.com/2020/01/dossic3aa-dos-assassinatos-e-da-violc3aancia-contra-pessoas-trans-em-2019.pdf. Acesso em 26 de julho de 2020.

BENTO, Berenice; PELÚCIO, Larissa. Despatolização do gênero: a politização das identidades abjetas. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 20, n. 2, p. 569-581, maio-agosto de 2012. Disponível em https://www.scielo.br/pdf/ref/v20n2/v20n2a17.pdf. Acesso em 08 de setembro de 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Brasília: 1. ed., 1. reimp. Ministério da Saúde, 2013.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2019.

BUTLER, Judith. Quadros de Guerra: Quando a vida é passível de luto? - 4ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

BUTLER, Judith. Regulações de gênero. Cadernos Pagu, Campinas, n. 42, p. 249-274, jun. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-83332014000100249&lng=pt&nrm=iso.

CRUZ, Elizabete Franco. Banheiros, travestis, relações de gênero e diferenças no cotidiano da escola. In: Revista de Psicologia Política, São Paulo, v. 11 n. 21, p. 73-90, junho de 2011. Disponível em https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=3895340. Acesso em 27 de julho de 2020.

DIAS, Alfrâncio F.; ZOBOLI, Fabio; SANTOS, Adriana Lohana dos. O banheiro como espaço político de gênero. Reflexão & Ação, Santa Cruz do Sul, v. 26, n. 2, p. 165-181, maio/agosto de 2018. Disponível em https://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/view/11734/pdf. Acesso em 08 de setembro de 2020.

DUARTE, Marco José de Oliveira. Cuidado de si e diversidade sexual: Capturas, rupturas e resistências na produção de políticas e direitos LGBT no campo da saúde. In: RODRIGUES, A et al. (Org.). Transposições: Lugares e fronteiras em sexualidade e educação. Vitória: EdUFES, 2014a.

DUARTE, Marco José de Oliveira. Saúde, cuidado e diversidade sexual: A temática da transexualidade na atenção básica em saúde. In: COELHO, M. T. A. D.; SAMPAIO, L. L. P (Org.). Transexualidades: Um olhar multidisciplinar. Salvador: EdUFBA, 2014b.

FERES, Marcos Vinício Chein. Law as Integrity and Law as Identity: Legal Reasoning, State Intervention, and Public Policies. In: German Law Journal. Volume 14. Issue 8 (Special Issue - Constitutional Reasoning). 01 de agosto de 2013, pp. 1147-1162.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade: A vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 2009.

FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos, volume V: ética, sexualidade, política. Organização, seleção de textos e revisão técnica: Manoel Barros da Motta. 3. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2017.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. São Paulo: n-1 edições, 2018.

PRECIADO, Paul B. Testo Junkie: Sexo, drogas e biopolítica na era farmacopornográfica. São Paulo: n-1 edições, 2018.

SCOTE, Fausto D.; GARCIA, Marcos R. V. Trans-formando a universidade: um estudo sobre o acesso e a permanência de pessoas Trans no Ensino Superior. Perspectiva, Florianópolis, v. 38, n.2, p. 01-25, abril-junho de 2020. Disponível em https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/2175-795X.2020.e65334/pdf. Acesso em 08 de setembro de 2020.

SCOTT, Joan Wallach. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. Porto Alegre, vol. 20, nº 2, pp. 71-99, jul./dez. 1995.

TEIXEIRA, Adla B. Martins; & RAPOSO, Ana E. S. Silva. (2007-outubro). Banheiros escolares promotores de diferenças de gênero. GT Gênero, Sexualidade e Educação. 30ª Reunião Anual da ANPED – Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Educação. Minas Gerais: Caxambu.

VIANNA, Cláudia. Gênero, sexualidade e políticas públicas de educação: um diálogo com a produção acadêmica. Pro-Posições, Campinas, v. 23, n. 2 (68), p. 127-143, maio/ago. 2012.

Downloads

Publicado

2021-01-15

Como Citar

Ferrari, A., Bezerra, C. dos S., & de Castro, R. P. (2021). TENSÕES E ENFRENTAMENTOS NA CAMPANHA ‘LIBERA MEU XIXI’ E A PRESENÇA DE PESSOAS TRANS NA UNIVERSIDADE. Diversidade E Educação, 8(2), 21–45. https://doi.org/10.14295/de.v8i2.12049

Edição

Seção

Dossiê: Diversidade, gênero e sexualidade nas políticas públicas