GÊNERO E DIVERSIDADE SEXUAL NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: (RE)VISITANDO EXPERIÊNCIAS DE UM PIBID INTERDISCIPLINAR DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/de.v8i2.11974

Resumo

A partir de subsídios teóricos baseados em uma teoria social crítica e feminista, buscamos dar sentido crítico para a formação docente, tendo em vista a construção de uma narrativa sobre uma experiência educativa relacionada à realização de um projeto do PIBID-EA sobre gênero e diversidade sexual. Devido a dados alarmantes com relação às consequências da violência contra LGBTs discutiremos o papel fundamental da escola na desconstrução de mitos e preconceitos, e com isso, a promoção de valores democráticos. Em nossa narrativa rememoramos a realidade política e social do período, o percurso teórico realizado, as ações educativas e suas implicações em nossa formação enquanto futuros educadores e educadoras. A partir dessas questões nos reconhecemos enquanto sujeitos de uma realidade onde, a partir de uma EA crítico-feminista é possível a construção de práticas educativas, que busquem o rompimento de estruturas sociais de dominação para a construção de uma educação emancipatória.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Milena Aires de Avila, Universidade Federal do Ceará

Formada em Licenciatura em Ciências Biológicas, durante minha graduação participei do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) no subprojeto de Educação Ambiental. Também participei de um programa de extensão (Programa de Extensão e Pesquisa em Economia e Meio Ambiente) ligado a temáticas de estudo da Economia Solidária e Educação Ambiental. Por fim, participei de uma bolsa de iniciação científica em que pesquisei sobre a BNCC.

Raphael Alves Feitosa, Universidade Federal do Ceará

Professor do Departamento de Biologia da UFC, Docente dos programas de Mestrado PGECM-IFCE (Acadêmico) e ENCIMA-UFC (Profissional). Possui graduação em Ciências Biológicas (Bacharelado e Licenciatura), Mestrado e Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Ceará. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino de Ciências e Biologia, atuando principalmente nos seguintes temas: relações arte-ciência, professor artista-reflexivo, educação ambiental, ensino de ciências, formação docente e currículo.

Felipe Ramon Santos, Universidade Federal do Ceará

Licenciando em Ciências Biológicas na UFC. Participou como bolsista do PIBID e do Seara da Ciência. Atualmente pesquisa sobre questões étnico raciais na formação docente.

Referências

ANDRADE, Pamela Carvalho de Deus. Banco Mundial interfere na educação básica brasileira. Disponível em: <http://www.usp.br/aun/antigo/exibir?id=6592&ed=1160&f=66>. Acesso em: 21 ago. 2020.

ANJOS, Lucélia Carla da Silva dos; COSTA, Ideuvaneide Gonçalves. A contribuição do PIBID à formação docente. In: SEMINÁRIO DE SOCIALIZAÇÃO DO PIBID, 2., 2012, Alfenas. Anais do II Seminário de Socialização do PIBID - UNIFAL - MG. Alfenas: Unifal, 2012. p. 1-4. Disponível em: <https://www.academia.edu/13917071/A_contribui%C3%A7%C3%A3o_do_PIBID_%C3%A0_forma%C3%A7%C3%A3o_docente>. Acesso em: 8 ago. 2020.

ANTUNES, Ricardo. Adeus ao trabalho?: ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 8. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2002. 116 p.

ARRAZOLA, Laura Susana Duque. CIÊNCIA E CRÍTICA FEMINISTA. In: COSTA, Ana Alice Alcântara; SARDENBERG, Cecilia Maria Bacellar (org.). Feminismo, Ciência e Tecnologia. Salvador: Redor, 2002. p. 320. Disponível em: <http://www.academia.edu/download/31786714/COSTA_E_SANDENBERG_FEMINISMO_CIENCIA_E_TECNOLOGIA.pdf#page=63>. Acesso em: 18 ago. 2020.

BRASIL. Congresso. Senado. Constituição. Emenda Constitucional nº 95, de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Brasília, v. 276, 2016. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc95.htm>. Acesso em: 20 jul. 2020.

