Educação Ambiental e o diagnóstico socioambiental das comunidades beneficiadas pela Barragem Umari no município de Madalena-CE

Autores

  • Nosliana Nobre Rabelo Universidade Federal do Ceará -UFC
  • Fatima Aurilane de Aguiar Lima Doutoranda em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN. fatima_aurilane@hotmail.com
  • Francisca Dalila Menezes Vasconcelos Doutoranda do Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental, Universidade Federal do Ceará - UFC. menezes.dalila@gmail.com
  • Jennifer Cícera dos Santos Faustino Mestre em Desenvolvimento e Meio Ambiente, Universidade Federal do Ceará - UFC. jenniferholy@gmail.com
  • Patrícia Verônica Pinheiro Sales Lima Professora da Universidade Federal do Ceará - UFC.

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar um diagnóstico sócioambiental das famílias beneficiadas pela Barragem Umari, localizada no municípo de Madalena – CE, com vistas à propor ações no âmbito do Programa Nacional de Educação Ambiental (ProNEA). A área estudada no âmbito da pesquisa amostral compreende o entorno do lago da barragem Umari, onde foram aplicados os questionários para a obtenção dos resultados deste trabalho. O trabalho utilizou-se de pesquisa exploratório-descritiva, com análise quanti-qualitativa. Os resultados apontaram para a mudança na vida social e econômica após a construção da Barragem Umari, no entanto, persistem problemas de carência de infraestutura básica que pode acarretar em prejuízos sociais e econômicos para as famílias locais. Nesse sentido, a educação ambiental estimulada pelo ProNEA pode criar as habilidades necessárias ao enfrentamento das fragilidades locais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-12-30

Como Citar

Rabelo, N. N., de Aguiar Lima, F. A., Menezes Vasconcelos, F. D., dos Santos Faustino, J. C., & Pinheiro Sales Lima, P. V. (2016). Educação Ambiental e o diagnóstico socioambiental das comunidades beneficiadas pela Barragem Umari no município de Madalena-CE. Ambiente &Amp; Educação, 21(2), 140–153. Recuperado de https://periodicos.furg.br/ambeduc/article/view/6453