BIANCON, Mateus Luiz; MARTINEZ, Flávia Wegrzyn. Educação ambiental, gênero, sexualidade e luta de classes: algumas reflexões sobre política, educação crítica e transformação social. Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP, Macapá-Amapá, v. 11, n. 2, p. 21-30, 2018. Disponívem em: <https://periodicos.unifap.br/index.php/pracs/article/view/4703>. Acesso em: 01 set. 2020. http://dx.doi.org/10.18468/pracs.2018v11n2.p21-30.

CAPES. Pibid - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência, 2008. Disponível em: <https://capes.gov.br/educacao-basica/capespibid>. Acesso em: 21 jul. 2020.

CANAN, S. R. PIBID: promoção e valorização da formação docente no âmbito da Política Nacional de Formação de Professores. Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação de Professores, v. 4, n. 6, p. 24-43, 20 jun. 2018. Disponível em: https://www.revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/54. Acesso em: 08 jul. 2020.

CEARÁ. Secretaria da Educação (Seduc). Governo do Estado do Ceará. Apresentação, 2018. Disponível em: <https://educacaoprofissional.seduc.ce.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12&Itemid=128>. Acesso em: 17 ago. 2020.

ENGELS, Friedrich. A origem da família, da propriedade privada e do estado. 9. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1984. 216 p.

FELÍCIO, Helena Maria dos Santos. O PIBID como “terceiro espaço” de formação inicial de professores. Revista Diálogo Educacional, [S.L.], v. 14, n. 42, p. 395, 12 jul. 2014. Pontificia Universidade Catolica do Parana - PUCPR. http://dx.doi.org/10.7213/dialogo.educ.14.042.ds05. Disponível em: <https://www.redalyc.org/pdf/1891/189131701006.pdf>. Acesso em: 08 ago. 2020.

FERREIRA JR., Amarilio; BITTAR, Marisa. A educação na perspectiva marxista: uma abordagem baseada em Marx e Gramsci. Interface, Botucatu, v. 12, n. 26, p. 635-646, 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832008000300014&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 01 set. 2020. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832008000300014.

GONZALEZ-GAUDIANO, Edgar; LORENZETTI, Leonir. Investigação em Educação Ambiental na América Latina: mapeando tendências. Educ. rev., Belo Horizonte, v. 25, n. 3, p. 191-211, 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-46982009000300010&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 01 set. 2020. https://doi.org/10.1590/S0102-46982009000300010.

GUIMARÃES, Mauro. Educação ambiental: participação para além dos muros da escola. In: Vamos Cuidar do Brasil – Conceitos e práticas em educação nas escolas. p. 85-94. Brasília: Ministério da Educação, Coordenação Geral de Educação Ambiental: Ministério do Meio Ambiente, Departamento de Educação Ambiental: Unesco, 2007.

GUIMARÃES, Mauro. Educação Ambiental Crítica. In: (COORD.)., Ministério do Meio Ambiente. Diretoria de Educação Ambiental; Philippe Pomier Layrargues. Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. p. 25-35. Disponível em: <https://www.mma.gov.br/estruturas/educamb/_arquivos/livro_ieab.pdf>. Acesso em: 17 jul. 2020.

GUIMARÃES, Mauro. POR UMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL CRÍTICA NA SOCIEDADE ATUAL. Revista Margens Interdisciplinar, 2016. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.18542/rmi.v7i9.2767>. Acesso em: 21 jun. 2020.

JESUS, Beto de et al. Diversidade sexual na escola: uma metodologia de trabalho com adolescentes e jovens. Ed. Especial, revista e ampliada. – São Paulo: ECOS – Comunicação em Sexualidade, 2008. 92 p. Disponível em: <http://www.mpf.mp.br/regiao3/atos-e-publicacoes/publicacoes/diversidade_sexual.1968.pdf>. Acesso em: 8 nov. 2017.

JINKINS, Ivana; DORIA, Kim; CLETO, Murilo (Orgs.). Por que gritamos golpe? Para entender o impeachment e a crise política no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2016.

JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Diversidade sexual e homofobia: a escola tem tudo a ver com isso. In: XAVIER FILHA, Constantina (Org.). Educação para a sexualidade, para a equidade de gênero e para a diversidade sexual. Campo Grande: UFMS, 2009c, p. 111-142. Disponível em: <https://revistas.ufg.br/rir/article/download/46785/23882/>. Acesso em: 8 nov. 2017.

KOSIK, Karel. Dialética do Concreto. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

KONDER, Leandro. O Que É Dialética. 25. ed. São Paulo: Brasiliense, 1981.

LAMIM-GUEDES, Valdir; INOCÊNCIO, Adalberto Fernando. Mulheres e sustentabilidade: uma aproximação entre movimento feminista e a educação ambiental. VII EPEA - ENCONTRO PESQUISA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Rio Claro - SP, 2013. Disponível em: <http://www.epea.tmp.br/epea2013_anais/pdfs/plenary/0170-2.pdf>. Acesso em: 8 nov. 2017.

LIMA, Gustavo Ferreira da Costa. Educação ambiental crítica: do socioambientalismo às sociedades sustentáveis. Educação e Pesquisa, [S.L.], v. 35, n. 1, p. 145-163, abr. 2009. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1517-97022009000100010. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1517-97022009000100010&script=sci_arttext&tlng=pt>. Acesso em: 14 ago. 2020.

LIMA, Maria Emília Caixeta de Castro; GERALDI, Corinta Maria Grisolia; GERALDI, João Wanderley. O trabalho com narrativas na investigação em educação. Educação em Revista, [S.L.], v. 31, n. 1, p. 17-44, mar. 2015. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/0102-4698130280. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-46982015000100017&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 17 ago. 2020.

LOUREIRO, Carlos Frederico B.; LAYRARGUES, Philippe Pomier. Ecologia política, justiça e educação ambiental crítica: perspectivas de aliança contra-hegemônica. Trabalho, Educação e Saúde, [S.L.], v. 11, n. 1, p. 53-71, abr. 2013. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1981-77462013000100004. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1981-77462013000100004&script=sci_arttext&tlng=pt>. Acesso em: 14 ago. 2020.

LOUREIRO, Carlos Frederico B.; TOZONI-REIS, Marília Freitas de Campos. Teoria social crítica e pedagogia histórico-crítica: contribuições à educação ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Rio Grande, Edição Especial, p. 68-82, jul. 2016. Trimestral. Disponível em: <https://periodicos.furg.br/remea/article/view/5960>. Acesso em: 24 jul. 2020.

LOUREIRO, Carlos Frederico B.; TREIN, Eunice; TOZONI-REIS, Marília Freitas de Campos; NOVICKI, Victor. Contribuições da teoria marxista para a educação ambiental crítica. Cadernos Cedes, [S.L.], v. 29, n. 77, p. 81-97, abr. 2009. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0101-32622009000100006. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-32622009000100006&script=sci_abstract&tlng=es>. Acesso em: 17 ago. 2020

MACIEL, Maria José Camelo. O currículo das escolas estaduais de educação profissional (EEEPS) do Ceará: concepções e práticas. In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO, 2014. Fortaleza: UECE, 2015. v. 17, p. 2809-2820. Disponível em: <http://www.uece.br/endipe2014/index.php/2015-02-26-14-09-14/search?category=4&author=1607>. Acesso em: 18 jul.2020.

MANACORDA, Mario. Marx e a pedagogia moderna. 2. ed. Campinas: Alínea, 2007.

MÉSZÁRIOS, Istiván. A educação para além do capital. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2008. 126 p.

NASCIMENTO, Ariel Pereira Fernandes do. A questão do gênero e sua influência na educação ambiental. In: XI ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIêNCIAS – XI ENPEC, v. 12, 2017. Florianópolis. Atas dos ENPECs. Florianópolis: Abrapec, 2017. p. 1-7. Disponível em: <http://www.abrapecnet.org.br/enpec/xi-enpec/anais/resumos/R2474-1.pdf>. Acesso em: 3 jul. 2020.

OLIVEIRA, Elida. Amazônia bate novo recorde nos alertas de desmatamento em junho; sinais de devastação atingem mais de 3 mil km² no semestre, aumento de 25%. 2020. Disponível em: <https://g1.globo.com/natureza/noticia/2020/07/10/amazonia-bate-novo-recorde-nos-alertas-de-desmatamento-em-junho-aumento-dos-ultimos-11-meses-foi-de-64percent-aponta-inpe.ghtml>. Acesso em: 26 ago. 2020.

OLIVEIRA, Luciana de; TOOGE, Rikardy. Número de agrotóxicos registrados em 2019 é o maior da série histórica; 94,5% são genéricos, diz governo. 2019. Disponível em: <https://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2019/12/28/numero-de-agrotoxicos-registrados-em-2019-e-o-maior-da-serie-historica-945percent-sao-genericos-diz-governo.ghtml>. Acesso em: 26 ago. 2020.

OLIVEIRA, Renato Almeida de. A concepção de trabalho na filosofia do jovem Marx e suas implicações antropológicas. Revista Eletrônica Kínesis, v. 2, n. 3, p.72-88, abr. 2010. Disponível em: <http://www.marilia.unesp.br/Home/RevistasEletronicas/Kinesis/6_RenatoAlmeidadeOliveira.pdf>. Acesso em: 26 ago. 2019.

PANIAGO, Rosenilde Nogueira; SARMENTO, Teresa. A Formação na e para a Pesquisa no PIBID: possibilidades e fragilidades. Educação & Realidade, [S.L.], v. 42, n. 2, p. 771-792, 23 fev. 2017. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/2175-623658411. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-62362017000200771&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 21 ago. 2020.

PRADO, Caio. Não Recomendado. Disponível em: https://www.letras.mus.br/caio-prado/nao-recomendado/. Acesso em: 20 ago. 2020.

SAUVÉ, Lucie. Uma cartografia das correntes em educação ambiental. In: SATO, Michèle; CARVALHO, Isabel Cristina Moura. Educação Ambiental. Porto Alegre: Artmed, 2005. p. 236.

RUSSEL, Constance; SARICK, Tema; KENNELY, Jackie. Tornando queer a educação ambiental. Rev. Estud. Fem., Florianópolis, v. 19, n. 1, p. 225-238, 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2011000100016&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 01 set. 2020. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2011000100016.

SAVIANI, Demerval. A pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 9 ed. Campinas: Autores Associados, 2008.

SEFFNER, Fernando. Atravessamentos de gênero, sexualidade e educação: tempos difíceis e novas arenas políticas. In: REUNIÃO CIENTÍFICA NACIONAL DA ANPED. Curitiba. Trabalho encomendado. Curitiba: UFPR, 2016. p.1-17. Disponível em: <http://www.anpedsul2016.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2015/11/Eixo-18-G%C3%AAnero-Sexualidade-e-Educa%C3%A7%C3%A3o.pdf>. Acesso em: 13 jun. 2020.

SILVA, Alex Sander da. Fetichismo, alienação e educação como mercadoria. Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 19, n. 1, p. 123-139, 2011. ISSN 1982-9949. Disponível em: <https://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/view/1900/1921>. Acesso em: 10 ago. 2020. doi:https://doi.org/10.17058/rea.v19i1.1900.

SILVA, F.; RIOS, J. A. Narrativas de si na iniciação à docência: O PIBID como espaço e tempo formativos. Educação & Formação, v. 3, n. 2, p. 57-74, 2018. Disponível em: <https://revistas.uece.br/index.php/redufor/article/view/270>. Acesso em: 21 ago. 2020.

SILVA, Silvio Profirio da et al. Literatura de Cordel: linguagem, comunicação, cultura, memória e interdisciplinaridade. Raído, Dourados, v. 4, n. 7, p. 303-322, out. 2010. Disponível em: <http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/Raido/article/view/603>. Acesso em: 08 set. 2020.

TONET, Ivo. Método científico: Uma Abordagem Ontológica. São Paulo: Instituto Lukács, 2013. 136 p.

TONET, Ivo. Educação contra o capital. 3. ed. São Paulo: Creative Commons, 2016. 181 p.

Downloads

Publicado

2021-01-15

Como Citar

de Avila, M. A., Feitosa, R. A., & Santos, F. R. (2021). GÊNERO E DIVERSIDADE SEXUAL NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: (RE)VISITANDO EXPERIÊNCIAS DE UM PIBID INTERDISCIPLINAR DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL. Diversidade E Educação, 8(2), 438–466. https://doi.org/10.14295/de.v8i2.11974